Skip to Content

<

Olheiros - Fuseta

A cache by CuriousPT Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 03/10/2015
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size: small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:

"Em tempos já lá idos, conta-se que ao pé do mar existiu terra de vinho, fruta e de pão..."




Após algum tempo em que esta cache esteve desactivada e posteriormente arquivada, o espaço sofreu algumas modificações significativas: o acesso é mais fácil, foi construida uma pequena ponte de madeira e o próprio local dos "olheiros" está mais limpo e espaçoso, podendo até quem quiser, fazer ali um pequeno piquenique...
Daí o meu interesse na colocação de novo container e reactivação desta cache.



História...

 
A Fuseta, segundo os relatos históricos mais antigos datados de 1572, era conhecida por “Fozeta” (diminutivo de foz) o que teria tido origem no facto de ali desaguar um ribeiro chamado “ribeiro do tronco”.
 
            É descrito como um sítio que pouco a pouco se foi desenvolvendo e aumentando em população até constituir um lugar. Desconhece-se a data em que ali se terá começado a constituir um aglomerado populacional. De início apenas existiam algumas cabanas que serviam para guardar utensílios das armações de pesca que se lançavam naquele local.
 
            Aliás, em 1541 há referências a um Sítio das Cabanas, que depois se uniria ao Sítio dos Moinhos, para formar a Fuseta. O porto de pesca, colorido pelos barcos, assim como a praia e toda a zona ribeirinha, cuja recuperação ambiental foi recentemente premiada, são visitas obrigatórias.
 
             Existem ligações regulares por barco para a ilha da Fuseta-Armona. O passeio pode prosseguir até aos rectângulos espelhados das salinas, as ruínas das atalaias de Torre de Bias, Cumeada e Alfanxina, paralelas à Ria Formosa e ao mar, às nascentes de água dos Olheiros, a norte da Vila.

Atribuem-se virtudes medicinais  a esta água tal como descrito por um habitante local:
"Eu tomo banho com sabão azul nessa poça, porque tinha aqui um problema de pele, como vê já estou melhor. Para matar os bichocos da pele é uma água boa, agora para beber não presta."
As informações sobre as propriedades da água estão em: http://www.aguas.ics.ul.pt/faro_olheiros.html


History ...


The Fuseta , according to historical reports oldest dated 1572, was known as "Fozeta" (diminutive of Foz) which would have had its origin in the fact that there flows into a stream called " Ribeiro do Tronco ".

It is described as a place that was developing slowly and increasing in population to be somewhere. It is unknown the date on which there will be begun to be an agglomeration . Initially there were only a few huts that served to store fishing gear used in that place.

In fact , in 1541 there are references to a Sítio of Cabanas , who later would join the Sítio dos Moínhos , to form the Fuseta . The fishing port , the colorful boats , as well as the beach and the riverside area , which was recently awarded environmental remediation are obligatory visits.

There are regular connections by boat to the island of Armona - Fuseta . The tour can continue until the mirrored rectangles of salt , the ruins of the watchmen Torre de Bias , Cumeada and Alfanxina , parallel to the Ria Formosa and the sea, the water springs of Olheiros in the north of the village , which are attributed medicinal properties.

A população da Fuseta tem um historial de luta que deve ser recordado para que as pessoas compreendam o que está em causa.
Sendo uma pequena comunidade piscatória em que as mulheres trabalhavam na industria conserveira  de Olhão, deslocando-se a pé e construíram as suas casas à beira-mar. Ao tempo não havia agua canalizada e por isso a roupa era lavada nos "olheiros" e onde, ainda hoje, se podem encontrar alguns aglomerados de pedras que eram usadas para essa função.
A construção do caminho de ferro implicava a destruição dos olheiros e por isso a comunidade pela calada da noite desmontava o que durante o dia os serviços do caminho de ferro construíam, até que foram obrigados a desviá-lo sob pena de não o acabarem.


The population of Fuseta have a historical curiosity...

Being a small fishing community where the women worked in the canning industry of Olhão, moving walk and where they built their houses on the seaside. At the time there was no piped water and so the clothes were washed in the "Olheiros/scouts".
The construction of the railway meant the destruction of Olheiros/scouts and so the community by disassembling the dark of the night than during the day services of the railway built until they were forced to change the initial project under penalty of not over.



A lenda...

" Em tempos já lá idos, conta-se que ao pé do mar existiu terra de vinho, fruta e de pão.
E que em noites de luar, mulher moura e homem cristão para ali iam se encontrar...
Vinda do mundo brilhante, a moura não escondia os raios de luz no fundo do coração, 
as bagas vermelhas das romãs na palma da mão e na garganta a voz do mais fino violão!
E o português? Esse não havia que fosse mais cristão.
E tinham assim juntinhos, um ao outro, o coração...
As águas, junto ao ribeiro, cantavam, as romãs côr de rubi, brilhavam
e outro amor nunca se viu...
Contudo, Állah, solitário e sempre vigilante, não deixa cair no esquecimento
que não se casaria mulher moura com homem cristão.
Logo ali os encantou e nasceu Fuseta, terra de vinho, fruta e de pão."


 

The legend...

"Once upon a time, near the sea existed land of wine, fruit and bread..."
And on moonlit nights, Moorish woman and Christian man went there to meet ...
Coming from the bright world, the Moorish not hide the light rays at the bottom of his heart, red berries of pomegranates in the palm of the hand and the voice in the throat of the finest guitar! And the Portuguese? That there was to be more Christian.
And they were so close together, each other, the heart ...
The water in the scout, sang, pomegranates color ruby glowed and other love has never seen ...
However, Allah, lonely and ever vigilant, do not drop by the wayside not marry Moorish woman and Christian man.
So there he was enchanted and born Fuseta, land of wine, fruit and bread... "



PT - A cache...

A cache apresenta-se num container pequeno, originalmente com logbook e stashnote. Levem material de escrita.

Cuidado e não molhem os pézes.. ou molhem!

Deixe tudo com estava, a cache bem tapada, na posição original e bem protegido no ninho. Caso tenham dificuldades no found ou queiram deixar alguma opinião ou notem alguma anomalia contactem-me por MP, responderei o mais rápido possível.
 

EN - The cache...

The cache presents a small container, originally logbook and stashnote. Bring writing materials. Careful and not get wet feet... or wet! Leave everything was with the cache and closed into same position and well protected in the nest. If you have difficulties found it or wish to leave an opinion or notice any anomaly contact me by MP, will answer ASAP...

Additional Hints (Decrypt)

qronvkb / haqre

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



 

Find...

321 Logged Visits

Found it 278     Didn't find it 31     Write note 4     Temporarily Disable Listing 2     Enable Listing 2     Publish Listing 1     Needs Maintenance 2     Update Coordinates 1     

View Logbook | View the Image Gallery of 44 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated:
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.