Skip to content

<

Antigas Termas da Fadagosa [Mação]

A cache by stones.22 Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 07/19/2013
Difficulty:
2 out of 5
Terrain:
2 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:

Antigas Termas da Fadagosa – Mação


Instalações

 

A emergência de água localiza-se por detrás do edifício que servia de Balneário e Hospedaria, nas antigas hortas, num poço coberto sobre o qual foi construído a casa da bomba, com motor a gasolina.
O edifício é de planta rectangular (7x25 m), de dois pisos, na fachada, mas com caves na face voltada para a horta (o lado maior), no topo desta construção esta anexada outra de um só piso, com 6 portas, actualmente cheia de sucata, eram possivelmente o primitivo balneário, de finais do séc. XIX ou inícios do XX.
O edifício actual, tem dois períodos de construção o piso inferior, deverá ser da década de 20, sendo o piso superior dos anos 50. Foi possível ver o seu interior, mas pareceu-me todo ele dedicado a hospedaria, tendo 6 janelas nos lados maiores, o que deverá corresponder a 24 divisões internas. Os banhos devem-se localizar na parte cave voltada para a horta, e serão seis conforme o número de frestas existentes.
Fazendo ainda parte do património termal construído, temos uma pequena capela, antecipada por uma curta escadaria, é uma construção sem nenhuma característica exterior.

 

 
Historial

 

Lopes (1892), chama-lhes Casas da Ribeira ou Caratão “ junto da ribeira de Eiras, brota uma água sulfúrea, ainda não estudada…”  
Orey (1897) no seu relatório de reconhecimento chamou-as de Fadagosa e Mação, e diz que o edifício dos banhos existe há muito tempo, foram ampliados pelo então proprietário, informa que as duas nascentes brotam dentro do edifício e alimentam “ dez banheiras … feitas em alvenaria e forradas de azulejo, estão todas munidas de torneiras de água quente e fria e […] o proprietário também tem tido o cuidado de reservar uma as banheiras para uso exclusivo de indivíduos atacados de moléstias contagiosas” 

Em 1932, num Relatório da Inspecção das Águas, citado por Acciaiuoli (1944, IV, 138) o antigo proprietário tinha vendido tanto o balneário como os terrenos em volta a Artur Marçal de Abrantes por volta de 1918, este por sua vez  passado uns anos vendeu a Henrique Rodrigues Paisana do Caratão, que explorava a parte agrícola da propriedade, residia no antigo balneário, que entretanto já tinha sido vitimado por dois incêndios. Descreveu depois a captação das duas nascentes, a dos banhos captada num poço sem cobertura de onde a água “é extraída em baldes de ferro zincado por meio de picota, a uns 20 metros fica outro poço de água mineral, separado do primeiro por um campo de milho, seguramente estrumado e portanto estando as águas em condições de facilmente serem inquinadas […] Pode-se dizer, portanto, com segurança, que o balneário da Fadagosa de Mação  já não existe.
 

Na revista Pública, Teresa Perdigão publicou um artigo, com o título “Portugueses vão para as termas” em 29 Setembro 1996. A autora faz uma descrição de várias termas de uso popular entre elas A Fadagosa de Mação, onde se pode ler-se. “… Foi em 1921 que o avô do senhor Mário marido de Benvinda, comprou em hasta pública, as termas e algum terreno à volta. Ainda hoje o território é pertença da mesma família, que todos os anos, durante a época termal, se instalam de armas e bagagens na Fadagosa. O negócio é simples, quartos para alugar, banhos e refeições para servir”        
Quando da visita ao local foi impossível encontrar alguém, mesmo em Vale Grou, a povoação mais próxima, a única pessoa encontrada, não era o informador ideal, por deficiência. Portanto as únicas conclusões de ordem histórica são deduzidas do património construído.

Um primeiro balneário, talvez ainda em finais do séc. XIX. A construção de um segundo balneário e hospedaria na década 1920-30, ampliado nos anos 50.

 

 

A Cache:

1º ponto: ao chegarem às coordenadas iniciais procurem a fonte e recolham os dados que peço para chegarem ao 2º ponto (cache final);                

1º ponto - Para chegar às coordenadas da cache final terão que saber qual o mês que está inscrito na fonte = X
e também os dois últimos digidos do ano da fonte = Y
 
NOTA: o formato da data da fonte é: DD/MM/AAAA
 
N39° 34.291+ X)
W007° 57.(533 + Y)

Additional Hints (Decrypt)

Dhnqenqb

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.