Skip to content

This cache has been archived.

MightyREV: Esta geocache foi arquivada por falta de uma resposta atempada e/ou adequada perante uma situação de falta de manutenção.
Relembro a secção das Linhas de Orientação que regulam a manutenção das caches:

O dono da geocache é responsável por visitas à localização física.

Você é responsável por visitas ocasionais à sua geocache para assegurar que está tudo em ordem para funcionar, especialmente quando alguém reporta um problema com a geocache (desaparecimento, estrago, humidade/infiltrações, etc.), ou faz um registo "Precisa de Manutenção". Desactive temporariamente a sua geocache para que os outros saibam que não devem procurar a geocache até que tenha resolvido o problema. É-lhe concedido um período razoável de tempo - geralmente até 4 semanas - dentro do qual deverá verificar o estado da sua geocache. Se a geocache não estiver a receber a manutenção necessária ou estiver temporariamente desactivada por um longo período de tempo, poderemos arquivar a página da geocache.

Se no local existe algum recipiente por favor recolha-o a fim de evitar que se torne lixo (geolitter).

Uma vez que se trata de um caso de falta de manutenção a sua geocache não poderá ser desarquivada. Caso submeta uma nova será tido em conta este arquivamento por falta de manutenção.


MightyREV
Community Volunteer Reviewer
Centro de Ajuda|Trabalhar com o Revisor|Revisões mais rápidas|Linhas Orientação|Políticas Regionais - Portugal

More
<

Bambu's Beach

A cache by VanPrey Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 07/13/2013
Difficulty:
2.5 out of 5
Terrain:
2 out of 5

Size: Size:   micro (micro)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Related Web Page

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:

A história de uma cana de bambu

Adélio Torres Neiva

Era uma vez, não me lembro bem onde. Só sei que havia lá um lindo jardim que só de vê-lo era um sonho. Ficava ali mesmo em frente da casa do Senhor, que não resistia à tentação de por ali passar todas as tardes a saborear a brisa e a sombra.
No jardim, quase ao centro, uma cana de bambu chamava logo as atenções. Alta, elegante, bela como poucas. Não admira que o senhor tivesse um fraco por ela. Por ser bela, mas talvez também por crescer mais que todas as outras plantas, talvez por se manter rectilínea e graciosa, não obstante os ventos do inverno e os calores do verão.
A cana bem sabia desta preferência do seu senhor e toda se lisonjeava. Um belo dia, o senhor avizinhou-se dela, um pouco contrafeito, como se tivesse más novas para dar. E quase sem levantar o olhar, disse-lhe a medo: - ‘ Caro bambu, preciso de ti’. Foi ouro sobre azul. – ‘ Senhor’, diz o bambu, feliz como nunca o vistes, ‘ sou todo teu; faz de mim o que quiseres’. Bom de ouvir, se não fosse o que vem a seguir: -‘ Bambu’ – o senhor não sabia mesmo por onde pegar – ‘ para usar os teus serviços, vou precisar de te abater!’. – ‘Abater-me?!’... O senhor não podia estar a falar a sério. Então para que fez de mim a mais bela árvore do seu jardim? – ‘ Não, por favor, tudo menos isso!’.
O senhor não se zangou. Quem é que aceita uma coisa destas sem barafustar? Mas também não desarmou: - ‘Meu caro bambu, se não te abater, não posso usar-te!’. E ficaram os dois em silêncio, sem nenhum saber o que mais dizer. Até o vento parou e os pássaros se detiveram sem pio para cantar. Lentamente, muito lentamente, o bambu inclinou as folhas, lindas que eu sei lá e disse, muito baixinho, quase como um segredo que custa a dizer: -‘Senhor, se não podes usar-me sem me abater, faz de mim o que quiseres e está bem, abate-me!’. – ‘Meu caro bambu’, disse de novo o senhor, ‘ eu ainda te não disse tudo: não devo só abater-te, mas preciso de tirar-te as folhas e os ramos’. – ‘ Ó senhor, não me faças isso; deixa-me, ao menos, as folhas e os ramos! Sem folhas e sem ramos, que farei eu no jardim?’.
E outra vez o senhor: -‘Se não posso tirar-te as folhas e os ramos, não poderei usar os teus serviços’. Então o sol não quis ouvir mais e escondeu-se; os pássaros fugiram do jardim para não saberem do resto. E, a tremer, o bambu conseguiu ainda dizer: -‘Está bem, senhor, corta-as’. –‘ Meu caro bambu, tenho ainda uma coisa que me custa muito a pedir-te. Trei de te cortar em dois e tirar-te o miolo. Sem isso, não poderei usar-te’.
O bambu já não pôde falar; inclinou-se por terra e ofereceu-se todo ao seu senhor. Assim, o senhor do jardim abateu o bambu, tirou-lhe os ramos, cortou-lhe as folhas, partiu-o em dois e extraiu-lhe o miolo. Depois, levou o bambu para junto de uma fonte de água fresca que ficava perto dos seus campos, que há muito morriam de sede ali á beira da fonte. E com todo o carinho, ligou uma ponta do bambu á fonte e a outra ao campo.
A fonte dava água, o bambu começou a levar a água para o campo que há tanto tempo esperava por ela. E o campo começou a reverdecer. Quando a primavera chegou, o senhor semeou ali arroz e os dias foram passando até que a semente cresceu, o tempo da colheita chegou e o senhor pôde alimentar toda a sua casa.
Quando era grande, belo e gracioso, o bambu vivia e crescia só para si e gostava de se ver assim, esbelto e elegante. Agora, humilde e deitado por terra, tinha-se tornado um canal que o senhor usava para alimentar a sua casa e tornar fecundo o seu reino.
É uma parábola que nem precisa de comentários.

Foi apenas usada esta parábola porque as canas existentes no local fazem lembrar as canas de bambu, daí o nome da cache!


Esta cache permite a troca de objetos e apenas precisam de estar atentos para a encontrarem.
Tenham bastante cuidado com o pessoal a passar para não ser descoberta.
Cache que não dá muito que puxar pela cabeça, apenas pelos olhos! A cache não contém material de escrita, portanto levem algo para escrever por favor.
E por favor, deixem tudo muito bem escondido porque é um local onde passam pessoas para ir para a praia e podem ver algo estranho e estragar a cache, por isso, deixem o mais escondido possível.

Additional Hints (Decrypt)

[PT]
- BOFREIN ORZ R CEBPHEN NVAQN ZRYUBE CBEDHR ARZ GHQB B DHR CNERPR É

[EG]
- YBBX JRYY NAQ GEL GB QBHAQ ORGGRE ORPNHFR ABG NYY JUNG FRRZF VF

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.