Skip to content

BTT nocturno no Pinhal de Leiria [MG Geofest2014] Event Cache

This cache has been archived.

MR_MAG00: Até ao próximo BTT

More
Hidden : Friday, 04 April 2014
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   not chosen (not chosen)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Related Web Page

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:




O Passeio BTT nocturno no Pinhal de Leiria é um dos eventos satélite que integram o programa do evento principal Marinha Grande Geofest 2014.

Este passeio tem início às 21.30 horas nas coordenadas indicadas, irá percorrer estradas e caminhos dentro do Pinhal de Leiria numa extensão de aproximadamente 20 km e tem o fim previsto às 23.30 horas, nas mesmas coordenadas.

Não esqueçam de trazer a bicicleta e o restante equipamento adequado a um passeio BTT noturno.

Se houver alterações irão ser colocadas na listing do evento, e feitos anouncements, portanto coloquem em watchlist para as saberem sempre em primeira mão.

PINHAL DE LEIRIA

O Pinhal do Rei, Mata Nacional de Leiria, ou Pinhal de Leiria é uma floresta de pinheiro bravo com 11.080 ha, abrangendo as freguesias de Marinha Grande e Vieira de Leiria, no concelho da Marinha Grande.

O pinhal foi inicialmente mandado plantar pelo rei D. Afonso III (e não por D. Dinis como se julga. Mais tarde, entre 1279 e 1325, D. Dinis mandaria aumentar o pinhal para as dimensões actuais.) no século XIII, com o intuito de travar o avanço e degradação das dunas, bem como proteger os terrenos agrícolas das areias transportadas pelo vento.

O pinhal de Leiria foi muito importante para os Descobrimentos Marítimos, pois a madeira dos pinheiros foi a usada para a construção das embarcações. O pez (alcatrão vegetal extraído dos pinheiros) foi ainda usado para proteger as caravelas, pelo que existem ainda fornos onde este era fabricado.

Mais tarde adquiria muita importância para o desenvolvimento económico e crescimento demográfico da região no século XVIII e XIX, uma vez que foi dos principais impulsionadores de indústrias como a construção naval, a indústria vidreira, metalurgia e produtos resinosos (através da extracção da goma dos pinheiros, no século XIX)- a madeira era usada tanto como matéria-prima como fonte de energia para as indústrias e habitações.

O pinhal continua ainda hoje como um local de lazer e permite muitas actividades ligadas à natureza, como passeios de bicicleta ou a pé. O pinhal é intersectado pela ribeira de Moel, que dá ao local um certo ar bucólico.

A fauna do pinhal é dominada por coelhos e lebres, havendo também lontras, ouriços, raposas, texugos, toirões, saca-rabos, etc. No que respeita a aves, podemos encontrar corvos, gralhas, felosas, melros...

A flora do pinhal também é bastante variada. Para além do pinheiro bravo, há urzes brancas, fetos arbustivos, lentisco-bastardo, urzes rosadas e rosmaninho. No pinhal existem várias árvores de interesse público, como o eucalipto glóbulo ou o pinheiro serpente, bem como outras árvores de tamanho excepcional.

Hoje podemos encontrar o pinhal de Leiria dividido em 342 talhões, quase todos rectangulares (com excepção dos limítrofes) e com áreas aproximadamente iguais, de cerca de 35 ha. Estes talhões estão divididos por caminhos de areia, aos quais se dá o nome de aceiros (perpendiculares ao mar, identificados por letras de A a T, de Norte para Sul) ou arrifes (paralelos ao mar, identificados por números, entre 0 e 22, de Este para Oeste). Estes servem para um melhor ordenamento do território e também para impedir a propagação de incêndios florestais

Flag Counter

Additional Hints (No hints available.)