Skip to Content

This cache has been archived.

Clube das Sandes: Cumpriu a sua missão.
CS

More
<

#21 - OCEANOS

A cache by Clube das Sandes Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 04/09/2017
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size: small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


OCEANOS

PT - 

Local tranquilo. Relaxa e sente a beleza do Oceano.

Só possui Logbook. Devem levar material de escrita.

Boa sorte.

Clube das Sandes

 

ENG - 

Quiet location. Relax and feel the beauty of the ocean.

You only have Logbook. They must carry writing materials.

Good luck.

Clube das Sandes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. 

PT - 

Um oceano (em gregoΩκεανός, 'Okeanos') é o componente principal da superfície da Terra, constituído por água salgada. Forma a maior parte da hidrosfera: aproximadamente 71% da superfície da Terra (uma área de 361 milhões de quilômetros quadrados). Mais do que a metade desta área tem profundidades maiores que 3.000 metros.

Embora a noção de “oceano global”, como um corpo contínuo de água, seja importante para a oceanografia, o oceano terrestre é, para efeitos práticos, normalmente dividido em várias partes, demarcadas por continentes e grandes arquipélagos. A tabela abaixo mostra a divisão mais comum, em cinco oceanos; é a oficialmente adotada, desde 2000, pela Organização Hidrográfica Internacional, da qual Brasil e Portugal são membros. Regiões menores dos oceanos são conhecidas como maresgolfos e estreitos.

# Oceano Comentários
1 Oceano Pacífico Separa Ásia e Oceania das Américas
2 Oceano Atlântico Separa as Américas da Eurásia e da África
3 Oceano Índico Banha o sul da Ásia e separa África e Austrália
4 Oceano Glacial Antártico Circunda a Antártida; em alguns casos é considerado a simples extensão sul dos outros três oceanos
5 Oceano Glacial Ártico Banha os entornos do Polo Norte, entre as porções norte da América do Norte e Eurásia. Em alguns casos, é considerado um mar do Atlântico.

Características físicas

 

Os oceanos são ambientes totalmente diferentes do terrestre. Assim, esse ambiente é dominado por fenômenos muito peculiares que não ocorrem em terra, como as marés, as ondas, as correntes marinhasvórtices,tsunamis, etc.

Origem

No meio ambiente terreno a água na forma como a conhecemos encontra-se num estado intermediário entre o estado gasoso vapor e o sólido gelo, quando exposta as intempéries, o calor da crosta terrestre, os raios solares, aos ventos, a pressão atmosférica, promove a evaporação e precipitação desse liquido sobre o próprio mar e os continentes, dando início ao ciclo das águas, responsável pela sedimentação do fundo do mar e a salinização dos oceanos.

Biologia

Segundo a hipótese de Oparin, a vida surgiu no oceano e evoluiu durante muito tempo nesse ambiente, vindo a ocupar o ambiente terrestre apenas em épocas mais recentes (veja escala de tempo geológico e Experiência de Miller-Urey). Dessa forma, os organismos mais primitivos na linha da vida encontram-se no oceano, como as esponjas e cnidários. Veja Biologia Marinha para uma descrição sucinta dos organismos marinhos.

Desertos Marinhos



Grandes porções dos oceanos são chamados de desertos marinhos por conta do baixo teor de nutrientes, oxigênio e por isso a produtividade é baixa pois poucos organismos habitam lá.

Aumento da Temperatura

Em 20 de julho de 2009, cientistas do Centro Nacional de Dados Climáticos dos Estados Unidos, informaram à imprensa que os oceanos estão com a temperatura média de 17 °C, a mais alta desde 1880, quando iniciou-se os registros. Graças ao calor da Luz solar,que está aumentando cada vez mais,com o rompimento da camada de ozônio.

Exploração

O estudo dos oceanos da Terra é chamado oceanografia. As viagens na superfície do oceano com o uso de botes datam de tempos pré-históricos, mas só nos últimos tempos as explorações submarinas se tornaram possíveis e comuns.

