Skip to Content

This cache has been archived.

btreviewer: Esta cache foi arquivada por falta de uma resposta atempada e/ou adequada perante as situações relatadas. Relembro a secção das guidelines sobre a manutenção http://www.geocaching.com/about/guidelines.aspx#cachemaintenance :

[quote]
Você é responsável por visitas ocasionais à sua geocache para assegurar que está tudo em ordem para funcionar, especialmente quando alguém reporta um problema com a geocache (desaparecimento, estrago, humidade/infiltrações, etc.), ou faz um registo "Precisa de Manutenção". Desactive temporariamente a sua geocache para que os outros saibam que não devem procurar a geocache até que tenha resolvido o problema. É-lhe concedido um período razoável de tempo - geralmente até 4 semanas - dentro do qual deverá verificar o estado da sua geocache. Se a geocache não estiver a receber a manutenção necessária ou estiver temporariamente desactivada por um longo período de tempo, poderemos arquivar a página da geocache.

Por causa do esforço requerido para manter uma geocache, por favor coloque geocaches físicas no seu espaço habitual de geocaching e não em sítios para onde costuma viajar. Geocaches colocadas durante viagens não serão muito provavelmente publicadas a menos que possa fornecer um plano de manutenção adequado. Este plano deve permitir uma resposta rápida a problemas reportados, e deverá incluir o Nome de Utilizador de um geocacher local que irá tomar conta dos problemas de manutenção na sua ausência. [/quote]

Como owner, se tiver planos para recolocar a cache, por favor, contacte-me por [url=http://www.geocaching.com/email/?u=btreviewer]e-mail[/url].

Lembro que a eventual reactivação desta cache passará pelo mesmo processo de análise como se fosse uma nova cache, com todas as implicações que as guidelines actuais indicam.

Se no local existe algum container, por favor recolha-o a fim de evitar que se torne lixo (geolitter).

Obrigado

[b] btreviewer [/b]
Geocaching.com Volunteer Cache Reviewer

[url=http://support.groundspeak.com/index.php?pg=kb.page&id=77][i][b]Work with the reviewer, not against him.[/b][/i][/url]

More
<

28 - Prazeres

A cache by Prodrive Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 5/24/2007
Difficulty:
2 out of 5
Terrain:
1 out of 5

Size: Size: other (other)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:



Na sua rotina diária, o "28" arranca e faz rumo pela rua Voz do Operário, passando por alguns prédios burgueses dos finais de Oitocentos. Nas imediações, divisam-se antigos palácios e a Igreja de São Vicente de Fora, cuja construção foi iniciada em 1147, por D. Afonso Henriques, e se prolongou até o século XVIII, quando foram acrescentados os azulejos inspirados nas fábulas de La Fontaine. A completar o conjunto monumental, "ex-libris" da cidade, estão o mosteiro, que foi residência do cardeal-patriarca até 1910, e o Panteão dos reis da dinastia de Bragança, na barroca Igreja de Santa Engrácia, com as dezenas de sarcófagos reais, incluindo o dos últimos monarcas portugueses, D. Carlos e o príncipe D. Luís Filipe.

A calçada portuguesa

Num contraponto ao peso da história, ali mesmo no Campo de Santa Clara, a conhecida Feira da Ladra reúne o artesanato e as velharias, um mercado e vendedores de roupas que, às terças e aos sábados, ocupam o local com grande alarido.

Segue-se, depois, pela Calçada de S. Vicente e por um emaranhado de ruas estreitas, num malabarismo inacreditável, passando rente às portas e janelas do casario, com o condutor a tilintar a campainha a avisar algum motorista

Largo de Camões

distraído que venha em sentido contrário. À saída desse labirinto urbano, surge na ribalta o Tejo, avistado do largo das Portas do Sol, onde a Lisboa romana floresceu. A vista no Miradouro de Santa Luzia estende-se sobre os telhados do bairro de Alfama - com suas ruelas e becos, restaurantes e casas de fado - e alcança as águas do rio num enquadramento espectacular pontuado pelo casario da Graça, o Monte da Graça e o Castelo de São Jorge.

