Skip to Content

This cache has been archived.

Valente Cruz: A menor disponibilidade para realizar manutenção e o facto de, pelo contexto/esconderijo, a cache se ter revelado demasiado vulnerável, acabam por ditar o fim destas crónicas. Obrigado a todos pelas visitas e pelos registos.

More
<

Crónica da Misteriosa Fuga do Rei Afonso

A cache by Valente Cruz Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 03/11/2013
Difficulty:
3 out of 5
Terrain:
2 out of 5

Size: Size: small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Translation

  

As Caldas de Lafões, também conhecidas como Banho, atuais Termas de São Pedro do Sul, estão intimamente ligadas ao primeiro rei de Portugal. Foi D. Afonso Henriques quem concebeu a carta de foral ao Banho, em 1152, tornando-se assim no primeiro concelho das terras de Lafões. Dezassete anos depois, em 1169, logo após a batalha de Badajoz, enquanto retirava da praça, atacado pelo genro, D. Afonso Henriques fraturou a perna direita ao bater com ela num ferrolho de uma porta. Previsivelmente aconselhado pelos físicos da época, El-Rei decidiu rumar a Lafões para tratar-se da sua enfermidade, conforme confirmam vários relatos:

"Facta est huius cauti firmitudo mense Nouembrio Era MCCVII(1) quando rex ueuit de Badalioz et iacebat infirmus in balneis de Alafoen"

É certo que a presença do Rei alterou profundamente a vida das antigas Caldas de Lafões e suspeita-se inclusive que terá mandado erigir "estaus e um largo cazarão de banhos com uma picina unica, onde, na mesma água, entravam 40 e mais pessoas a um tempo, affectadas de differentes enfermidades". Sabe-se contudo que o antigo edifício termal é obra dos romanos e terá mais de 2000 anos. D. Afonso Henriques saiu do Banho verdadeiramente restabelecido, “com os banhos do outono & primavera seguinte ficou tão são, que ficou capaz de vencer muitas mais batalhas”.

Durante a sua estadia, a Cúria Régia reuniu várias vezes nas Caldas de Lafões, com altos dignitários da corte e bispos, e foram lavrados vários diplomas importantes. Existem ainda relatos de uma tentativa de regicídio durante a estadia d’El-Rei no Banho. Segundo um pergaminho descoberto recentemente no Mosteiro de São Cristóvão de Lafões, os inimigos de D. Afonso Henriques, ao saberem da sua enfermidade, e suposta fragilidade, planearam assassiná-lo. Para tal foram contratados 10 mercenários e o ataque ficou marcado para o último dia das festividades de ano novo, após a entrada da primavera, atualmente conhecido como o "Dia das Mentiras". Os indignos carrascos conseguiram vencer a guarda real e cercaram El-Rei no interior da capela, junto ao edifício termal, pensando que ele ainda estaria muito debilitado. Contudo, D. Afonso Henriques, já recomposto da sua maleita, furou por eles com bravura e seguiu a montante do rio Vouga, sendo perseguido pelos inimigos, até uma antiga fonte e terá desaparecido de seguida sem deixar rasto. Desconhece-se como o conseguiu, mas, e segundo o mesmo pergaminho, El-Rei reapareceu um dia depois no antigo balneário, numa altura em que os soldados do reino já tinham escorraçado os ignóbeis.

Desde então, as Caldas de Lafões atravessaram os séculos e chegaram até nós como as Termas de São Pedro do Sul, sendo que as virtudes terapêuticas das suas águas sempre foram procuradas, tanto por nobres como plebeus. Para homenagear a passagem d’El-Rei pelo Banho, a Câmara Municipal de São Pedro do Sul inaugurou em 2008 o Balneário D. Afonso Henriques, um dos mais modernos da Europa.

                          

(1) Era de César. 

 
 
 
A CACHE

Um pouco ao arrepio das nossas colocações habituais, decidimos criar esta cache próxima de um centro urbano. Foi nas Termas de São Pedro do Sul que a Valente e o Cruz primeiro arranjaram um “cantinho” comum e passaram a ser os Valente Cruz.

  

O contentor, apesar de não estar exposto, encontra-se num local que o é. Assim, pedimos aos "exploradores" para que tenham particular cuidado nas buscas se houver olhares indiscretos por perto. Caso não estejam reunidas as melhores condições para fazerem o registo, como nos domingos de verão, bastará para reclamarem o found que nos enviem, para o email, uma fotografia no local com o vosso GPSr e indiquem onde está o contentor.

Não publiquem fotos do contentor e/ou do local onde está escondido, nem revelem dados sobre os mesmos!

 

Desfrutem da descoberta e protejam a Natureza e o Património!

 

Flag Counter

Additional Hints (Decrypt)

F. Znegvaub

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Return to the Top of the Page

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.