Skip to content

Minas de Campo de Jales Traditional Geocache

This cache has been archived.

NSilva & Gorete: Agradecemos a todos quantos visitaram esta nossa Cache. Não há condições para voltar a repô-la.

More
Hidden : 04/04/2010
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   micro (micro)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


MINAS DE CAMPO JALES

 

 

 

Diz-se que as minas de Campo de Jales remontam à época pré-romana. No decorrer dos trabalhos de exploração, foram encontrados diversos objectos da época romana, tais como, machados de bronze, fivelas de bronze, lucernas de barro, uma roldana de madeira, um sarilho destinado a içar do fundo do poço os cestos de minério, um fragmento de casaco, bem como um colete de couro e um vaso ornamentado, de terra sigilata com a própria marca do oleiro "JULLUS", proveniente da oficina de Mantas, meados do século I A.c. Estas peças passaram para a posse da Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar.

 

 

 

 

 

 

Aqui eram extraídos essencialmente o ouro e a prata. A entrada para a mina era feita pela estrutura que ainda podemos apreciar e que manobrava dois elevadores no Poço de Santa Bárbara com 620 metros de profundidade. Esta estrutura, conhecida localmente como a Torre Eiffel de Jales. Próximo temos ainda a enorme e muito poluente escombreira, com uma área de cerca de 8 hectáres, onde foram lançados os estéreis da mina que se calculam em cerca de 5 milhões de toneladas com uma elevada acidez, falta de nutrientes e uma elevada toxicidade em metais pesados e metalóides (arsénio, chumbo, cádmio, zinco e prata).  Estes são alguns dos sinais ainda existentes do que foi outrora uma das mais importantes estruturas mineiras de Portugal.

 

 

 

Naqueles tempos a extracção do minério era feita manualmente, quer nos poços a céu aberto quer nas galerias que atingem as jazidas mais profundas. Na época as galerias de Campo de Jales eram abertas rebentando a rocha dura aquecendo-a e arrefecendo-a bruscamente com água e vinagre e ainda com a ajuda de cunhas de madeira. A média de produção rondava os 25 Kg por mês, nos últimos dois meses de actividade a produção chegou aos 35 Kg. Além do ouro também se extraiam outros metais, tais como, Prata, Chumbo e Enxonfre. A extracção no momento do encerramento atingia os 720 metros de profundidade, em 16 pisos.

 

 

 

 

 

 

O carácter altamente poluidor da extracção destes minérios teve o seu lado negativo, com as inúmeras mortes causadas pelo trabalho nas minas e pelos contaminantes que os afectavam de forma irremediável. É o lado triste e de muito sofrimento de quem ganhava a vida nestas minas e cujos resíduos continuam a afectar a zona que foi alvo de um projecto de requalificação ambiental em 2006. Trata-se de um dos maiores pontos de poluição do ambiente de Trás-os-Montes, com efeitos nocivos nas populações e na fauna, flora e recursos hídricos. A intervenção passou pelo controlo e monitorização de efluentes saídos das escombreiras, bem como a construção de bacias em betão armado para a recepção dos mesmos, afim de serem tratados. A finalidade destes autênticos depósitos destina-se a evitar a dispersão dos corrimentos das escombreiras dado que os resíduos líquidos da escombreira contaminavam terrenos, ribeiros e rios. O Tinhela foi o mais atingido e até no rio Douro foi detectada poluição oriunda das minas de Jales.

 

 

As minas foram desactivadas em 1992 derivado à descida da cotação do ouro, da sua baixa produtividade e da degradação dos equipamentos.

 

 


 

 

ATENÇÃO

 

 

Pedimos que voltem a colocar a Cache no sítio e da forma como a encontraram.

Additional Hints (No hints available.)