Uma esplanada convida à contemplação e, do outro lado da rua, está o Palácio Azurara, sede da Fundação Espírito Santo que abriga um museu e uma escola de artes tradicionais portuguesas. Segue a inclinada Travessa de Santa Luzia, com lojas de artesanato e antiguidades.

O eléctrico 28 nas ruas do bairro da Graça

A rota alcança então a Sé Catedral de Lisboa, o marco da fundação da cidade após a tomada aos mouros. Mandado construir por D. Afonso Henriques, no século XII, o monumento é imponente, com suas torres e a fachada em estilo românico. O interior revela uma planta em cruz latina, com 60 metros de comprimento e 22 de largura, quase uma centena de arcos românicos, rica sacristia e capelas com traços góticos, além de elaboradas talhas, pinturas e antigas arcas tumulares.

Assembleia da República

Logo a seguir, avista-se a igreja pombalina de Santo António da Sé, consagrada ao santo lisboeta que ali terá nascido nos finais do século XII, como assinala uma lápide na cripta do edifício. É no pequeno largo fronteiriço, decorado com a estátua do santo padroeiro da cidade, que se iniciam os cortejos populares de 13 de Junho, seguindo pelas ruas de Alfama.

Miradouro da Graça

O "28" continua o seu caminho atravessando a Baixa Pombalina, o mais emblemático traçado urbano da capital, delineado após o terramoto de 1755 pelo Marquês de Pombal e sua equipa de engenheiros. Num relance, é possível ver da janela do eléctrico o perfil do Arco da Rua Augusta que se abre para a Praça do Comércio, com sua renovada arcaria pombalina e o rio Tejo.

A subir e a descer as colinas

O eléctrico 28 na sua travessia por Lisboa, dos Prazeres à Graça, passando pela Sé

Tomando novo fôlego, o "28" começa a galgar mais uma colina, passando defronte de imponentes palacetes, rumo ao renovado e elegante bairro do Chiado. Ali ao pé está "A Brasileira", um dos cafés mais emblemáticos de Lisboa, com o poeta Fernando Pessoa à porta. Numa das travessas laterais, está a Ópera S. Carlos, inaugurada em 1793, e na Rua Serpa Pinto fica o Museu do Chiado, sediado no antigo Convento de São Francisco, com sua colecção de pintura e escultura portuguesas. A Igreja de Nossa Sra. do Loreto, datando do século XVI, e a Igreja Nossa Sra. da Encarnação, inaugurada em 1708, perfilam-se a guardar o bairro do Chiado. E no Largo de Camões a estátua do poeta maior da língua portuguesa domina o cenário que assinala a entrada para o Bairro Alto, a meca da vida nocturna lisboeta. O percurso continua pela Rua do Loreto, o largo do Calhariz e a Calçada do Combro, cujas transversais abrem caminho para o Mirante de Santa Catarina, com outra panorâmica do rio Tejo, e o pitoresco Elevador da Bica, que sobe e desce pela estreita fenda aberta por outro terramoto, que sacudiu a cidade em 1597. Palácios e igrejas continuam a pontuar o caminho pela Calçada do Combro, especialmente o ex-palácio oitocentista dos Duques de Palmela, hoje sede de uma instituição financeira, e o Palácio Teles da Silva, ou Palácio do Correio Velho, que abriga uma casa de leilões. A igreja paroquial de Santa Catarina, ou Igreja dos Paulistas, ergue-se majestosa em balaústres e torres desde o século XVII.

Miradouro de Santa Luzia e das Portas do Sol, com vista para a Igreja de São Vicente de Fora e o Panteãol

O caminho, de súbito, estreita-se e o "28" atravessa uma zona modesta, com casas e comércio populares, para então alcançar o cimo da rua de São Bento e descortinar o soberbo edifício da Assembleia da República, antigo convento beneditino no século XVI, ex-Torre do Tombo no século XVIII e hoje Património Nacional e sede do Parlamento português.A encosta que marca a Calçada da Estrela é íngreme, mas o eléctrico segue impávido até ao Largo da Estrela, onde estão a Basílica do Sagrado Coração de Jesus, ou Basílica da Estrela, obra erguida no século XVIII, e o Jardim da Estrela, em estilo romântico com o seu coreto central, alamedas, esculturas e lagos.

