Skip to Content

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.

Multi-cache

Mareadouro da Escada

A cache by ShadowLord and BIGWIG-pt Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 5/31/2009
Difficulty:
2.5 out of 5
Terrain:
4.5 out of 5

Size: Size: small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:





Uma pequena aula de geologia (quase que podia ser uma earthcache...)

O território nacional compreende três unidades fundamentais, distintas estruturalmente e cronologicamente. São elas:
Maciço Hespérico, Orlas Mesocenozóicas Ocidental e Meridional e Bacia Cenozóica do Tejo e do Sado.

O Maciço Hesperico também designado maciço antigo ou maciço ibérico, caracteriza-se por ser uma região que, desde o Paleozóico, está emersa e desde então sujeita à erosão. É formado por terrenos antigos, anteriores à deriva continental meso-cenozóica. São conhecidas rochas metamórficas, sedimentares e magmáticas com idades compreendidas entre o Pré-Câmbrico e o final do Paleozóico.
O Maciço Hespérico está representado em Portugal pelas zonas Galaico-Portuguesa, Centro-Ibérica, Ossa-Morena e Sul-Portuguesa.
A zona sul-portuguesa corresponde à zona subocidental do maciço hespérico onde predominam séries rítmicas areno-pelíticas, nomeadamente xistos e grauvaques - série de flysch do Baixo Alentejo.


Em geologia, chamam-se rochas metamórficas àquelas que são formadas por transformações físicas e/ou químicas sofridas por outras rochas, quando submetidas ao calor e à pressão do interior da Terra, num processo denominado metamorfismo.
As rochas metamórficas são o produto da transformação de qualquer tipo de rocha levada a um ambiente onde as condições físicas(temperatura e pressão) são muito distintas daquelas onde a rocha se formou. Nestes ambientes, os minerais podem se tornar instáveis e reagir formando outros minerais, estáveis nas condições vigentes. Não apenas as rochas sedimentares podem sofrer metamorfismo, as próprias rochas metamórficas também podem, gerando uma nova rocha metamorfizada com diferente composição química e/ou física da rocha inicial. As rochas metamórficas são classificadas em rochas foliadas e rochas não foliadas. Uma rocha foliada é uma rocha que apresenta estruturas planares, em resultado do alinhamento paralelo dos seus minerais, aquando da metamorfização.



O xisto é uma rocha metamórfica foliada que facilmente se divide em lâminas, por os seus elementos constituintes se terem deposto sobrepostos há cerca de 250 milhões de anos, com compressão tectónica posterior. Caracteriza-se por apresentar uma textura formada por uma série de planos. Os minerais que o constituem são em geral filosilicatos, e apresentam dimensões tão reduzidas que não se distinguem a olho nú. A argila metamorfizada, devido ao aumento de pressão e temperatura (metamorfismo), torna-se primeiro um folhelho e em seguida, ao continuar o metamorfismo, passa a ardósia, que vira filito, que finalmente passa a xisto.





A superfície da terra é permanentemente alterada pela acção dos agentes erosivos, também chamados agentes modeladores do relevo, como por exemplo a água das chuvas, o mar, os rios, o vento, o gelo, a temperatura, etc.

A erosão provocada pelas águas dos rios designa-se por erosão fluvial. Um rio é uma corrente natural de água que corre de forma mais ou menos continua, possui um caudal variável e desagua no mar, num lago ou noutro rio. O poder erosivo de um rio será tanto maior quanto maior for o seu caudal e a inclinação de seu leito, que pode sofrer variações ao longo do percurso. Ao longo do seu curso, os rios realizam três trabalhos essenciais para a construção e modificação do relevo:
a) Erosão, ou seja, construção dos leitos.
b) Transporte dos sedimentos, os chamados aluviões.
c) Sedimentação, quando há a deposição dos aluviões e a formação de planícies e deltas.