O ponto mais profundo do oceano são as Fossas Marianas, localizadas no oceano Pacífico, próximos às Ilhas Marianas, com uma profundidade máxima de 11.037 metros, de acordo com a inspeção feita em 1960, pelo batiscafo da Marinha britânica 'Challenger 2', que deu seu nome à parte mais profunda da fossa, 'Challenger Deep'.

Morfologia do fundo marinho


 

a porção do fundo marinho que está mais próxima a terra firme. Divide-se em:

  • Plataforma continental ou plataforma submarina: é a menos profunda, chega aos 200 m de profundidade, sendo bastante plana. A água que a cobre costuma conter vida marinha em abundância e a maior parte da pesca realiza-se nesta zona. Aqui encontra-se a quarta parte da produção mundial de petróleo e gás procedente das rochas que se encontram abaixo destas plataformas.
  • Talude continental, escarpada ou escarpa continental. A extensão do talude varia dependendo do oceano em que se encontre. Tem uma pendente mais pronunciada que a anterior e se situa entre os 200 até 3000 metros de profundidade aproximadamente.
  • Borda continental. Encontra-se na parte final do talude e marcaria o limite com os fundos oceânicos.
  • Dorsal centro-oceânica. São correntes montanhosas submarinas, vastas e escarpadas, geralmente localizadas no centro dos oceanos. Em média medem 1000 km de largura com uma altura de 3000 m. Formam um sistema mais ou menos conectado de 80 000 km de comprimento, recebendo diferentes nomes, por exemplo, dorsal Mesoatlânticadorsal de Reykjanesdorsal do Pacífico Oriental.
  • Planícies abissais. Formam-se entre as dorsais oceânicas e as margens continentais. São zonas muito planas e uniformes, em torno dos 4.000 m de profundidade. Supõem aproximadamente 40 % do fundo do oceano.
  • Vulcões submarinos
  • Fossas oceânicas ou abissais. São as partes mais profundas dos oceanos, com uma média de 7000 a 8000 m de profundidade, que podem chegar a medir milhares de quilómetros de distância. A fossa das Marianas tem a maior profundidade do planeta com mais de 11 000 m abaixo do nível do mar.
  • Falésias: são formas de relevo litorâneo abruptas, com declive acentuado e alturas variadas, origina-se da acção das ondas do mar sobre as rochas.
Fossa oceânica Localização Profundidade (m)
Fossa Challenger ou das Marianas Pacífico (sul das ilhas Marianas) 11 034
Fossa de Tonga Pacífico (noroeste da Nova Zelândia) 10 822
Fossa do Japão Pacífico (este do Japão) 10 554
Fossa das Curilas ou da Kamchatka Pacífico (Sul das ilhas Curilas) 10 542
Fossa das Filipinas Pacífico (este das Filipinas) 10 540
Fossa de Kermadec Pacífico (Nordeste da Nova Zelândia) 10 047
Fossa de Porto Rico Atlântico (este de Porto Rico) 8 800
Fossa de Bougainville Pacífico (E Nova Guiné) 9 140
Fossa Sandwich do Sul Atlântico (este das ilhas Sandwich) 8 428
Fossa do Peru-Chile Pacífico (oeste do Peru e Chile) 8 065
Fossa das Aleutas Pacífico (S Ilhas Aleutas) 7 822
Fossa das Caimão Mar do Caribe (sul de Cuba) 7 680
Fossa de Java Índico (sul da ilha de Java) 7 450
Fossa de Cabo Verde Atlântico (oeste das Ilhas Cabo Verde) 7 292

Contaminação

Os oceanos da Terra também desempenham um papel vital em limpar a atmosfera, e algumas actividades do homem podem os alterar severamente. Os oceanos absorvem enormes quantidades de dióxido de carbono. Por sua vez, o fitoplâncton absorve o dióxido de carbono e desprende oxigénio. O Dr. George Small explica a importância deste ciclo de vida: «Os 70 % do oxigénio que se acrescenta à atmosfera a cada ano provem do plâncton que há no mar». Não obstante, alguns cientistas advertem que o fitoplâncton pudesse diminuir gravemente devido à redução do ozono na atmosfera, do qual se acha que o homem é responsável.

