Skip to Content

This cache has been archived.

cmatos: Esta cache já teve 6 containers, sempre em locais diferentes, alguns que me deram bastante trabalho a construir, mas infelizmente ao fim de mais ou menos tempo desaparecem. Começo a pensar que alguém coleciona containers, até porque este último não era fácil um mugle dar com ela!
Pela primeira vez vou arquivar uma cache.
Xau e adeus...

More
<

Pedro Álvares Cabral [Mangualde]

A cache by cmatos Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 05/22/2009
Difficulty:
2.5 out of 5
Terrain:
1 out of 5

Size: Size: other (other)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Pedro Álvares Cabral [Mangualde]

Automatic ENGLISH TRANSLATION here.

"O Senhorio de Mangualde pertenceu à família Cabral depois que a Álvaro Gil Cabral, avô de Pedro Álvares Cabral, foram dadas as terras de foro e herdade, que a coroa ali possuía. Esta doação premiou a conduta de Álvaro Gil Cabral, que se manteve fiel a D. João I, na crise da nacionalidade que sucedeu à morte de D. Fernando. Este mesmo Álvaro Gil Cabral era genro de Diogo Afonso de Figueiredo, a quem D. Fernando e D. Leonor Teles haviam feito mercê, em 13-12-1379, da Quinta de Santo André, nos limites de Azurara da Beira. Em carta régia de 1437, D. Duarte confinou a mercê daquela Quinta a Fernão Cabral, pai daquele ousado navegador, que também foi alcaide-mor da Vila.

A vila, hoje cidade, nasceu à volta de dois primitivos bairros - o primeiro genericamente designado por “Vila” ou “Cabo da Vila” era onde se desenrolava toda a vida social e se encontravam todos os serviços e o pelourinho.

No século XVI foi aí construída uma torre, onde mais tarde se colocou o mecanismo do relógio, passando a designar-se por “Torre do Relógio Velho”."

Texto retirado da página da Freguesia de Mangualde

Pedro Álvares Cabral tem hoje em Mangualde o seu nome ligado a um largo que fica precisamente na zona mais antiga da Cidade, junto ao seu berço, o bairro Cabo da Vila, hoje chamado de bairro do Relógio Velho. Sendo um dos mais bonitos da cidade aqui se cruzam o passado e o futuro, o velho e o novo, o antigo e o moderno. Na vista aérea abaixo, por forma a proporcionar uma visita mais cuidada e informativa, identifico os lugares que considero mais relevantes.

Vista aérea

A - Palácio dos Condes de Anadia (conhecido como "O Palácio dos Condes"). Típico solar beirão um dos mais belos exemplares do género. Construído em meados de setecentos ao longo de boa parte do séc. XVIII nos terrenos da grande cerca contígua, é obra dos fidalgos Pais do Amaral que a partir deste século (XVIII) se tornam família de relevo em Mangualde. Apresenta o palácio quatro fachadas todas dignas destacando-se a fachada principal, de grande harmonia. A rasgá-la estão duas filas de janelas, sendo as do piso superior com decoração de concha de tipo "rocaille". No corpo central, porta brasonada e varanda com janela alta. Grande átrio abobadado e rasgado por um arco que antecede a escadaria nobre (uma das mais ricas do país, com azulejos retractando cenas mitológicas). É Simão Pais do Amaral quem ultima a parte arquitectónica do edifício. É magnifico o interior desta mansão, estando revestida de excelente azulejaria e mobiliário característicos da época. A capela de S. Bernardo, anexa ao palácio, na face norte, vinda do séc. XVIII, sofreu alterações em 1683, 1812 e 1819 conservando hoje o seu retábulo primitivo com um S. Bernardo pintado por W. Machado.

Foi classificado Imóvel de Interesse Público através do Dec. 95/78, Diário da República 210, de 12 de Setembro, e pode ser visitado, bastando para isso tocar à campainha na porta principal.

B - Bairro do Relógio Velho. Foi aqui o berço de Mangualde. Um pouco descaracterizado por algumas construções de traço moderno, mantém ainda as suas ruelas estreitas e casas típicas da Beira Alta. Pena é que a Torre não seja visitável, não se sabendo muito bem se é particular ou pública (hoje está no interior de uma propriedade privada, mas nem sempre foi assim) e já não ostenta o relógio que deu o nome ao bairro, pois ao que apurei este foi em tempos removido para restauro, que nunca veio a acontecer já que quem se ofereceu para o fazer faleceu entretanto, instalando-se depois a indefinição sobre a pertença do imóvel.

C - Pelourinho. Não é de traça antiga, parecendo-me a mim invocar a época dos descobrimentos com a sua esfera armilar e cruz no topo.

D - Trecho de calçada Romana. Abundam pela região troços mais ou menos conservados das antigas vias romanas que cruzavam as terras de Azurara. Também neste largo existe um pequenino trecho que foi poupado aquando da requalificação e que atesta a importância destas paragens desde tempos imemoriais.

E - Fontanário. Originalmente construído junto ao antigo edifício dos Bombeiros Voluntários na Avenida da Liberdade, foi para aqui transladado aquando da construção de um prédio de apartamentos e mais tarde foi-lhe acrescentado o grande tranque em betão. Jogos de luz e água, fazem dele principalmente à noite um dos mais bonitos de entre os vários espalhados pela cidade.

F - Parque de lazer. O primeiro do género construído no distrito de Viseu, serve simultaneamente as crianças, os jovens e os menos jovens. Um local para toda a família fazer um pouco de exercício.

G - O Canhão que estava neste local foi entretanto removido e inserido num conjunto escultórico de homenagem aos combatentes numa rotunda junto da A25 (N 40º 36.957 / W 007º 45.556), de qualquer maneira mantenho a descrição para memória futura. (Monumento aos combatentes do Ultramar. Canhão oferecido pelo Exército Português que provocou alguma fleuma aquando da sua implementação pois ninguém queria o dito virado na sua direcção, acabando voltado para a "Mata dos Condes").

H - Porta principal de entrada na "Mata dos Condes". Uma enorme e magnífica mancha florestal, pertença dos Condes de Anadia e por isso (infelizmente) vedada ao público. No entanto, com devida autorização é possível usufruir daquele espaço para realização de algumas actividades lúdicas.

Como certamente já deram conta, o objectivo desta cache é dar-vos a conhecer alguns recantos mais desta cidade hospitaleira que é Mangualde. Trata-se de uma cache Micro-Pequena / Nano-Grande, contendo apenas uma "Stash-Note" e um pequeno "Log-Book", não contendo material de escrita. O local pode por vezes estar muito movimentado, ou mesmo ocupado, por isso sejam discretos nas buscas. Para ajudar existe uma esclarecedora Hint e uma foto Spoiler.

Nota - Não esquecer que nesta zona também tem inicio uma Multi-Cache "Passeio por Mangualde (GC1R94Z)" do PtGoofy que o leva a outros recantos de Mangualde.

Por favor, deixe a cache no exato lugar onde a encontrou.

Seja discreto.

Additional Hints (Decrypt)

[PT]-Qronvkb qn cbagr. Zntaégvpn.
[EN]-Haqre gur oevqtr. Zntargvp.

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Return to the Top of the Page

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.