Skip to content

This cache has been archived.

Jaguar83: Chegou o momento de arquivar 99% das minhas caches por motivos de força maior. Embora eu tenha deixado de praticar esta atividade nos ultimos anos, sempre fiz questão de manter os meus PT's e caches próximas, quase 40 no total.

Infelizmente, a disponibilidade para manter as caches foi se perdendo neste último ano e para evitar caches abandonadas, decidi arquivar e agradecer às centenas de geocachers que viajaram de vários pontos do país para conhecer os locais que partilhei. Peço desculpa por não conseguir manter por mais tempo estes projetos mas a vida assim o obriga.

Os containers vão ser levantados, a natureza agradece :)

Boas cachadas a todos e foi um prazer ter ajudado de alguma forma a comunidade durante estes 4 anos de geocaching. Com certeza vamos nos encontrar num log qualquer.

More
<

(#3/14) PT A dos Negros - Entre Pontes

A cache by Jaguar83 Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 06/16/2015
Difficulty:
1 out of 5
Terrain:
1 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:

Este PT foi criado para dar a conhecer um pouco mais da freguesia de A dos Negros. Entre rios, ribeiros, árvores e montes, prometemos um percurso cheio de ar puro, natureza e muita aventura.


A dos Negros é uma freguesia portuguesa do concelho de Óbidos, com 16,82 km² de área e 1 489 habitantes (2011)1 . Densidade: 88,5 hab/km.

História

A freguesia foi criada durante a segunda metade do século XVIII, possivelmente um pouco depois do terramoto de 1755. Segundo o investigador Pinho Leal o seu nome derivará de Cecílio Negro, um corajoso capitão lusitano, que viveu vinte anos antes de Jesus Cristo.

Antes de 1147, existiam várias povoações entre Leiria e Lisboa, onde residiam grandes núcleos judaicos, com sinagogas e hábitos de vida própria. Foi personagem importante um rabi-mor chamado Iáhia Aben-Yasich, e quem segundo o historiador Joaquim Veríssimo Serrão na sua obra História de Portugal, D. Afonso Henriques nomeou mordomo e cavaleiro-mor, em recompensa de serviços prestados na luta contra os Mouros, e concedeu a Aldeia dos Negros. Este historiador diz ainda "que esta doação se refere à tomada de Óbidos em 1148, tem que se aceitar a identificação com a actual povoação de A dos Negros, situada a 4 km". Sobre este assunto, outros autores estudaram, como Meyer Kayserling na obra História dos Judeus em Portugal e João Evangelista na sua obra A dos Negros: uma aldeia da Estremadura. Segundo este último autor, no século XIX, os campos desta freguesia estavam cobertos de matagais, com muitas árvores (sobreiros, azinheiras, loureiros e medronheiros).

No Cadastro da População do Reino, efectuado por D. João III em 1527, a Aldeia dos Negros era um pequeno aglomerado com 20 fogos (cerca de 90 habitantes). Em 1757, o número de fogos já era de 122, tendo o povoamento da aldeia sido feito pelos campos adjacentes.

No campo eclesiástico, a apresentação do pároco era de responsabilidade do povo que lhe doava de côngrua, noventa alqueires de trigo, trinta de cevada e duas pipas de vinho. Durante algum tempo, esta freguesia esteve subordinada à Colegiada de São João de Mucharro, cujo prior tinha o dever de ir anualmente à igreja de Santa Maria Madalena cantar a festa da santa padroeira.

Economia

As principais actividades económicas são a agricultura, construção civil e a indústria cerâmica.

Património

Nesta freguesia pode-se visitar a Igreja Matriz de Santa Madalena e a Capela do Espírito Santo (Sancheira Grande), para além do cruzeiro. Dignas também de visita são as quintas do Cabeço, da Botelheira, e do Rolin. Existem as fontes do Ulmeiro, Santa da Formiga e do Olival Santo. Na freguesia existem ainda várias capelas.

Gastronomia

As principais especialidades gastronómicas da freguesia são as misturadas. O vinho branco maduro é afamado. Na freguesia há a tradição da matança do porco.

Cache

Todas as caches são de tamanho pequeno/normal e contêm apenas logbook. Peço que a coloquem no mesmo sitio onde a encontraram e tenham cuidado com a sua preservação.

Percurso

Aconselhamos que em dias de Verão escolham o horário da manhã ou de fim de tarde para fazer este PT. Os trilhos são bastante acessíveis a todos mas vão encontrar algumas subidas e descidas de maior dificuldade. Aconselhamos que façam o percurso a pé ou de bicicleta para que possam desfrutar ao máximo de toda a aventura. O PT é circular e não precisam de levar carro e se puderem, levem um saco para fazer CITO, a natureza agradece. É possível encontrarem com alguma frequência proprietários de terrenos agrícolas, continuem a caminhada pois já estão habituados à passagem de pessoas por aquelas terras em caminhadas e BTT.

Distância: +/- 5Km Circular

Tempo a pé: +/- 2 horas

O que levar?

  • Roupa leve e fresca no verão
  • Água
  • Alimentos para dar energia
  • Calçado adequado para caminhadas
  • Material de escrita (caneta ou lápis)

Espero que gostem deste PT e qualquer dúvida contactem-me.

PS: Ignorem as letras e números presentes nas tampas de algumas caches

Additional Hints (Decrypt)

Fragn-gr r qrfpnafn.

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)