Alguns países acedem a limitar os dejetos permitidos que se atirem ao mar, outros negam-se a faze-lo. O famoso navegador oceânico Jacques Cousteau advertiu: «Temos que salvar os oceanos se queremos salvar a humanidade».

É significativa a concentração de peixes em pequenas zonas do oceano e sua escassez em outras partes. Tal como advertiu William Ricker, biólogo de pesca: O mar não é «um depósito ilimitado de energia alimentar». E o navegador subaquático Jacques-Yves Cousteau advertiu, ao regressar de uma exploração submarina mundial, que a vida nos oceanos tem diminuído nuns 40 % desde 1950 devido à sobrepesca e à contaminação.

cientista marinho suíço Dr. Jacques Piccard previu que em vista da proporção atual da contaminação, os oceanos do mundo ficariam desprovidos de vida em 25 anos. Disse que devido a sua pouca profundidade o mar Báltico seria o primeiro a morrer. Depois morreriam o Adriático e o Mediterrâneo, os quais não têm correntes o suficientemente fortes para transportar a contaminação. Também, o navegador submarino francês Jacques-Yves Cousteau disse que a destruição dos oceanos já se efectuou em 20-30 %. E previu «o fim de tudo em 30 a 50 anos a não ser que se tome acção imediata». Parte desta contaminação deve-se a que a sociedade tem tido durante séculos o conceito equivocado de que estes têm uma capacidade inesgotável para os dejetos.

Oceanos extraterrestres

A Terra é o único planeta conhecido com a água líquida em sua superfície e é certamente o único no nosso próprio sistema solar. No entanto, existem as hipóteses de:

  • Algumas luas possuirem água líquida escondidas sob a superfície, como Europa e, com menos certeza, Calisto e Ganimedes;
  • Luas e planetas terem tido água líquida em sua superfície, no passado -- como parece ser o caso da camada sobre o pólo norte de Marte (resultados recentes da missão Mars Exploration Rovers indicam que Marte teve água parada por um longo período em pelo menos um local, mas sua extensão não é conhecida);
  • Luas e planetas possuirem outros líquidos, que não água, em sua superfície, como foi observado em Titã (embora sua extensão seja pequena e lagos possa ser um termo mais preciso)

A missão espacial Cassini-Huygens descobriu inicialmente apenas o que parece ser leitos de lagos secos e canais de rios vazios, o que sugere que Titã tinha perdido a superfície de líquidos que possa ter tido. O vôo mais recente da Cassini por Titã oferece imagens de radar que sugerem fortemente lagos de hidrocarbonetos próximos das regiões polares mais frias. Uma hipótese é que Titã tenha um oceano de água subterrâneo sob o gelo e a mistura de hidrocarbonetos que formam a sua crosta externa.

Geysers foram encontrados na lua de Saturno Encelado, embora isto pode não envolver corpos de água em estado líquido. Outras luas geladas podem uma vez ter tido oceanos internos que já tenham congelado, tais como Tritão. Os planetas Urano e Netuno podem também possuir grandes oceanos de água líquida sob sua atmosfera espessa, embora a sua estrutura interna não é bem compreendida.

Os astrônomos acreditam que Vênus teve água em estado líquido e, talvez, oceanos em sua história muito recente. Se eles existiram, todos depois desapareceram devido ao recobrimento de sua superfície.

Extrassolares

Além do sistema solar, já foram detectados planetas com valores adequados d e distância à sua estrela central, massa e tamanho para abrigar oceanos ou outras massas de água líquida, mas até o momento pouco se sabe sobre sua composição química. Merecem destaque os planetas que orbitam a estrela Gliese 581: o terceiro, Gliese 581 c, tem a distância certa de seu sol para permitir água líquida na sua superfície (mas seu efeito estufa poderia torná-lo demasiado quente para os oceanos existirem na superfície); já em Gliese 581 d, o efeito estufa pode trazer temperaturas adequadas para a superfície dos oceanos; Gliese 581 g, por outro lado, parece ser o mais similar à Terra.

