Skip to content

Antiga Fábrica de Fiação / Old Spinning Factory Traditional Geocache

This cache has been archived.

Looney.Tunes.Team: fim de vida... :(

More
Hidden : 04/05/2013
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   micro (micro)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Antiga Fábrica de Fiação / Old Spinning Factory

RESTOS DA ARQUEOLOGIA INDUSTRIAL A Fábrica de Fiação e Tecidos de Ermesinde foi mandada construir por Manuel Pinto de Azevedo e Amadeu Vilar nos inícios do séc. XX. A sua estrutura arquitectónica faz lembrar os exemplares da arquitectura industrial do séc. XIX, dada a sua divisão em corpos bem definidos, grande altura e clareamento dos mesmos através de grandes fenestrações. Possuía uma série de benefícios para os trabalhadores: refeitório, cooperativa, padaria etc...
 
Esta fábrica começou a laborar com 255 trabalhadores (155 homens e 100 mulheres), os quais beneficiavam já então, de um invulgar conjunto de apoios sociais aos trabalhadores, tais como uma cooperativa, uma panificação e uma cantina. Nas décadas de 60 e 70, em plena época de expansão do sector têxtil, esta unidade chegou a dar trabalho a centenas de operários de ambos os sexos. O terreno, hoje praticamente abandonado, já conheceu vários projectos de urbanismo, e até um outro para a construção de uma escola, mas a frontaria, voltada para a Rua Ribeiro Teles, não o permitiu, por o edifício ser classificado como património a preservar. Do outro lado situa-se uma das maiores e mais bem conservadas propriedades agrícolas de Ermesinde, conhecida pela quinta do Ambrósio. Um pouco mais adiante, no lugar de Alpendurada, concentra-se um acampamento cigano. Por ali passa o rio Tinto, que nasce nos Montes da Costa e vai desaguar no rio Douro. Ali existe também uma nascente de água, que alimentava a zona agrícola do centro de Ermesinde, bem como várias minas, uma das quais no Lugar de Chãos, cuja etimologia é terra chã, plana, do latim planu. Segundo Jacinto Soares, os lavradores utilizavam estes mananciais de água para demolhar o linho. Eram os chamados aguadouros, popularmente conhecidos por. Manuel Pinto de Azevedo, (Bonfim, Porto, 27 de Abril de 1874 - 17 de Fevereiro de 1959), foi um industrial e empresário português. Tornou-se um dos grandes nomes da história industrial de Portugal no século XX. Destacou-se também por ter sido grande benemérito do Clube de Desportos Educação Física do Norte, o qual deu seu nome ao seu centro de jogos Biografia Frequentado a Escola Técnica de Faria Guimarães, a partir de 1891, tornando-se operário têxtil em 1894 onde rapidamente ascendeu na profissão, tornando-se em 1900 director da Fábrica de Tecidos do Bonfim. Em 1917 arrenda a Fábrica de Fiação e Tecidos de Soure, adquirindo-a em 1924. Em 1920 adquire a Fábrica de Fiação de Tecidos da Areosa e em 1922 a Empresa Fabril do Norte, na Senhora da Hora, Matosinhos, fundada em 1905 por Delfim Pereira da Costa e que se tornou sob a sua direcção a mais importante fábrica têxtil de todo o país. Em 1928 adquire a Fábrica de Fiação e Tecidos de Ermesinde e a Fábrica de Tecidos Aliança, em Rio Tinto. Adquiriu ainda algumas unidades industriais em Angola e Moçambique bem como importantes plantações de matéria-prima para as suas industrias, nomeadamente algodão. Realizou ainda investimentos em outros sectores industriais como seja criando em 1929 a Continental Sociedade de Conservas, em Matosinhos, investindo, mais tarde, na Companhia Portuguesa do Cobre, com fábrica no Porto, assim como na importante firma portuense António Maria Tavares, Júnior, Lda, e na Sociedade Corticeira Robinson Bros., Lda, de Portalegre. Em 1923 adquiriu a maioria da sociedade detentora do jornal O Primeiro de Janeiro, tornando-se seu presidente do Conselho d Administração até ao seu falecimento. Foi sócio do Banco Borges & Irmão, da companhia de seguros A Mututal do Norte e uma série de outras empresas. Republicano, foi membro da primeira direcção do município do Porto, depois da implementação da República e eleito vereador em 1911, 1914 e 1919. Mesário da Santa Casa da Misericórdia do Porto entre 1926 e 1938 e novamente entre 1941 e 1945. Administrador do Hospital Sanatório Rodrigues Semide. Grande Oficial da Ordem de Cristo e Oficial da Ordem da Instrução Pública. [editar] Fábrica Os dois edifícios vizinhos que davam apoio à fábrica de tecidos de Manuel Pinto de Azevedo são considerados patrimônio arqutetônico do Porto. Foram mandados construir pelo próprio Manuel, um dos grandes nomes da indústria portuense e dono de inúmeras fábricas. O conjunto arquitectónico composto por estes dois edifícios situa-se na Rua António Carneiro, no Bonfim, cidade do Porto e é valioso para o património arquitectónico e industrial da cidade por ter sido construído no estilo Arte Nova, dotado de linhas curvas e esbeltas, graciosidade e beleza, e decorado com painéis de azulejos. Infelizmente, com o encerramento da fábrica a que dava suporte, o conjunto de edifícios ficou ao abandono, e está hoje muito degradado e a aguardar o merecido restauro. O primeiro edifício data de 1916 e serve como armazém no piso inferior, e como sede do Centro Republicano Democrático, no Bonfim. O seu interior, dada a sua funcionalidade, é dotado de espaços amplos e abertos, com a excepção de duas salas destinadas a serviços de secretaria e casa de banho. O segundo edifício, datado de 1918, serviu de creche, balneário, dormitório e cantina da fábrica. O Arquivo Histórico Municipal do Porto guarda diversa documentação sobre ambos os edifícios, nomeadamente as plantas da construção.



This page was generated by GeoPT Listing Generator

Additional Hints (Decrypt)

Pnvkn CG

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)