Skip to content

Fui à Missa ao Casal Martelo... Traditional Geocache

Hidden : 06/19/2009
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   micro (micro)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Por acaso já alguem lhe disse que tinha ido à Missa ao Casal Martelo? Pois se disse, pode ter a certeza que essa pessoa não cumpriu os seus deveres religiosos!


A Ermida de Casal do Martelo, datada de 1626, necessita urgentemente de obras, pois trata-se de um inegável património histórico de Leiria e do seu Concelho. Até há poucos anos era expressão comum do Concelho Leiriense, a quem não tinha cumprido os deveres religiosos, dizer-se que tinha ido à missa ao Casal Martelo! De facto, ainda se pensa que a Ermida, ou Capela, como outros lhe chamam, não passa de uma lenda, o que não é correcto.


Informação retirade deste Site.




ATENÇÂO: Devido à vegetação, poderá haver um pequeno erro nas coordenadas; É necessária especial atenção caso leve crianças ou animais de estimação, devido à proximidade da estrada.

O "Casal do Martelo" hoje despovoado, fisicamente situado junto à Opeia, Freguesia de Caranguejeira, era, de acordo com as "Memórias Paroquiais de Caranguejeira" constituído em 1758, por 4 fogos e 10 habitantes. Por sua vez, nas "Memórias do Bispado de Leiria", redigidas entre 1605 e 1657, não existe qualquer referência ao povoado ou à Ermida de Casal de Martelo, o que entra em contradição com as provas epigráficas existentes, nomeadamente com a data de 1626 à entrada do Templo. O Templo que em 1758 era pertença de João de Melo, de Leiria, tinha como orago Santa Maria Madalena. Hoje, o templo encontra-se infelizmente, abandonado, pelo que, aqui se faz um apelo para que não se deixe desaparecer o edifício, como se verificou em outras ermidas de Leiria e seu Concelho, caso da de São Guilherme do Pedrome, em Santa Catarina de Serra, cuja localização exacta tem sido extremamente difícil de apurar. De planta rectangular, as paredes do corpo de Ermida, em rocha calcária sobreposta, com saibro nos interstícios e respectivo reboco, suportavam um telhado em madeira, com telhas de canudo. À entrada da Capela-Mor existe um arco de volta perfeita, em calcário lioz, que faz a ligação com a abóbada de berço, em cerâmica, coberta e caiada. A Capela-Mor, foi erigida através de um sistema de madeira, que permitiu a edificação dos arcos, tendo sido retirado após conclusão das obras. Na parede voltada para a estrada, existe uma diminuta janela, com cantaria no exterior, assim como, no interior no interior, um pequeno suporte, também em calcário. A cantaria de acesso à Capela, assim como a da entrada do Templo, que é de calcário lioz, mais duro e, por isso, mais resistente que o usual. Se no primeiro caso dois pilares rectangulares suportam o arco, no segundo suportam a cantaria com elementos escultóricos, à entrada. As portas, agora inexistentes, eram de madeira, como os altares, giravam sobre gonzos e possuíam uma tranca de madeira, por dentro. Por fim, a data, facilmente perceptível como 1626, está provida, no entanto, de 2 letras, "i" e "z" assim como de dois "6", ou seja. "i6z6". O "i" corresponde ao algarismo "1", em notação matemática contemporânea, e o "z" ao 2. De facto, nos séculos XVII-XVIII, era frequente o uso, em simultâneo, de algarismos e letras para representar um determinado numeral, neste caso, uma data.


Informação retirade deste Site.

Caches Próximas:

Vale do Lapedo
A criança que veio do passado [Leiria]

Barroca da Gafaria

Additional Hints (Decrypt)

CG: An cnerqr qb ynqb rfdhreqb, qrageb qr hz ohenpb.

RA: Va gur jnyy va gur yrsg fvqr, vafvqr n ubyr.

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)