Casas de Alfama

Segue-se então o trajecto final do "28", passando pelas ruas elegantes do bairro de Campo de Ourique, recheadas de edifícios do início do século, lojas e pastelarias, dentre elas o "Canas", cervejaria de renome no bairro. O eléctrico percorre a Rua Saraiva de Carvalho até fazer uma paragem defronte da Igreja do Santo Condestável, um monumento de meados do século XX.

Aproxima-se a paragem final, mesmo em frente ao cemitério dos Prazeres, uma antiga quinta onde existe uma fonte quinhentista, dita "fonte santa" devido à aparição da Virgem. Local de peregrinação e festas populares até finais do século XIX, o local foi adquirido pelo Estado e transformado em cemitério em 1840, com urnas, pirâmides e capelas decoradas com os brasões da nobreza portuguesa.


Eléctrico

Um clássico lisboeta

O eléctrico 28 que actualmente cobre o extenso percurso desde os Prazeres até à Graça (e ao Martim Moniz no seu itinerário mais longo) é o mais emblemático exemplar da rede de eléctricos da Carris em Lisboa. Desde a inauguração da linha em 1914, restrita a um trecho entre a Praça de Camões e a Estrela, que a sua rota já incluía algumas das mais belas passagens da cidade.

Ao longo das primeiras décadas do século passado, o "28" foi ampliando o seu trajecto pelas colinas de Lisboa, primeiro através de um prolongamento até à Estrela, em 1928, quando passou a ser conhecido com o nome de linha 28 Rossio-Estrela, e quatro anos mais tarde com a inclusão de mais um trecho até os Prazeres. Onze anos depois, surgia uma linha adicional, a 28 A, desde a Rua da Conceição até os Prazeres. É somente em 1973 que o Eléctrico 28 passa a cumprir o extenso percurso até a Graça, tornando-se um dos "ex-libris" da capital e atraindo um crescente número de turistas encantados pela habilidades dos condutores através das curvas apertadas e das ruas estreitas do bairro.

Em 1984, o trajecto é mais um vez aumentado, desde a Graça ao Martim Moniz, devido à eliminação de outras linhas e ao reforço do serviço com a linha 28 B, que fazia a rota Martim Moniz-Rua da Conceição, que mais tarde foi também prolongada até à Estrela. Cinco anos mais tarde é inaugurada a raquete na Praça de Camões, um tipo de términos circular onde o eléctrico não necessita de executar a manobra de inversão de
marcha, que também viria a ser instalada na Estrela e nos Prazeres, na Praça S. João Bosco.

Assim, os típicos carros bidirecionais da série "700", com potência de 90 cavalos (dois motores de 45 cavalos), travões manuais a ar comprimido, electromagnético e electropneumático, fabricados por Leito Maley & Taunton, continuam a circular pelas colinas de Lisboa, com a inconfundível pintura amarela e o constante tilintar da campainha.

Um verdadeiro eléctrico do desejo, o "28", mais do que um simples meio de transporte, é uma forma original de passear por Lisboa e conhecer a sua história. Até para quem aqui vive.

Informações úteis

Transporte
O eléctrico 28 realiza o percurso Campo de Ourique/Prazeres - Martim Moniz e em alguns horários apenas entre a Graça e os Prazeres (o itinerário de maior interesse e beleza), em intervalos de aproximadamente 15 minutos. Um bilhete normal da Carris custa € 1; Para quem pretende entrar e sair várias vezes do eléctrico é conveniente comprar um bilhete de um dia, que custa
€ 2,75. Fora das carreiras regulares, a Carris oferece ainda dois serviços de "Eléctricos de Turismo" através das zonas históricas da cidade (Alfama, Graça, Baixa, Estrela, Sétima Colina, Belém) em eléctricos do século XIX restaurados. São circuitos de 1h30 por bairros tradicionais, com início na Praça do Comércio, num eléctrico do início do século e com uma guia intérprete a acompanhá-lo. Preços: €16 (adulto); €8 (crianças 4-10 anos).

