Skip to content

This cache has been archived.

NRSS: Com muita pena....
O local foi demolido... Está tudo em obras... a cache deixa de fazer sentido
Talvez num futuro volte qualquer coisa

More
<

Mens Agit Molem

A cache by NRSS Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 10/05/2012
Difficulty:
2 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Related Web Page

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:

Mens Agit Molem era o lema da "Universidade Moderna".
Esta cache é dedicada a todos os alunos que por lá passaram.

Não é necessário resolver nenhum enigma!
É apenas preciso ir ao local e ler a descrição da cache para encontrar o container final. Com o conhecimento do texto e com o que encontrarem nas coordenadas saberão onde se dirigir para encontrar a cache.
Cuidado com a vizinhança que parece não gostar de geocachers "abelhudos". Não procurem nada no muro/quintal das casas perto.

Reconhecimento oficial [1994]
A Universidade Moderna de Lisboa e a Universidade Moderna do Porto foram reconhecidas pelo Decreto-Lei n.º 313/94, de 23 de Dezembro, tendo como entidade instituidora a cooperativa DINENSINO, Ensino, Desenvolvimento e Cooperação, C. R. L.

A DINENSINO tambem estava autorizada a desenvolver actividades de ensino superior em pólos autónomos em Beja e Setúbal.

Em 2005, a Universidade Moderna do Porto foi transmitida à COFAC, cooperativa titular da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, e redenominada Universidade Lusófona do Porto.

Encerramento [2008]
A Universidade Moderna de Lisboa, bem como as actividades de ensino superior que a DINENSINO desenvolvia em Beja e em Setúbal, foram encerradas compulsivamente pelo Governo, através do Despacho n.º 25 846/2008, de 15 de Outubro, por "falta de viabilidade económico-financeira".

A verdade

A Universidade Moderna foi criada em 1986, por iniciativa de um grupo de professores que saíra em divergência com a Universidade Livre. O reitor nomeado, o professor catedrático, o Magnifico (como era carinhosamente apelidado pelos aluno) José Júlio Gonçalves, estivera ligado, em 1984, à elaboração da moção da Nova Esperança (um grupo de figuras do PSD, com Marcelo Rebelo de Sousa, Santana Lopes e Durão Barroso), de alternativa ao grupo de Pinto Balsemão e Mota Amaral.
Na constituição da cooperativa da universidade, a Dinensino, esteve Nandim de Carvalho,Grão-Mestre da Maçonaria.

Um Projecto Global de Poder
A maioria dos analistas, apontam os anos de 1997 e 1998 como aqueles onde os seus dirigentes desenvolveram de uma forma sistemática uma estratégia que tinha em vista o controlo político do país, usando para tal os enormes recursos financeiros desta Universidade. Recorde-se que o número dos seus alunos que em 1989, pouco mais eram que 800, mas em 1997 ultrapassavam os dez mil em Lisboa, Porto, Setúbal e Beja.

Esta estratégia assentava nas seguintes acções:

1.Contratação de figuras públicas para cargos na Universidade. Estas personalidades eram presenteadas com faustosas benesses (vencimentos desproporcionados das funções que desempenhavam ou trabalhos que realizavam, viagens, carros de luxo, cartões de crédito para despesas ilimitadas, etc).Entre os presenteados destacam-se o arquitecto Troufa Real, Rui Gomes da Silva (do PSD), António Sousa Lara (Vice-Reitor da Universidade), Paulo Portas (primeiro director e responsável pela criação de um centro de sondagens, em 1997) e Pedro Santana Lopes (segundo director do citado centro). Para além destes, diversas outras figuras públicas eram convidadas para docentes ou simplesmente para realizarem trabalhos para a Universidade, sendo remunerados segundo os mesmos faustosos princípios. O tráfico de influências entre o poder político e a Universidade acabou por se banalizar.

