Skip to content

Flora Alentejana - A Azinheira II Traditional Cache

Hidden : 02/21/2015
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
2 out of 5

Size: Size:   micro (micro)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Translation

Flora Alentejana - A Azinheira II

Esta foi a segunda geocache da zona da Cabeça Gorda, freguesia de Beja, criada pelo Kortez em 6 de Abril de 2011 com o código GC2R233. Faz parte de um conjunto de geocaches que darão a conhecer a flora na zona da Cabeça Gorda.


Tradicionalmente os montados de azinho foram concebidos como sistemas de uso múltiplo em que, a par da produção de porco, se praticavam outras culturas de índole agrícola e florestal. Daí o termo de sistema agro-silvo-pastoril para estas formações. Com a expansão da peste suína africana o porco preto, criado em regime de montanheira, foi progressivamente abandonado. Esta tinha sido, no séc. XVII, a base económica responsável pela grande expansão dos montados de azinho. Em consequência do quase desaparecimento do porco preto os montados de azinho foram, progressivamente, perdendo a principal fonte de rendimento a eles associados.

 Hoje são raros os montados de azinho que se plantam. A maior parte dos que restam têm sido geridos de forma insustentável: podas excessivas  para produção de carvão; lavouras mecânicas, profundas, junto da raiz fragilizando as árvores e expondo-as a doenças e pragas; corte para lenha sem que se pense nas consequências de um desbaste abusivo.

 Os montados de azinho têm, assim, vindo a ver reduzida a sua área total de distribuição assim como a perder árvores (que não são replantadas) nos povoamentos existentes.

Características

- GERAL: Árvore monóica de porte modesto, 8 a 15 m, atingindo por vezes 20 m de altura com copa ampla, ovóide ou arredondada. O tronco curto e tortuoso, tem uma casca acinzentada ou parda. As folhas são persistentes. Ramos oblíquos, sinuosos com ramificação densa. A madeira é muito dura e compacta.

- FLORES: Floração de Março a Abril. As flores masculinas amarelas, formam amentilhos de 5 a 13 cm, aparecem em grandes quantidade nos extremos dos ramos; as flores femininas de menor quantidade, verde-acinzentadas e peludas, dão no Verão lugar a pequenas bolotas.

- FRUTO: O fruto da azinheira é a glande de forma oblongo-cilíndrica, pontiaguda, glabra, de 2-3 cm de comprimento é formado por aquénio e cúpula hemisférica com curtas escamas imbricadas mais ou menos aplicadas e tomentosas que cobre menos de metade do fruto; geralmente possui pedúnculo.As bolotas ou glandes amadurecem no Outono (Outubro/ Novembro) e perdem rapidamente a capacidade de germinar.

- CASCA: Esta é lisa de cor acinzentada quando jovem passa a ser parda ou castanho-enegrecido com a idade e gretada ao comprido em pequenas placas.

- ECOLOGIA: É chamada uma 'árvore de plena luz', intolerante ao ensombramento (heliófila). Rústica e resistente, embora seja sensível ao frio, tolera os Verões secos e a baixa pluviosidade, bem como altitudes elevadas, até 1500 m. É indiferente ao tipo de solo incluindo os esqueléticos. Podem ser solos pobres em húmus, com humidade média ou seca. Frutifica a partir dos 8-10 anos. Renova bem pelo cepo e pimpolha facilmente. Vive cerca de 1000 anos.

- DISTRIBUIÇÃO: Originária do sul da Europa, é espontânea em quase toda a Bacia do Mediterrâneo. É comum em todo o território. Espontânea ou cultivada, desde a quente terra transmontana até ao Algarve tem maior frequência a sul do Tejo onde a azinheira adquire importância de relevo. No Alentejo Interior ocupa extensos povoamentos denominados montados de azinho geralmente em associação com uma outra cultura ou pastagem. Encontram-se também em povoamentos mistos com sobreiro.

- UTILIZAÇÃO: Madeira muito densa e compacta, deforma-se quando seca; difícil de trabalhar embora suporte o polimento, daí que sirva para fabrico de pequenas peças como parquets. A madeira de azinho possui um alto valor calorífico, dando excelente lenha e carvão.

- OUTRAS: Árvore quando ornamental dá uma agradável sombra, e suporta as podas. Dentro da espécie Quercus ilex, a sub-espécie rotundifolia é a que possui bolotas mais doces, tendo sido utilizadas, noutros tempos, como alimento humano. Eram misturadas com trigo e outros cereais para fazer pão em anos de escassez, sendo também assadas como as castanhas. Resistente à poluição urbana.

Fontes

http://arvoresdeportugal.free.fr/IndexArborium/Ficha%20AzinheiraQuercusrotundifolia.htm

http://giesteira.no.sapo.pt/o_montado.htm




This page was generated by Geocaching Portugal Listing Generator

Additional Hints (Decrypt)

CG: N Nmvaurven é n cvfgn... RA: Gur Ubyz gerr vf gur xrl...

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)