Skip to content

This cache is temporarily unavailable.

Bitaro: Olá canina,

Pelo teor dos últimos registos, parece necessária a intervenção do owner para verificar o estado da geocache.
Até lá, ficará temporariamente inactiva.

Por favor leia atentamente as Linhas de Orientação que regulam a manutenção das geocaches:

O dono da geocache é responsável por visitas à localização física.

Você é responsável por visitas ocasionais à sua geocache para assegurar que está tudo em ordem para funcionar, especialmente quando alguém reporta um problema com a geocache (desaparecimento, estrago, humidade/infiltrações, etc.), ou faz um registo "Precisa de Manutenção". Desactive temporariamente a sua geocache para que os outros saibam que não devem procurar a geocache até que tenha resolvido o problema. É-lhe concedido um período razoável de tempo - geralmente até 4 semanas - dentro do qual deverá verificar o estado da sua geocache. Se a geocache não estiver a receber a manutenção necessária ou estiver temporariamente desactivada por um longo período de tempo, poderemos arquivar a página da geocache.

Esta designação serve para geocaches que estão com alguma questão pendente ou um problema temporário por resolver.
Como owner, tem ao dispor, pelo menos, quatro soluções possíveis:

  1. Efectuar a manutenção necessária e reactivar a geocache, dentro do prazo estabelecido pelas Linhas de Orientação
  2. Colocar uma nota na geocache com o plano de manutenção, caso esta não possa ocorrer num curto espaço de tempo. Nessa nota deve constar:
    • o prazo em que pretende efectuar a manutenção,
    • o argumento pelo qual o prazo indicado abaixo terá de ser ultrapassado para que fique novamente activa;
  3. Caso não consiga assegurar a manutenção da mesma, pode considerar o processo de adopção por um geocacher local;
  4. Arquivar a geocache se não tiver disponibilidade para assegurar o estado pleno da mesma. Por favor, tenha em consideração que nesta opção é necessário remover a geocache ou os conteúdos da mesma para evitar que se tornem lixo (*geolitter*).

Assim, caso não seja feita manutenção ou indicado um motivo válido pelo qual a geocache deva estar desactivada além do tempo previsto pelas Linhas de Orientação, a mesma será arquivada num prazo de 60 dias (este prazo não é rigoroso enquanto a pandemia COVID-19 se mantiver - a manutenção deverá ser feita sempre em segurança, pois a sua saúde está primeiro que a saúde da cache!).

Relembro que não é possível desarquivar uma geocache que seja arquivada por falta de manutenção.

Obrigado pela colaboração
Bitaro
Community Volunteer Reviewer

Centro de Ajuda
Linhas Orientação

More
<

Bombeiros Voluntários de Setúbal, Azeitão

A cache by canina Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 12/30/2016
Difficulty:
5 out of 5
Terrain:
2 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:

BOMBEIROS VOLUNTARIOS DE SETUBAL, AZEITÃO

 


História

Face à incapacidade que o Município sentia de organizar por si só um corpo de bombeiros, solicitou a cooperação das companhias que possuíam muitos prédios segurados em Setúbal, por serem estas as mais interessadas no combate aos incêndios. No entanto, os seus proprietários não corresponderam como seria de esperar.

No dia 19 de Outubro de 1883, Álvaro José Baptista convidou Henrique Augusto Pereira, o mais importante industrial da cidade, o vereador Joaquim José Corrêa, responsável pelo pelouro dos incêndios, e António Avelino da Silva, promotor das Festas de Nossa Senhora da Arrábida, para uma reunião com Artur Mena, comandante dos Bombeiros Voluntários do Beato, em Lisboa, que resolveram fundar uma Associação de Bombeiros Voluntários para suprir as dificuldades que a edilidade possuía para responder às solicitações de lutas contra o fogo. Ofereceram uma excelente bomba para extinção de incêndios, os respectivos utensílios, e puseram à disposição da corporação o pessoal de suas fábricas, pelo que lhes foi pro-posto pelo presidente da Câmara um voto de louvor, unanimemente aprovado e regista-do em acta. Era a génese da Associação de Bombeiros Voluntários de Setúbal, fundada no ano de 1884. Após o jantar, Manuel Maria Portela, seu filho Alfredo Augusto Portela e Joaquim Caetano da Veiga juntaram-se ao grupo dos cinco e, juntos, proclamaram-se sócios fundadores da Associação. Do facto foi lavrada uma acta, redigida por Joaquim José Corrêa, na qual ficou registado o apoio prometido pelo vereador.


No dia 22, a Comissão Instaladora efectuou uma reunião na sede do Clube Dramático, com a presença de outros entusiastas, tendo dela saído um grupo de trabalho para redigir os Estatutos. Era constituído por Henrique Augusto Pereira, José Manuel Corrêa e Artur Mena, sócio honorário.

Os corpos gerentes ficaram constituídos da seguinte forma:

  • Assembleia Geral: Augusto W. Grill, presidente; Venâncio Olímpio Ferreira Torres, vice-presidente; António Pedro Cardoso Júnior e Joaquim Patrício Frissel, secretários.
  • Direcção: Álvaro José Baptista, presidente; Joaquim José Corrêa, vice-presidente; José Manuel Corrêa e Eduardo A. Soares Rosa, secretários; João Guilherme Pereira, tesoureiro; João José Pereira e João José Freitas Pereira, vogais. Henrique Augusto Pereira ficou como comandante da corporação.

