Skip to Content

This cache has been archived.

btreviewer: Esta cache foi arquivada por falta de uma resposta atempada e/ou adequada perante as situações relatadas. Relembro a secção das guidelines sobre a manutenção http://support.groundspeak.com/index.php?pg=kb.page&id=307#maint :

[quote]
You are responsible for occasional visits to your cache to maintain proper working order, especially when someone reports a problem with the cache (missing, damaged, wet, etc.). You may temporarily disable your cache to let others know not to search for it until you have a chance to fix the problem. This feature is to allow you a reasonable amount of time – normally a few weeks – in which to check on your cache. If a cache is not being maintained, or has been temporarily disabled for an unreasonable length of time, we may archive the listing.

Because of the effort required to maintain a geocache, we ask that you place physical caches in your usual caching area and not while on a vacation or business trip. It is best when you live within a manageable distance from the cache placements to allow for return visits. Geocaches placed during travel may not be published unless you are able to demonstrate an acceptable maintenance plan, which must allow for a quick response to reported problems. An acceptable maintenance plan might include the username of a local geocacher who will handle maintenance issues in your absence.[/quote]

Como owner, se tiver planos para recolocar a cache, por favor, contacte-me por [url=http://www.geocaching.com/email/?u=btreviewer]e-mail[/url].

Lembro que a eventual reactivação desta cache passará pelo mesmo processo de análise como se fosse uma nova cache, com todas as implicações que as guidelines actuais indicam.

Se no local existe algum container, por favor recolha-o a fim de evitar que se torne lixo (geolitter).

Obrigado

[b] btreviewer [/b]
Geocaching.com Volunteer Cache Reviewer

[url=http://support.groundspeak.com/index.php?pg=kb.page&id=77][i][b]Work with the reviewer, not against him.[/b][/i][/url]

More
<

Fernão Mentes? Minto.

A cache by SamPT Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 03/11/2008
Difficulty:
1 out of 5
Terrain:
1 out of 5

Size: Size: micro (micro)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


"-Fernão Mentes? Minto." - O aventureiro Explorador

 
Quem foi?
 
Fernão Mendes Pinto (Montemor-o-Velho, 1509 — Almada, Pragal 8 de Julho de 1583) foi um aventureiro e explorador português.

Passa por ter feito parte da primeira expedição portuguesa que logrou alcançar o Japão, em 1543, sendo como tal um dos responsáveis pela introdução das armas de fogo naquele país.

Ainda pequeno, um seu tio levou-o para Lisboa onde o pôs ao serviço na casa de D. Jorge de Lencastre, Duque de Aveiro, filho do rei D. João II. Manteve-se aqui durante cerca de cinco anos, dois dos quais como moço de câmara do próprio D. Jorge, facto importante para a comprovação da sua descendência de uma classe social que contradizia a precária situação económica que a família então detinha.
 

Em 1537, parte para a Índia, ao encontro dos seus dois irmãos. De acordo com os relatos da sua obra Peregrinação, «foi durante uma expedição ao mar Vermelho em 1538, Mendes Pinto participou num combate naval com os otomanos, onde foi feito prisioneiro e vendido a um grego e por este a um judeu que o levou para Ormuz, onde foi resgatado por portugueses.

Acompanhou a Malaca Pedro de Faria, de onde fez o ponto de partida para as suas aventuras, tendo percorrido, durante 21 acidentados anos, as costas da Birmânia, Sião, arquipélago de Sunda, Molucas, China e Japão. Numa das suas viagens a este país conheceu S. Francisco Xavier e, influenciado pela personalidade, decidiu entrar para a Companhia de Jesus e promover uma missão jesuíta no Japão.

Em 1554, depois de libertar os seus escravos, vai para o Japão como noviço da Companhia de Jesus e como embaixador do vice-rei D. Afonso de Noronha junto do daimyo de Bungo. Esta viagem constituiu um desencanto para ele, quer no que se refere ao comportamento do seu companheiro, quer no que respeita ao comportamento da própria Companhia. Desgostoso, abandona o noviciado e regressa a Portugal.

Com a ajuda do ex-governador da Índia Francisco Barreto, conseguiu arranjar documentos comprovativos dos sacrifícios realizados pela pátria, que lhe deram direito a uma tença, que nunca recebeu. Desiludido, veio viver para o Pragal em Almada onde comprou uma pequena quinta para viver com a família. Terra onde se manteve até à data da sua morte. Fernão Mendes Pinto, homem respeitado e admirado por todos, foi um dos Juizes da Vila de Almada entre 1572 e 1577. Foi aqui também que se dedicou a escrever, entre 1570 e 1578, a obra que nos legou, a sua inimitável Peregrinação. Esta só viria a ser publicada 20 anos após a morte do autor, receando-se que o original tenha sofrido alterações às quais não seriam alheios os Jesuítas.

