Skip to Content

This cache has been archived.

Callaeci: Fim de vida

More
<

Lagar dos Mouros (Rota S.Bento e Marancinho)

A cache by Callaeci Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 5/25/2009
Difficulty:
2 out of 5
Terrain:
2.5 out of 5

Size: Size: micro (micro)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:




O Pedestrianismo é a actividade desportiva de percorrer distâncias a pé. O  pedestrianismo procura os caminhos tradicionais e de montanha, no meio rural, nos interiores e nas faixas costeiras e às vezes, também, nos parques de cidade, tornando-se uma prática desportiva acessível a todos. Para facilitar a sua prática foram criados os percursos pedestres sinalizados que têm por finalidade conduzir os praticantes que os percorrem de forma que estes não se percam.
Venham até Amarante percorrer os dois percursos pedestres homologados. Apesar de serem independentes, quase se tocam numa parte do percurso, pelo que podem ser percorridos como um só percurso em forma de 8. Poderão começar em qualquer parte do percurso e seguir no sentido horário ou anti-horário: estão marcados nos dois sentidos. No total terá percorrido cerca de 18km. Mesmo assim, aconselhamos que a caminhada tenha inicio num dos pontos de partida de cada percurso. Levem agua e alimentos. Poderá não ser fácil encontrar durante a caminhada. Por onde caminhar, traga consigo apenas fotografias, deixe somente pegadas...





O PR1 “Rota do Marancinho”, no concelho de Amarante, deve a sua designação ao facto de uma boa parte do percurso se desenrolar junto à ribeira com o mesmo nome, por um lado, e, por outro, porque o topónimo “Marancinho” (Marãozinho) faz lembrar o Marão, uma das grandes referências do património natural desta região.
Com início e termo junto à igreja românica de Gondar e desenvolvendo-se em território das freguesias de Gondar, Lufrei e Vila Chã, este percurso, de mais de seis quilómetros, faz-se, em grande parte, por caminhos e veredas ancestrais, incluindo um belo troço da antiga via romana que, por Amarante, ligava Tongobriga (perto de Marco de Canavezes) ao santuário rupestre de Panóias (a escassos quilómetros da cidade de Vila Real).
Alternando entre o vale e a montanha, decorrendo ora por entre culturas e pastagens, ora por entre matagais e pequenos bosques de pinheiros, sobreiros e castanheiros, o itinerário integra, não apenas uma fauna e flora rica e variada, mas também vários exemplares do património histórico-cultural da região, alguns deles classificados, destacando-se a igreja românica de Gondar e os vestígios da milenar via romana. A Rota do Marancinho, sublinhe-se, constitui um percurso registado e homologado pela Federação de Campismo e Montanhismo.

Caracteristicas:
Nome: PR1- Rota do Marancinho
Local: Mosteiro de Gondar - Amarante
Tipo de percurso: Desportivo, Histórico-cultural, ambiental e paisagístico.
Distância: 6 km em circuito
Duração: Cerca de 2 horas
Grau de dificuldade: Fácil

O PR2, Rota de São Bento, com início na praia fluvial de Rua, Aboadela, desenvolve-se ao longo de 12 km, abrangendo as freguesias de Sanche, Olo,  Vila Chã e Gondar.
Após a passagem pela freguesia de Sanche, chegamos ao lugar de Cruzeiro, Gondar. O percurso passa por um antigo troço da via romana, junto à ribeira de Marancinho, onde se pode ainda observar um pontão romano sobre a ribeira e umas dezenas de metros da via, amparada, devido à inclinação do terreno, por um robusto muro de suporte. A via seguia por Sanche, transpondo o rio Ovelha no lugar de Rua, para depois atravessar o Marão pela Lameira e continuar em direcção a Panóias.
Seguidamente, um caminho íngreme, aberto recentemente, leva-nos ao topo da montanha, a 550 metros de altitude, no lugar dos Picotos.
Chegados ao cimo, avistando já terras de Basto a um lado e, numa sucessiva ondulação de relevos, as serras do Marão e Aboboreira a outro, seguimos pelo cume da colina até entrar, uns 1500 metros à frente, num secular caminho, provavelmente dos finais da Idade Média, enriquecido por uma fauna e flora diversificadas e onde poderemos, com um pouco de sorte, ser surpreendidos por algum esquilo trepando velozmente o tronco de uma árvore ou observar a terra remexida, durante a noite, pelos javalis na procura dos seus alimentos. No final deste simpático caminho e depois de passar pelas ruínas duma vetusta estalagem que servia de apoio aos viajantes e almocreves na sua longa e dura travessia do Marão, sobe-se, por um caminho aberto sobre a antiga via medieval, até à capela de S. Bento, onde, perante uma deslumbrante paisagem sobre o vale de Aboadela e as encontras agrestes da serra do Marão e rodeados por uma vegetação autóctone onde predomina a carqueja, o tojo e a urze, podemos, numa atitude terapêutica, recuperar as forças e retemperar o espírito para o resto da caminhada.
Depois, por caminhos florestais que serpenteiam a encosta, inicia-se a descida para o vale de Aboadela até entrar, já no vale, num velho trilho que, em ambiente bucólico por entre campos laboriosamente trabalhados, nos leva até às águas puras e cristalinas do rio Ovelha. Atravessado o rio e o IP4, chega-se finalmente, a um dos pontos altos deste percurso – o lugar da Rua, ou melhor, Ovelha do Marão. Este lugar, cujas origens se perdem no tempo, é o mais emblemático deste percurso. Carregado de história e de estórias, constitui um conjunto arquitectónico que pela sua simplicidade e rusticidade surpreende qualquer visitante. Sede de Ovelha do Marão que, em tempos, já foi beetria, honra e concelho, conserva, no seu pelourinho, símbolo da autonomia local, constituído por uma coluna cilíndrica assente numa base com três degraus de acesso e encimada por um tabuleiro quadrangular sobre o qual pousa o remate em forma piramidal, num cruzeiro seiscentista, na ponte de estilo românico, na fachada de uma pequena capela renascentista e na antiga Casa da Câmara, as memórias desse passado de glória.
Terminada a visita a este histórico lugar, regressamos ao ponto de partida.

Caracteristicas:
Nome: PR2 - Rota de S. Bento
Local: Rua Aboadela - Amarante
Tipo de percurso: Desportivo, Histórico-cultural, ambiental e paisagístico.
Distância: 12 km em circuito
Duração: Cerca de 3 horas
Grau de dificuldade: Médio


A cache

Pequeno contentor de plástico. Levem com que escrever. Deixem conforme encontraram. Divirtam-se!



Caches que podem encontrar ao longo da Rota de Marancinho e S. Bento
A Caminho do Picoto

Aboadela
Aboadela (Amarante)
Antiga Estalagem
Bosque
Casa do Guarda
Depósito da Agua
IP 4
Lagar dos Mouros
Marãozinho

Quinta do Marancinho
Picoto
Ribeiro de Marancinho
Rio Ovelha
Sabor do Marão
Sanche
S. Bento
Terras de Basto
Via Romana




Additional Hints (No hints available.)



 

Find...

90 Logged Visits

Found it 83     Didn't find it 1     Write note 1     Archive 1     Publish Listing 1     Needs Maintenance 2     Owner Maintenance 1     

View Logbook | View the Image Gallery of 24 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated:
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.