Num apelo aos comerciantes e indústrias para que se inscrevam na associação, informam que os futuros bombeiros já estão a receber instrução na Praça de Touros S. João, sob a orientação de Artur Mena.
Os estatutos foram aprovados no dia 6 de Dezembro. Foram tomadas várias iniciativas para angariação de fundos, tendo sido decidido, na assembleia-geral do dia 6, criar uma banda de música, embora a cidade contasse já com as filarmónicas Capricho e Firmeza e com a banda regimental de Caçadores 1. O projecto era por demais ambicioso, dada a precária situação em que se encontravam. Assim, a banda passou a «fanfarra» e desta apenas a «charanga», nos finais de 1884.
Como os instrumentos eram caros, foi aberta subscrição pública, tendo a Companhia de Seguros Fidelidade oferecido 100$000 réis, metade do seu custo. O resto, outros 100$000 réis, foram oferecidos pela seguradora Norwich Union. As fardas foram feitas pelos membros da «charanga».
Os exercícios simulados sucederam-se mas, rapidamente os novos bombeiros se viram confrontados com os fogos reais. No dia 27 de Janeiro foram chamados para apagar um incêndio na Travessa Francisco pereira e, no dia 4 de Fevereiro, na Rua Direita de Troino (hoje Fran Paxeco), zona degradada da cidade.
A 6 de Março de 1884, a assembleia-geral reuniu para aprovar o relatório e contas de 1883 e dar posse aos novos corpos gerentes. Era presidente da mesa da assembleia-geral o Dr. Francisco Ayres do Soveral e presidente da direcção Augusto W. Grill.
No dia 9 de Março, pelas 12h30, teve lugar, na sala de sessões da Câmara Municipal, uma cerimónia de congratulação pela instituição desta benemérita Associação, seguida da inauguração do quartel e de um exercício desenvolvido pelo corpo activo. Em todas as cerimónias foi tocado o hino da Associação, composto por António José Camacho Júnior, mestre da banda de Caçadores 1.
Na sessão de câmara foram proferidos discursos, sendo os principais oradores o Dr. Francisco Soveral, o republicano Paulino de Oliveira, jornalista, escritor e membro do corpo activo dos bombeiros, e o progressista Campos Rodrigues, jornalista e professor do Liceu. No quartel foi descerrado o emblema da Associação, pintado pelo célebre pintor setubalense Augusto Flamengo. As cerimónias terminaram na sala do Clube Dramático, onde cerca de 100 senhoras ofereceram um baile aos bombeiros, na sua maior parte filhos das melhores famílias setubalenses.
Mas, de imediato, começaram as contendas. A Câmara mantinha o seu serviço de incêndios, muito pouco eficaz, como se pode verificar pela imprensa da época, enquanto os bombeiros voluntários tentavam resolver os problemas. Mas as querelas políticas não se fizeram esperar, mesmo quando estava em jogo a vida da população. Os debates, agravos e contra-agravos sucediam-se nos jornais, conforme o partido político que os dominava.
Também no interior da Associação começaram as divergências, acompanhadas de alguns pedidos de demissão dos cargos ocupados. Em 1855 houve necessidade de se fazerem duas reuniões da assembleia-geral para eleição dos corpos gerentes, embora na primeira tivesse sido aprovado o relatório e contas de gerência de 1884. Neste relatório, que apresentava um saldo de 175$000 réis, salientava-se que uma das «bombas» era dos sistemas mais aperfeiçoados que então existia. Mas a água continuava a faltar, facto que prejudicava o bom funcionamento do corpo de bombeiros. Este precioso líquido era ainda vendido em pipas, por Manuel Neto e Joaquim José Corrêa, que o iam buscar à Abegoaria.

Em 15 de Agosto de 1885 foi inaugurado o Clube dos Bombeiros Voluntários, com um baile no salão do Clube Dramático, sito na Rua das Amoreiras, N.º 12.
O quartel dos Bombeiros Voluntários esteve instalado, durante muitas dezenas de anos, no imóvel onde funcionara o hospital de Nossa Senhora da anunciada (hoje Paço Episcopal). Ali permaneceu até 1983, ano em que foi inaugurada a nova sede

Fonte: https://www.bvsetubal.pt/

Tqix ktsbms ntg m2ktg

 

Cache: A cache não está nas coordenadas indicadas. Para a encontrar tem que resolver o enigma desta página.

000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000 000000000000000000000000000000000001110000110000000010000000001111111001111100100000100111111100 000001000000011111110011111110010000000001000000010000000100100100100000010100000000000100000100 000011000010000010000000001010000000001000000001000001000000000100000010100000010010010010000010 001000000000010000010000001010001000001000000001000100000000100000000100000010000000100000010001 000001110001001000011111110000000001000001110000100100100000100000001111110000000100000000100000 001000001000000111111100001001001001000100000001000000001000001000000100010100000100000010000000 100000010000000010000000010001000000100000001000100100100100100000000010000000100000100000010000 110000010000010000000001000001000000001000000000101000000100000000010011100001100010000000001000 000010000011111001000001000001000001000000000100000100000111111100000001000000010000000001000000 000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000 00000000FIM

Additional Hints (Decrypt)

Aãb crepnf b abegr dhr nvaqn invf gre dhr naqne 50 z!
B pbagnvare é rfgnadhr, cryb dhr é zhvgb vzcbegnagr qrvknerz-ab orz srpunqb.

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)