Skip to content

This cache has been archived.

Team Ribeiro: .....

More
<

O lugar do morto

A cache by jose ribeiro Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 08/14/2010
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
2.5 out of 5

Size: Size:   micro (micro)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:

O Lugar do Morto.
AQUI COLOCA O NOME DA FOTO


moinhos

o

A Brigada de Trânsito, no estudo efectuado para averiguar as causas da sinistralidade rodoviária, apurou o lugar mais mortal dentro de um veículo. «Normalmente, diz-se que o lugar do morto é o que vai ao lado do condutor, no entanto, o nosso estudo vem contrariar esse ditado». Depois da análise dos 903 acidentes, a BT, concluiu que o lugar mais perigoso é o do condutor. Logo de seguida, o perigo passa para os bancos de trás. «Podemos mesmo dizer que o banco mais seguro para viajar de carro é o do passageiro, tradicionalmente designado como lugar do morto»,
O Lugar do Morto foi o maior êxito comercial do cinema português (pelo menos nos anos mais recentes) e não é difícil perceber-se porquê. Num panaroma nacional em que se impunha a ideia (em muitos casos falaciosa...) de que o cinema português oscilava precariamente entre o demasiado banal e o excessivamente pretensioso, o filme de Vasconcelos veio trazer uma lufada de ar fresco, colocando com toda a firmeza a tónica num aspecto que muitas vezes tinha sido negligenciado no nosso cinema mais "esclarecido": a "história". Num cenário de bares, hotéis, comboios, redacções de jornais e interiores de automóveis, estava o ambiente preparado para um argumento que reunia as características do "policial" e do thriller hitchcockiano. Encontros fortuitos, coincidências inexplicáveis, ambiguidades eróticas, suicídio e morte... todos os ingredientes, enfim, de um filme de sucesso, bem enquadrado na sua matriz "americana", isento das pretensões da dramaturgia brechtiana ou outra que fosse. E, em parte, é necessário reconhecer que Vasconcelos se aproximou bastante do ideal que queria alcançar. O filme é detentor de um ritmo invulgar no nosso cinema (os piores momentos mortos são os que pretendem problematizar a relação do protagonista com os filhos); o argumento está construído de modo a prender o interesse do espectador do princípio ao fim; as personagens são imediatamente reconhecíveis como fazendo parte de uma "experiência" alargada com que todos nos conseguimos identificar; e o modo discreto como o cineasta revela e ao mesmo tempo oculta os dados fundamentais da trama dramático-narrativa contribui significativamente para o sucesso do conjunto. Outros elementos que valorizam o filme são a fotografia, a música e o excelente aproveitamento dos exteriores. E ainda, claro está (como muitos espectadores e críticos do filme já salientaram), a "naturalidade" do desempenho dos actores, mormente no que concerne os casos de Ana Zanatti e Pedro Oliveira, onde se vê as vantagens trazidas pela experiência televisiva, no sentido em que transparece uma quase total "desdramatização" no próprio estar à frente de uma câmara de filmar. Ora no caso concreto de Ana Zanatti, não se trata, evidentemente, de pôr em causa uma actriz cuja seriedade do seu profissionalismo já deu provas mais que suficientes; trata-se, antes, de indagar até que ponto a personagem que lhe foi imposta neste filme se adequa à imagem que nós, como espectadores, temos dela. E é neste ponto que as dúvidas surgem, pois Vasconcelos cria um filme que na sua raiz genérica descende dos antigos star vehicles americanos sem ter ao seu alcance (por razões que transcendem a sua responsabilidade e, também, a das duas figuras principais) "materializações visíveis" - isto é, corpos e rostos - para preencher as categorias visadas. Zanatti e Oliveira não são, por si, corpos "carregados" de verdadeiro dinamismo cinemático; e ao colocá-los num filme em que isso é a condição sine qua non, Vasconcelos abre involuntariamente a porta àquilo que teremos de apelidar de adesão condicional da parte do espectador. Quase dez anos volvidos sobre a estreia de O Lugar do Morto, resta-nos verificar que o filão explorado por Vasconcelos neste filme não foi desenvolvido no nosso cinema de forma significativa. Isto é pena, pois há aqui um manancial considerável de elementos positivos que esperam uma continuação criativa e original. Fica a sugestão. Frederico Lourenço (texto adaptado) Cinemateca Portuguesa - Museu do Cinema

Additional Hints (Decrypt)

Ab yhtne qb carh fboerffryragr. B nprffb n pnpur r srvgn cryn cenvn.

n pnpur rapbagen-fr an ontntrven an puncn cbe geáf qb ybpny qr svknpçnb qn puncn qr zngevphyn ahz bevsvpvb

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.