Skip to Content

<

Viagem a Marrocos

A cache by zue_pinhel Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 04/29/2010
Difficulty:
3 out of 5
Terrain:
3 out of 5

Size: Size: regular (regular)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:

ATENÇAO :

Por favor tenham atençao aos "muggles" e deixem sempre a cache no sitio onde a encontraram (MUITO CUIDADO NESTE ASPECTO) bem isolada com o plástico que a envolve.

CIDADE DE PINHEL :

A origem da cidade pinhelense é atribuída, sem grande certeza, aos Túrdulos, por volta do ano 500 a.C..
O concelho de Pinhel recebeu foral de Dom Sancho I em 1209, detendo funções de organização militar e jurisdição. Deve-se a D. Dinis a reedificação do Castelo de Pinhel, constituído por duas torres, e a construção da histórica muralha que rodeava a vila da época (actual zona histórica), constituída por seis portas - Vila, Santiago, S. João, Marrocos, Alvacar e Marialva.
Tornou-se sede de diocese e cidade em 1770, durante o reinado de Dom José I, por desanexação da Diocese de Lamego, mas em 1881 a Diocese de Pinhel foi extinta pela Bula Papal de Leão XIII e incorporada na diocese da Guarda.
Pinhel tem como símbolo o Falcão, presente também como distintivo no seu brasão. O Falcão simboliza o patriotismo dos pinhelenses que lutaram pela defesa da independência nacional, numa altura em que estes aderiram ao movimento patriótico do Mestre de Avis e que Portugal estava sob ataques de Castela, nomeadamente na Beira Alta. O falcão foi assim um talismã arrebatado ao rei de Castela por parte dos terços pinhelenses.

Fonte de Marrocos

Segundo a lenda, na característica Fonte de Marrocos, coeva da construção da antiga vila de Pinhel, “habitava” desde então uma “moira”, mulher de raça árabe que não recebeu na fronte a água ilustral do baptismo. É uma mulher estranha que, perdida na multidão, faz as suas compras nas feiras da cidade e depois se recolhe ao seu tugúrio. “Vê” quem passa perto da sua habitação, mas ninguém a vê, esconde-se sob a densa ramagem da hera que decora a fonte. Mas viram-na noutros tempos os olhos de muita gente, que achando estranho procedimento, a seguiram num dia das suas costumadas visitas à feira da vila. Mas quando desciam o caminho que da porta de S. João estabelece a ligação à fonte, a ”moira“ lhes desapareceu da vista, envolta numa nuvem que a fez sumir.

A cache foi criada com o intuito de mostrar alguns dos pontos mais bonitos da cidade quer seja pela sua arquitectura quer seja pelas vistas fantásticas que proporcionam, sendo até o ponto final desconhecido até para alguns dos habitantes da cidade. É preciso resolver 3 "enigmas" antes de se chegar à cache. As informaçoes dos mesmos sao dados no ponto cujas coordenadas eu dispus no site.
No seu conteudo inicial a cache dispôe de um log book, uma caneta e um TB.

Formula da coordenada final

40º46.ABC N 007º03.460 W

A, B e C serão obtidos pela resolução dos "enigmas

Additional Hints (Decrypt)

Qrfpnafn

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Return to the Top of the Page

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.