Deixou-nos um relato tão fantástico do que viveu (a Peregrinação, publicada postumamente em 1614), que durante muito tempo não se acreditou na sua veracidade; de tal modo que até se fazia um jocoso dito com o seu nome: Fernão Mendes Minto, ou então ainda: Fernão, mentes? Minto!
 

a estátua em sua homenagem

 

a paragem do bus, também feita em sua homenagem

 
Onde terminou os seus dias...
 

Fernão Mendes Pinto, veio viver para o Pragal em Almada onde se mantive até ao fim dos seus dias. Até 1878 o Pragal pertenceu à Freguesia de Santa Maria de Almada, tendo esta sido extinta, foi incluída na Freguesia de Almada. Não há certeza de datas quanto à origem do Pragal, no entanto pensa-se que a povoação é anterior ao Séc. XVI.

A principal actividade económica no Pragal foi a agricultura, isto até ao Séc. XIX, momento a partir do qual se assistiu a uma enorme transformação económica da região, em consequência de doenças que afectaram a cultura da vinha. Deste modo, a população predominantemente agrícola passou a organizar a sua economia no desenvolvimento de pequenas indústrias (Saboaria e Cerâmica de barro vermelho) e do comércio local ou mesmo optando por emigrar. A transformação económica, social e cultural era inevitável, a sua evidência era observável na modificação das habitações de tipo rural para residências onde moravam uma ou mais famílias operárias que cultivavam pequenas hortas agregadas às residências só assim conseguindo superar os reduzidos salários que recebiam naquela época. Já no Séc. XX, anos 20, 30 assiste-se a uma degradação progressiva das habitações sem que fosse dada qualquer atenção às necessidades da região. Chegados a 1974, altura em que estas questões se tornaram relevantes, foram instaladas novas redes de águas e de esgotos, pavimentados os arruamentos e arranjados muitos edifícios. Para isto e após o 25 de Abril, assistiu-se à organização e a Câmara Municipal associados a uma forte intervenção popular possibilitou que se preservasse e valorizasse as marcas culturais do Pragal.

 

a famosa Rua Direita nos dias de hoje

 
Os seus feitos...
 

Peregrinação é uma obra literária chamada de literatura de viagem, próxima do que se poderia chamar crónica de viagem ou diário. É o livro de viagens da literatura portuguesa mais traduzido e famoso. Foi publicado em 1614, pelos prelos de Pedro Crasbeeck, 20 anos após a morte do autor, como já foi referido

A obra trata da chegada e da estadia de Fernão Mendes Pinto no Oriente, pois a sua vida foi uma epopeia partilhada entre aventuras, naufrágios e lutas nos mares do Extremo Oriente, nomeadamente, Abissinia, Arábia, Malaca, Samatra, Java, Etiópia, Índia, Sião Pegú, China e Japão, tendo sido treze vezes preso e dezassete vendido, umas vezes em missões políticas outras de evangelização. O que mais chama a atenção é o seu conteúdo exótico. O autor é perito – diz-se mesmo que pintor – na descrição da geografia da Índia, China e Japão e da etnografia: leis, costumes, moral, festas, comércio, justiça, guerras, funerais, etc. Notável é também a previsão da derrocada do Império Português, corroído por muitos vícios e abusos.
Assim pois apresenta-nos o relato das expedições dos descobridores e conquistadores portugueses. A imagem dos navegadores portugueses que perpassa nesta obra é sobretudo picaresca, assumindo-se o herói como um anti-herói, capaz das piores façanhas para lograr os seus objectivos, geralmente pilhar e roubar as populações nativas para enriquecer e regressar à pátria.

Ele eclara que são três os objectivos que o levaram a escrever o livro: dar a conhecer os seus trabalhos aos filhos (função autobiográfica), encorajar os desesperados e os que se vêem em dificuldades (função moral), ter quem dar graças a Deus (função religiosa).

a Obra de Fernão Mendes Pinto

 

uma passagem da sua grande obra

 
A Cache:
 
[PT]

Esta cache é uma micro que se encontra escondida no largo onde se encontra a estátua.
Como sendo uma cache urbana que é recomenda-se todo o cuidado e descrição durante a sua busca.
Esta é uma cache NO TRADE.

 
[EN]

This is a traditional micro cache hidden near the statue of Fernão Mendes Pinto.
Stealth is required in the search for the cache,
Its a NO TRADE cache.

Cache original por fpaulos

Original cache by fpaulos

GeoPT.org - Geocaching Portugal

Additional Hints (Decrypt)

212747098

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



 

Find...

479 Logged Visits

Found it 426     Didn't find it 26     Write note 9     Archive 1     Temporarily Disable Listing 3     Enable Listing 2     Publish Listing 1     Needs Maintenance 8     Owner Maintenance 2     Update Coordinates 1     

View Logbook | View the Image Gallery of 43 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated:
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.