Astrônomos polemizam se HD 209458 b tem vapor de água em sua atmosfera. Acredita-se que Gliese 436 b possa ter 'gelo quente'. Nenhum desses planetas são suficientemente frios para possuírem água líquida, mas se as moléculas de água ali existem, eles são também suscetíveis de serem encontradas em planetas a uma temperatura adequada. Descobriram-se evidências de que o planeta GJ 1214 b, detectado pelo trânsito, tem oceanos feitos de forma exótica de gelo VII, que compõem 75% da massa de todo o planeta.

 

From Wikipedia, the free encyclopedia

ENG - 

Further information: Seawater
For other uses, see Ocean (disambiguation).

 
 
Earth's oceans

World Ocean

An ocean (from Ancient Greek Ὠκεανόςtransc. Okeanós, the sea of classical antiquity) is a body of saline water that composes much of a planet's hydrosphere. On Earth, an ocean is one of the major conventional divisions of the World Ocean, which covers almost 71% of its surface. These are, in descending order by area, the PacificAtlanticIndianSouthern (Antarctic), and Arctic Oceans. The word sea is often used interchangeably with 'ocean' in American English but, strictly speaking, a sea is a body of saline water (generally a division of the world ocean) partly or fully enclosed by land.

Saline water covers approximately 72% of the planet's surface (~3.6×108 km2) and is customarily divided into several principal oceans and smaller seas, with the ocean covering approximately 71% of Earth's surface and 90% of the Earth's biosphere. The ocean contains 97% of Earth's water, and oceanographers have stated that less than 5% of the World Ocean has been explored. The total volume is approximately 1.35 billion cubic kilometers (320 million cu mi) with an average depth of nearly 3,700 meters (12,100 ft).

As the world ocean is the principal component of Earth's hydrosphere, it is integral to all known life, forms part of the carbon cycle, and influences climate and weather patterns. The world ocean is the habitat of 230,000 known species, but because much of it is unexplored, the number of species that exist is much larger, possibly over two million. The origin of Earth's oceans remains unknown; oceans are thought to have formed in the Hadean period and may have been the impetus for the emergence of life.

Extraterrestrial oceans may be composed of water or other elements and compounds. The only confirmed large stable bodies of extraterrestrial surface liquids are the lakes of Titan, although there is evidence for the existence of oceans elsewhere in the Solar System. Early in their geologic histories, Mars and Venus are theorized to have had large water oceans. The Mars ocean hypothesis suggests that nearly a third of the surface of Mars was once covered by water, and a runaway greenhouse effect may have boiled away the global ocean of Venus. Compounds such as salts and ammonia dissolved in water lower its freezing point so that water might exist in large quantities in extraterrestrial environments as brine or convecting ice. Unconfirmed oceans are speculated beneath the surface of many dwarf planets and natural satellites; notably, the ocean of Europa is estimated to have over twice the water volume of Earth. The Solar System's giant planets are also thought to have liquid atmospheric layers of yet to be confirmed compositions. Oceans may also exist on exoplanets and exomoons, including surface oceans of liquid water within a circumstellar habitable zoneOcean planets are a hypothetical type of planet with a surface completely covered with liquid.