A erosão provocada pelas águas do mar designa-se por erosão marinha ou abrasão marinha. As zonas costeiras caracterizam-se por uma intensa actividade geológica provocada pelo mar. O movimento das ondas, a subida e descida rítmica do nível das águas resultantes das marés e as correntes marinhas resultantes do movimento das águas de uns locais para os outros da superfície da Terra provocam um profundo desgaste do material da superfície continental em determinadas zonas costeiras e a sua deposição noutros locais, por vezes muito distantes da sua origem.
As vagas, desencadeadas por acção do vento, transmitem até ao litoral a energia que dele recebem e têm a sua acção erosiva grandemente potenciada pelo efeito abrasivo dos materiais (areias, seixos, blocos) que põe em movimento. Em resultado desta acção formam-se os litorais de erosão, caracterizados por arribas, ou falésias alcantiladas, que recuam à medida que aumenta a plataforma litoral ou de abrasão marinha.
Este desgaste, a abrasão marinha, faz-se sentir, sobretudo, na base da escarpa em contacto com o mar, onde o material rochoso é retirado mais intensamente. Esta abrasão descalça a base da arriba, que, por acção do peso das camadas superiores, abate, originando no sopé da arriba um amontoado de blocos rochosos - a plataforma de abrasão. Durante um certo tempo, a plataforma de abrasão retém a abrasão e o desgaste do sopé da arriba até ao momento em que os blocos rochosos se desgastam e o processo de desgaste da base retoma o seu curso normal.



Esta cache leva-vos a visitar estes dois tipos de erosão provocados no xisto. É constituída por dois pontos apresentando cada um deles a respectiva erosão. Para chegarem ao ponto um partam do Ponto de Partida para ESTE, pelo monte. Daqui até à coordenada não há caminho. Tenham cuidado pois o terreno é bastante escorregadio e em caso de chuvas pode mesmo ser bastante difícil de chegar lá (impossível talvez não seja mas molham os pés de certeza). Quando tiverem a segunda coordenada voltem ao Ponto de Partida e continuem daqui para a frente.

Se tiver problemas com alturas não faça esta cache. Também não é boa ideia fazer a cache sozinho, pois está num local isolado e onde não é possível comunicar para o exterior com telemóveis!

Esta cache está no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e da Costa Vicentina. Não se esqueçam então de ajudar a preservar a Natureza e a beleza natural do local, algum lixo que encontrem na praia levem-no para junto dos contentores do parque de estacionamento - Cache In, Trash Out!

Devido ás condições do local esta cache dá trabalho e foi feita mesmo para isso ;)
Boa sorte e divirtam-se.






Much of the south area of Portugal consists of shale. This is the most common rock here.
Across the coast there's an erosion in the rocks, caused by the sea - sea erosion. In some places it is also possible to see the erosion caused by rainwater or by small rivers - river erosion.

This cache takes you to visit this two types of erosion caused in the shale. It consists in two points each one presenting it's type of erosion.
To reach the first stage leave "point of departure" for EAST through the mount. From here there's no path until first stage place. Be careful, as the ground is very slippery and in case of rain can even be quite difficult to get there (perhaps not impossible but certainly you can wet your feet). When you have the second coordinate return to "point of departure" and continue from there on.

If you have dizziness don't do this cache. Nor is it good idea to make the cache alone, as it is in a isolated place where you can't communicate to the outside with cell phones!

This cache is in the Natural Park of Southwest Alentejo and Costa Vicentina. Then do not forget to help preserve nature and natural beauty of the place, any garbage you have find on the beach please take it to the container in the car park - Cache In, Trash Out!

Good luck and have fun!



Quer saber mais sobre o Geocaching em Portugal?
Adere ao grupo de discussão e visita os sites http://www.geocaching-pt.net/,
GeoPorStats
e os mapas com a localização das caches portuguesas

Would you like to know more about Geocaching in Portugal?
Join the discussion group and visit http://www.geocaching-pt.net/,
GeoPorStats and the maps with the location of the portuguese caches

 

Fotografias por/Photos by miguelnduarte.com

Additional Hints (Decrypt)

1-rfdhrpnz b ohenpb,fhonz cryb zbagr,rfgá ab cevzrveb neohfgb.
2-gncnqn pbz hznf crqenf, anf reinf ireqrf.
1-sbetrg gur ubyr, sbyybj guebhtu gur uvyy, vf va n ohfu
2-haqre fbzr fgbarf, va terra ureof

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



 

Find...

129 Logged Visits

Found it 117     Didn't find it 3     Write note 5     Publish Listing 1     Owner Maintenance 3     

View Logbook | View the Image Gallery of 205 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated: on 5/10/2018 2:34:51 AM Pacific Daylight Time (9:34 AM GMT)
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page