Skip to Content

This cache has been archived.

touperdido: "O autoconhecimento é o começo da sabedoria, em cuja
tranquilidade e silêncio encontra o Imensurável. "

Jiddu Krishnamurti

More
<

Robin dos Bosques - TP23 [Famalicão]

A cache by touperdido Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 05/07/2007
Difficulty:
4 out of 5
Terrain:
3.5 out of 5

Size: Size: regular (regular)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Robim dos Bosques

História

Terá vivido no século XIII, gostava de vaguear pela floresta e prezava a liberdade. Foi imortalizado como “príncipe dos ladrões”.

Tenha ou não existido tal como o conhecemos, Robin dos Bosques é, para muitos, um dos maiores heróis de Inglaterra.

A sua história é conhecida há 700 anos e os muitos que a narraram mudaram-lhe a data ou local de nascimento, acrescentaram-lhe amigos e ornamentaram as suas paixões. Mas desde que as suas aventuras começaram a ser cantadas, no século XIV, muito do que conhecemos através do livro do americano Howard Pyle (1853- 1911) ou pelos filmes de Hollywood permanece igual.

Se existiu de facto, viveu algures no século XIII. Uma das primeiras referências a tal personagem é o poema épico “Piers Plowman”, escrito por William Langland em 1377. A compilação “Gesta de Robin Hood”, de 1400, sugere que as histórias que compõem a lenda circulavam bastantes anos antes.

Para quem vive hoje em Nottingham, cidade no centro de Inglaterra que serve de cenário à maioria das baladas iniciais, Robin continua a existir. Além das estátuas, há as ruas baptizadas com o seu nome ou o festival anual que lhe é dedicado. E há também o que resta da Floresta de Sherwood, onde é possível encontrar a árvore em redor da qual o bando de Robin se reunia em conselho. É claro que, caso tenha vivido em Yorkshire, a floresta não era a de Sherwood mas a de Barnsdale. No convento de Kirklees, hoje em ruínas, existe também aquela que se pensa ser a sua campa e onde se pode ler: “Aqui jaz Robard Hude.”

Robin dos Bosques é, desde sempre, por motivos que as versões às vezes alteram, um fora-da-lei. As referências históricas que sustêm as várias teorias da sua existência prendem-se, aliás, na maior parte dos casos, com registos de comparência em tribunais. Por Robin ter existido como Robin Hood, por a lenda ser já contada ou por simples coincidência, parece ter havido antes de 1300 na mesma região pelo menos cinco homens acusados de actividade criminal conhecidos pela alcunha de “Robinhood”.

Existem muitos candidatos a ter em conta, se se quiser acreditar que Robin existiu. De acordo com a investigação de Joseph Hunter, em 1852, Robin era Robert Hood e tornou-se fugitivo por ter ajudado o Conde de Lancaster que se rebelara contra o rei Eduardo II.

Em 1998, Tony Molyneux- Smith publicou um livro onde sustenta que a origem da lenda é Sir Robert Foliot, lorde de uma família que escolheu usar o nome de Robin Hood para esconder a sua verdadeira identidade como protecção numa sociedade violenta.

Em todos os casos, o herói escolhe a vida clandestina da floresta depois de ter sido injustiçado e a sua opção faz escola, acabando por formar um exército com o qual se opõe à maldade que o rodeia.

Os pobres vêem-no como livre e generoso, os ricos e poderosos tememno. Na história de Pyle, tal como em muitas outras, Robin veste de verde, maneja o arco como ninguém, não teme nada e vive livre e feliz, rodeado de amigos que se ajudam a cada nova ameaça.

A lenda espalhou-se primeiro nas baladas medievais. Passou aos poemas e chegou ao teatro. A história foi escrita, ilustrada, encenada e filmada vezes sem conta até se tornar eterna. Esta é talvez a versão mais conhecida, com texto e ilustrações de Howard Pyle. Foi adaptada e novamente ilustrada por muitos outros autores.

Informação retirada de www.publico.clix.pt

Cache

Escolhi fazer uma cache com este tema porque no fim de semana da criação da cache houve uma Feira Medieval em Famalicão que tive oportunidade de visitar. Outra das razões prende-se com o facto de ser uma floresta parecida com a de Sherwood, onde reina o sossego (a não ser que haja festa), existe muitas árvores e é um local como uma certa magia. Descobri este local através de um amigo (Marco Inácio) e agora com muita frequência vimos a este local para escalar. Dado que a zona onde está a cache tem bastantes desníveis, não aconselho a fazerem esta cache à noite e caso queiram apreciar a paisagem do parque geodésico tenham muita ATENÇÃO porque terão que dar um grande salto e não se esqueçam que terão que fazer o mesmo no regresso, pois a saída pelo outro lado não é melhor.... Podem levar as crianças, mas atenção aos desníveis! Para encontrarem a cache só precisam de ser elegantes como o Robim dos Bosques e gostarem de natureza!

Localização

Para chegarem à cache vindos de Famalicão devem seguir na direcção da estrada nacional para Braga e depois seguirem em direcção ao waypoint dado, que se refere ao estacionamento aconselhado. Se forem "froxos" podem levar o carro até perto da cache, no caso de TT sem problemas, no caso de carro ligeiro também é possível com algum cuidado.

Additional Hints (Decrypt)

Svffhenf

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



 

Find...

114 Logged Visits

Found it 97     Didn't find it 9     Write note 6     Archive 1     Publish Listing 1     

View Logbook | View the Image Gallery of 22 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated:
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.