Skip to Content

Multi-cache

Estela de Bensafrim [Tartéssia]

A cache by almeidara Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 8/3/2007
In Faro, Portugal
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
2 out of 5

Size: Size: regular (regular)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


CIVILIZAÇÃO TARTÉSSICA

Sudoeste da penísula Ibérica, na última fase do bronze final, por volta de 700 a.C., é um estado muito conhecido, com uma enorme riqueza mineira, os autores clássicos escreveram sobre ele, com enorme respeito e admiração. Tartessos era rico em ouro, prata e outros minerais. Cedo estabeleceram relações comerciais com povos do Mediterrâneo e do Atlântico.

Este reino teria tido uma região nuclear e uma região mais vasta periférica, dependente do núcleo—Alentejo, Algarve, Andaluzia Ocidental e Estremadura espanhola.

Habis terá sido o primeiro monarca de Tartessos, era um rei poderoso, fez um conjunto de leis para regular e unir o seu povo. A agricultura e a pastorícia estavam muito desenvolvidas, as condições de vida melhoraram. A população estava distríbuida por sete cidades, o centro mais antigo e importante teria sido Cerro Salomon em Rio Tinto. Huelva passaria a centro no séc. VII a.C. A população do primeiro centro deveria ser céltica. A tendência foi deslocarem-se das montanhas para as planícies, onde a vida era mais fácil.

Os contactos comerciais com as colónias gregas do Mediterrâneo Oriental, deram origem a profundas aculturações, como por exemplo, terem adaptado o alfabeto grego, as lápides funerárias, etc. Os túmulos eram rectangulares, justapostos, alguns com uma moldura em círculo mais ampla. As oferendas eram compostas de vários objectos orientais: anéis com escaravelhos (de Naucratis), vasos rituais obeloi, armas diversas, aros de rodas de carros, jóias, etc. Os rituais religiosos e fúnebres também mudaram, só a aristrocacia e os heróis tinham direito a enterros magnifícos.

Esta civilização, a primeira na peninsula, está envolto em muitas lendas e histórias. Foi possívelmente Társis, para onde foge Jonas antes de ser engolido por um "grande peixe". Teria sido a origem dos Povos do Mar, invasores da Anatólia, Palestina, Chipre e Egipto. No final da idade do Bronze, foram responsáveis pela destruição de antigos domínios, como o império Hitita. Os relevos de Medinet-Habu, no Egipto, mostram que os seus barcos eram superiores aos egípcios, que sugere que eram povos essencialmente marinheiros, com perfeito domínio das tecnicas de navegação. Recentemente surgem teorias que associam a Tartéssia à lenda da Atlantis. A localização desta cidade lendária seria perto de Cadiz, na margem sul do rio Guadalquivir, centro da Tartéssia.

Esta civilização entrou em declinio quando os povos vizinhos, com os quais faziam trocas comerciais, perceberam que podiam estabelecer essas mesmas trocas entre sí. Perdendo a sua importância a Tartéssia desaparece, tornando-se a Turdetânia, mais um pequeno reino, inicialmente descrito por Strabo ainda existente na península a quando da invasão Romana.

ESCRITA CÓNIA

Descendentes da Tartéssia, encontram-se os Cónios. É destes que temos a primeiro registo de escrita de toda a península Ibérca, certamente de ascendência Tartéssica - a estela, ou Heroum,  de Bensafrim.

No mapa ao lado podemos ver a localização de Conistorgis, cuja tradução literal é "cidade real dos Coni", a norte de Ossonoba (actual Faro) e de Gades (actual Cadiz) com a inscrição "Gades vel Tartessus".

Em 1882, foi descoberta na Fonte Velha de Bensafrim, pelos arqueologos Estácio da Veiga e Santos Rocha, uma pedra arenisca (na realidade partida em três partes) de 1,34x0,65x0,15 metros. Neste momento encontra-se no Museu Municipal de Figueira da Foz.

Sua escrita está gravada a cinzel entre linhas rectas, formando um rectângulo desenvolvendo-se da direita à esquerda sete vezes, como em espiral rectilíneo. Seu texto é todo seguido, e composto de 75 caracteres.

Cuja tradução é: "LAMENTAMOS BEM ESTE NOBRE PROPRIETÁRIO RABEDD NESTE LUGAR LAMENTAMOS NA VERDADE UM HEROI ! AQUI NÓS O CELEBRAMOS. ELE, DEU A NÓS, TODOS OS SEUS BENS AGRÍCOLAS E EI-LO AQUI."

CACHE

Esta cache pretende levá-lo a ver a estela, ou melhor uma réplica sua, e depois disso ao lugar de Fonte Velha, onde ela foi encontrado. Os dois pontos distam cerca de 2km e existe caminho até 200m da cache.

Nas coordenadas publicadas, encontrará a estela. Procure no vidro protector "CL Securit ...... 0X", em que X é um dígito. As coordenadas finais são:
In the publish coordinates you will find the replica of the stone with the oldest Iberian wrighting. Look at the glass for "CL Securit ...... 0X", where X is a number. Then:

X=1    vá a / goto N 37° 09.774 W 008° 45.425
X=2    vá a / goto N 37° 09.822 W 008° 45.435
X=3    vá a / goto N 37° 09.854 W 008° 45.339

Bensafrim encontra-se no final da A22 (ou via do Infante). Perto da cache final terão uma vista da vila, espero que gostem.

Additional Hints (Decrypt)

Qronvkb qnf crqenf
Haqre fgbarf

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



 

Find...

136 Logged Visits

Found it 125     Didn't find it 4     Write note 2     Publish Listing 1     Needs Maintenance 3     Owner Maintenance 1     

View Logbook | View the Image Gallery of 45 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated: on 11/15/2017 3:33:36 PM (UTC-08:00) Pacific Time (US & Canada) (11:33 PM GMT)
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page