Skip to Content

This cache has been archived.

sarapintas: Lamento mas infelizmente o tempo disponível para garantir a manutenção da cache não tem sido muito.

Assim sendo, deixo este espaço disponível para novos projetos, pois não vou conseguir abrandar o meu ritmo de vida nos próximos tempos, e provavelmente a minha actividade de owner vai ter que sofrer uma pausa.

Desde já agradeço todas as visitas que fizeram à cache e todos os simpáticos logs que nos dão algum prazer ler nesta actividade enquanto dona de uma cache.

Boas caches!!

More
<

Ribeira da Falagueira

A cache by paulo.andreia Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 1/1/2013
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size: micro (micro)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:

O Parque Aventura foi concluído em Setembro de 2005. Ocupa uma zona urbana na envolvente da Ribeira da Falagueira, anteriormente muito descaracterizada e desqualificada.
Situa-se na confluência de 3 Freguesias: São Brás, Mina e Falagueira.



A ribeira da Falagueira
Não são muitos os metros, talvez 1 quilómetro ou 2 (talvez sejam mais), mas ainda bem que a “recuperaram” e que não teve o destino de muitas outras(pelo menos este pedaço), o de ficar “entubada” e o de ficar a correr por debaixo dos prédios. Deve nascer lá para os lados da Serra da Mira (*) e, hoje “desaparece” na Falagueira, um pouco depois do Casal de São Brás. Este “pedaço” da Ribeira da Falagueira, assim como, a área circundante, foram “recuperados” e devolvidos aos habitantes desta zona, em forma de área de lazer. Uma boa iniciativa, pois, podia muito bem ter ido ali parar mais meia dúzia de prédios, aonde as únicas zonas verdes, seriam uns míseros canteiros de relva!  
 
(*) Li algures isso, mas agora ao procurar mais informação na INTERNET, aparece que a ribeira da Falagueira, não é mais que um “troço” da ribeira de Alcântara e que esta nasce na Brandoa. Se alguém mais qualificado e elucidado puder acrescentar ou desmentir isto tudo, agradece-se a colaboração.
 
Nota: Interessante, foi ficar a saber, a pretexto desta pesquisa, que o aqueduto das águas livres é (ou era) ao longo do seu “troço” principal, “alimentado” por “troços” subsidiários, como era o caso do de São Brás “no trajecto para Lisboa reconhece-se ainda o caudal proveniente da Fonte Santa e dos Aquedutos da Rascoeira, de São Brás ou das Galegas, da Buraca e das Francesas. Estas estruturas são muito semelhantes entre si, pontuadas por respiradouros equidistantes e mais ou menos elaborados, que assumem uma função de ventilação das caleiras, e pequenos declives ou cascatas de água, que correm no interior …”. Estruturas deste aqueduto que também fazem parte integrante desta zona recuperada.



Ribeira da Falagueira, ou Ribeira de Alcântara?
A ribeira de Alcântara é uma ribeira de pequena extensão, que nasce na Brandoa, concelho da Amadora, e corre pelos vales da Falagueira, Benfica e de Alcântara para desaguar no Tejo, na freguesia de Alcântara, em Lisboa. É um curso de água que se desenvolve quase exclusivamente em meio urbano.
O troço superior, conhecido como ribeira da Falagueira, corre a céu aberto, tendo sido requalificado em 2005 pela Câmara Municipal da Amadora. Ao longo dele podem encontrar-se algumas hortas urbanas e o Parque Urbano da Ribeira da Falagueira. Ao entrar em Lisboa nas Portas de Benfica adquire o nome de ribeira de Benfica. Na zona de Sete Rios recebe na margem esquerda a ribeira do Lumiar, em resultado de uma provável captura fluvial.
Está atualmente canalizada em toda a extensão da travessia do concelho de Lisboa. Os trabalhos de canalização ficaram concluídos em1967.
No troço final, o vale de Alcântara constitui uma barreira natural entre a cidade de Lisboa e o Parque Florestal de Monsanto vencida, emCampolide, pelo Aqueduto das Águas Livres e mais abaixo pelo Viaduto Duarte Pacheco. Em Alcântara passava a ponte (al-qantara em árabe) que deu o nome à ribeira.
Os vales da bacia hidrográfica da ribeira de Alcântara foram de grande importância para a instalação da rede ferroviária na cidade de Lisboa (Linha de Cintura e Linha de Sintra) e dos acessos à Ponte 25 de Abril.
É no vale de Alcântara, a jusante do Aqueduto das Águas Livres, que se encontra uma das ETAR que serve a cidade de Lisboa.
 


Fonte: Wikipedia, site C.M.A., blog correspondentesbras.blogs.sapo.pt.

Additional Hints (Decrypt)

Cbe qrageb. Phvqnqb nb ergvene r erpbyne b pbagnvare!!

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



 

Find...

237 Logged Visits

Found it 198     Didn't find it 21     Write note 3     Archive 1     Temporarily Disable Listing 2     Enable Listing 2     Publish Listing 1     Needs Maintenance 4     Owner Maintenance 5     

View Logbook | View the Image Gallery of 65 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated:
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.