2.Ligação à Maçonaria. Os dirigentes desta Universidade não se limitaram a financiar a Maçonaria, mas interferem no seu funcionamento através de grupos organizados. Um dos protagonistas desta acção foi José Braga Gonçalves, filho do reitor e secretário-geral-adjunto da Moderna, que se encontra actualmente sob prisão.

3.Controlo dos meios de comunicação. Esta acção envolvia não apenas a participação no capital de empresas de comunicação social, mas na realização de dispendiosas campanhas publicitárias e a promoção de operações grande impacto mediático.

Os pavilhões:

Pavilhão principal (Cor de tijolo e branco)
Coordenadas
38º 41.664
009º 12.839
– O Edifício cor de tijolo e branco na lateral, era onde estava centralizada a Reitoria, a Secretaria, a Associação de Estudantes, a Sala de Informática, a Rádio, a Livraria, a Reprografia, o Bar, o Centro de Sondagens, o anfiteatro, e as salas de aulas.
Com a expansão física da Universidade, seriam daqui transferidas aulas de cursos específicos para outros edifícios cujas salas fossem melhor adaptadas.

Arquitectura (rosa)
Coordenadas
38º41.670
009º12.749
– O primeiro (e único) edifício da expansão que entrou em funcionamento. (na verdade era constituído por um com 3 telhados e um outro edifício mais alto que se situa logo ao lado a oficina que divide os pavilhões)
Tinha salas adaptadas com excelente luminosidade natural, grandes clarabóias e estiradores. Um mimo para qualquer estudante.
A escadaria interior impressionava (e cansava) e o hall de entrada dava um ar de palácio moderno graças ao grande pé direito e tecto em madeira.

Blocos de salas de aulas (laranja)
Coordenadas:
38º41.677
009º12.725
– O pavilhao principal já so tinha anfiteatros com cadeiras de alta qualidade. Dado o crescente numero de alunos e acréscimos de licenciaturas (como o inovador curso de cinema) era necessário ter maior capacidade de resposta. Este edificio de 4 andares permitiria albergar várias salas adaptadas aos diversos cursos.

AAUML (Azul)
Coordenadas
38º41.661
009º12.742
- Futuras instalações da Associação Académica Universidade Moderna de Lisboa – Esta chegou a ser uma das (senão a) associação de estudantes com maior predominancia no mundo académico das universidades privadas portuguesas tendo muitas relações de proximidade com as suas congeneres das universidades publicas.
Geria a sala de informática, a rádio, e alugava em consessão os espaços da reprografia e livraria.
Este edificio seria destinado à transferencia de todos estes serviços de apoio aos alunos, criação de um novo bar e loja académica. Seria a infraestrutura de topo da gama do mundo académico.

Galeria de Arte (verde)
Coordenadas
38º41.655
009º12.734
- Sendo os edificios propriedade da Camara Municipa de Lisboa, numa forma de cedencia para que a Dinensino pudesse usufruir dos edificios, este pavilhão seria dedicado a uma galeria de arte, sendo o único espaço publico destes blocos.

A CACHE

A cache não tem coordenadas finais publicadas.
A hint é referente ao primeiro local que dará a pista para a localização final do container. O geocacher deve ler o texto e com base na informação perceber onde está a cache.
Espero que não esteja particularmente dificil e que a achem original.

Cuidado ao tentar chegar à cache.
É preciso mais jeito que força.
Voltem a colocar tudo como estava - a posição é importante para ficar tudo "disfarçado" .

Conteúdo inicial:
- Logbook
- Trackable - Tropical Fishy "Pete the puffer fish tag" para incentivar o FTF

Additional Hints (Decrypt)

1 cbagb -N Havirefvqnqr sbv "abgvsvpnqn" fboer b frh rapreenzragb

2 cbagb - Cebphene anf vzrqvnçõrf qr

Rz pnfb qr arprffvqnqr qr UQ pbagnpgb qb bjare: 961012456

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.