Skip to content

<

Marvão - Visita ao Castelo

A cache by Fernando.Marvão Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 12/14/2013
Difficulty:
2 out of 5
Terrain:
2 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:

(PT) Esta cache é destinada a divulgar o guia de visita ao Castelo de Marvão. Para entrar no Castelo paga-se 1,50 € ( Um euro e cinquenta cêntimos) (ENG) This cache is intended to promote the guide visit to Castle Marvão. To enter the Castle you pay € 1.50 (One euro and fifty cents)

Marvão - Visita ao Castelo

Sentinela da Raia [síntese histórica]

              Embora possa ter havido ocupações anteriores deste espaço, a fundação de Marvão está associada ao último quartel do século IX e à figura de Ibn Maruán, que durante a sua revolta contra o Emirato de Córdova se refugiou nestas terras. Aproveitando as características excepcionais do sítio, terá mandado construir este castelo, que se foi transformando e adaptando ao longo de mais de 1000 anos.

              Foi uma praça fundamental durante a Reconquista, e depois de ter sido tomada aos Muçulmanos por D. Afonso Henriques e integrada no novo reino de Portugal – na segunda metade do século XII – Marvão não perdeu a sua importância. Pelo contrário, evidenciou-se como bastião essencial para o controlo e povoamento da linha de fronteira, recebendo de D. Sancho II, em 1226, o seu primeiro foral.

              Finda a Reconquista cristã, a defesa continuou a fazer parte e a pautar o quotidiano da vila, sobretudo devido à constante ameaça castelhana. Para melhor garantir a protecção do país, D. Dinis mandou dotar o burgo de uma cerca urbana no início do século XIV e reforçar o seu castelo.

              Por diversas vezes esta praça se destacou na defesa das fronteiras de Portugal. Importa lembrar o papel decisivo que teve, entre outros conflitos, na Guerra da Restauração (1640-1668), na Guerra da Sucessão de Espanha (1701-1715), na Guerra Fantástica (1762-1763), na Guerra das Laranjas (1801), nas Guerras Peninsulares/Invasões Francesas (1807-1811), na Guerra Civil (1832-1834) ou após a Revolta de Maria da Fonte e da Patuleia (1846-1847).

            Guia de visita

              Bem-vindo ao castelo de Marvão! Neste espaço pode encontrar uma fortaleza bem preservada e que guarda muita História. Venha explorá-la!

              Comece a sua visita pela cisterna, junto à entrada principal do recinto. Esta é uma das maiores cisternas dos castelos portugueses, com cerca de 10 metros de altura e 46 de comprimento. Esta estrutura acumulava água para cerca de 6 meses, o que era essencial para que a vila pudesse resistir a um cerco prolongado, pois no cume do monte, a quase 900m, não existia água disponível. Este é o sítio certo para cantar a sua canção favorita, experimente!

              De regresso ao exterior, avance pelo caminho principal, atravessando a 2.ª porta do primeiro recinto. Faça um desvio à direita e em frente à imponente torre da bandeira, pode ver outra entrada para a cisterna. À direita e atravessando a entrada na muralha, encontra um terreiro – o jogo da bola – que serve de cobertura à cisterna e que antigamente era um espaço de divertimento e recreio. Não deixe de subir à muralha e observar a vila aqui de cima.

              De regresso à calçada, entre no primeiro recinto do castelo, que é constituído pelas estruturas mais antigas do castelo, anteriores ao século XIV. Aqui pode ver algumas construções, como a casa da guarda, à esquerda ou o forno, à direita. Hoje em dia têm novas funções, venha descobri-las!

              Avance pelo recinto, o antigo albacar ou pátio de armas, e aproveite para ver a magnífica vista de que pode disfrutar enquanto caminha. Suba às muralhas e faça o caminho da ronda, suba às torres (a da bandeira é obrigatória), entre nas guaritas e imagine que a segurança deste castelo e de todo um país depende do seu olhar atento sobre o horizonte!

              Siga em direcção a um novo recinto, dominado pela majestosa torre de menagem. Repare como a entrada se faz “em cotovelo”, uma solução que permitia ganhar tempo e confundir os invasores, se fosse necessário. Quando passar a segunda porta, irá entrar num recinto mais abrigado, rodeado de altas muralhas e antigos paióis e armarias. Não deixe de descobrir o que estes espaços guardam agora para si!

              No centro da praça, outra cisterna, esta mais pequena e que se assemelha a um poço. Existe, muito provavelmente, desde os tempos da ocupação muçulmana.

              Avance pela estreita passagem entre as duas casas ao fundo e, passando a antiga porta da traição do castelo, irá entrar numa zona de baluartes, construídos a partir do século XVII e que permitiam o uso e manobra de artilharia mais pesada, como canhões. No baluarte da direita tem uma vista esplêndida sobre parte da vila, Espanha (mais perto Valência de Alcântara, Cáceres a maior distância, mas também Albuquerque, entre outras localidades) e para toda a raia até a vista se perder na Serra da Estrela (repare em Castelo Branco na mesma direcção) e na Serra da Lousã. A vista no baluarte da esquerda é dominada pela Serra de São Mamede, pelo vale da Aramenha e pelo vale da Escusa, que se estende até Castelo de Vide. Entre os dois baluartes existe outra porta da traição, que permitia a evacuação do castelo em caso de invasão. No entanto, dada a sua localização podemos dizer que esta fortaleza era praticamente inexpugnável!

              De regresso ao pátio principal, pode aceder pelas escadas adossadas à parede à torre de menagem, a mais alta do castelo e aquela que seria mais difícil de tomar. Terá sido reconstruída pelos cristãos após a Reconquista. Tem apenas uma sala e não tem janelas, apenas estreitas seteiras verticais. A entrada na torre faz-se através de uma ponte de madeira, que antigamente poderia ser levantada de modo a isolar a torre para melhor a defender. A subida é íngreme e exigente mas lá em cima, o panorama é dos mais deslumbrantes que pode admirar. Como disse José Saramago, na sua Viagem a Portugal, “ de Marvão vê-se o Mundo”, por isso vale a pena o esforço e a visita!

Additional Hints (Decrypt)

(CG) Ab pnagb rapbfgnqn à zhenyun (RAT) Va gur pbeare yrnavat ntnvafg gur jnyy

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)