A visitar
Entre os vários monumentos/atracções emblemáticas de Lisboa que pode visitar quando realizar um percurso a bordo do eléctrico 28 destacam-se: o Panteão Nacional (Campo de Santa Clara, Tel. 21 885 48 20. Aberto de terça a domingo, das 10 às 17h); a Igreja e Mosteiro de São Vicente de Fora (Largo de São Vicente, Tel. 21 882 44 00. Aberto de terça a sexta, das 9 às 18h; sábado, das 9 às 19h; e domingo, das 9 às 12h30 e das 15 às 17h); a Feira da Ladra, no Campo de Santa Clara, realiza-se todas as terças e sábados); a Sé Catedral de Lisboa (Largo da Sé, Tel.: 21 886 67 52. Aberta aos domingos, segundas e feriados das 9 às 17h; De terça a sábado, das 9 às 19h); e a Basílica da Estrela (Largo da Estrela, Tel.: 21 396 09 15; Aberta todos os dias das 8 às 13h e das 15 às 20h). A não perder também o Miradouro de Santa Luzia (Largo de Santa Luzia/Rua do Limoeiro), o Miradouro de Santa Catarina (Rua de Santa Catarina ao Calhariz) e o Jardim da Estrela. Destaque ainda para a visita à Fundação Ricardo Espírito Santo (Largo das Portas do Sol, 2, Tel: 21 888 19 91; Aberto de terça a domingo das 10h00 às 17h00. Entrada: € 5. Visitas guiadas por marcação) e ao Museu do Chiado (Rua Serpa Pinto, 4-6, Tel: 21 301 16 75. Aberto de quarta a domingo, das 10 às 18h; terça, das 14 às 18h. Entrada: € 3

Fonte: Rotas & Destinos

 

Português

 A Cache

 A cache está escondida nas imediações do Cemitério dos Prazeres, início/términus da carreira 28. É a primeira de uma série, feita em parceria com o Bargão Henriques. A ideia é dele!

A cache é Traditional. Um container Nano. Pelo menos, não tem gaitinhas...

A cache encontra-se em lugar seguro, acessível em cadeira de rodas, mas prestem muita atenção ao trânsito ao atravessar a estrada, porque as ruas adjacentes são muito movimentadas. Atravesse SEMPRE na passadeira. Não queremos Geocachers Temporariamente Desactivados ou mesmo Arquivados.

 

English

 The Hunt

 The cache is hidden near the Prazeres Graveyard, where the 28 tram begins and ends it’s journey. It’s the first of a saga co-created by Bargão Henriques who had the idea. It’s a Traditional Nano cache. At least it doesn’t have blowthingies…

The cache is hidden in a safe place, accessible in a wheelchair, but pay attention to the traffic when cross the street, it’s quite busy. Use ALWAYS the pedestrian cross. We don’t want Geocachers Temporarily Disabled or even Archived.

GeoPT.org - Geocaching Portugal

Additional Hints (Decrypt)

[PT]: Fr arprffvgnerz Urycqrfx, yvthrz-zr, b zrh aúzreb é b 213960391 r rfgbh qvfcbaíiry 24 ubenf cbe qvn.
[ENG]: Vs lbh arrq fbzr uryc, tvir zr n pnyy, zl ahzore vf 213960391 naq V’z ninvynoyr 24 ubhef n qnl.

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



 

Find...

888 Logged Visits

Found it 603     Didn't find it 157     Write note 39     Archive 2     Needs Archived 2     Unarchive 1     Temporarily Disable Listing 32     Enable Listing 31     Publish Listing 1     Needs Maintenance 10     Owner Maintenance 5     Post Reviewer Note 5     

View Logbook | View the Image Gallery of 83 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated:
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.