Oceanic divisions

Further information: Borders of the oceans

 

Though generally described as several separate oceans, these waters comprise one global, interconnected body of salt water sometimes referred to as the World Ocean or global ocean.[15][16] This concept of a continuous body of water with relatively free interchange among its parts is of fundamental importance to oceanography.[17]

The major oceanic divisions – listed below in descending order of area and volume – are defined in part by the continents, various archipelagos, and other criteria.[9][12][18]

# Ocean Location Area
(km2)
(%)
Volume
(km3)
(%)
Avg. depth
(m)
Coastline
(km)
1 Pacific Ocean Separates Asia and Oceania from the Americas[19][NB] 168,723,000
46.6
669,880,000
50.1
3,970 135,663
2 Atlantic Ocean Separates the Americas from Europe and Africa[20] 85,133,000
23.5
310,410,900
23.3
3,646 111,866
3 Indian Ocean Washes upon southern Asia and separates Africa and Australia[21] 70,560,000
19.5
264,000,000
19.8
3,741 66,526
4 Southern Ocean Sometimes considered an extension of the Pacific, Atlantic and Indian Oceans,[22][23]which encircles Antarctica 21,960,000
6.1
71,800,000
5.4
3,270 17,968
5 Arctic Ocean Sometimes considered a sea or estuary of the Atlantic,[24][25] which covers much of the Arctic and washes upon northern North America and Eurasia[26] 15,558,000
4.3
18,750,000
1.4
1,205 45,389
Total – World Ocean 361,900,000
100
1,335,000,000
100
3,688 377,412[27]
NB: Volume, area, and average depth figures include NOAA ETOPO1 figures for marginal South China Sea.
Sources: Encyclopedia of Earth,[19][20][21][22][26] International Hydrographic Organization,[23] Regional Oceanography: an Introduction (Tomczak, 2005),[24]Encyclopædia Britannica,[25] and the International Telecommunication Union.[27]

Oceans are fringed by smaller, adjoining bodies of water such as seasgulfsbaysbights, and straits.

Global system


 
Further information: Seawater

The total mass of the hydrosphere is about 1.4 quintillion metric tons (1.4×1018 long tons or 1.5×1018 short tons), which is about 0.023% of Earth's total mass. Less than 3% is freshwater; the rest is saltwater, almost all of which is in the ocean. The area of the World Ocean is about 361.9 million square kilometers (139.7 million square miles),[9] which covers about 70.9% of Earth's surface, and its volume is approximately 1.335 billion cubic kilometers (320.3 million cubic miles).[9] This can be thought of as a cube of water with an edge length of 1,101 kilometers (684 mi). Its average depth is about 3,688 meters (12,100 ft),[9] and its maximum depth is 10,994 meters (6.831 mi) at the Mariana Trench.[29] Nearly half of the world's marine waters are over 3,000 meters (9,800 ft) deep.[16] The vast expanses of deep ocean (anything below 200 meters or 660 feet) cover about 66% of Earth's surface.[30] This does not include seas not connected to the World Ocean, such as the Caspian Sea.

The bluish color of water is a composite of several contributing agents. Prominent contributors include dissolved organic matter and chlorophyll.[31] Mariners and other seafarers have reported that the ocean often emits a visible glow which extends for miles at night. In 2005, scientists announced that for the first time, they had obtained photographic evidence of this glow.[32] It is most likely caused by bioluminescence.[33][34][35]

Oceanic zones


 
The major oceanic zones, based on depth and biophysical conditions

Oceanographers divide the ocean into different zones by physical and biological conditions. The pelagic zone includes all open ocean regions, and can be divided into further regions categorized by depth and light abundance. The photic zone includes the oceans from the surface to a depth of 200 m; it is the region where photosynthesis can occur and is, therefore, the most biodiverse. Because plants require photosynthesis, life found deeper than the photic zone must either rely on material sinking from above (see marine snow) or find another energy source. Hydrothermal vents are the primary source of energy in what is known as the aphotic zone (depths exceeding 200 m). The pelagic part of the photic zone is known as the epipelagic.

The pelagic part of the aphotic zone can be further divided into vertical regions according to temperature. The mesopelagic is the uppermost region. Its lowermost boundary is at a thermocline of 12 °C (54 °F), which, in the tropics generally lies at 700–1,000 meters (2,300–3,300 ft). Next is the bathypelagic lying between 10 and 4 °C (50 and 39 °F), typically between 700–1,000 meters (2,300–3,300 ft) and 2,000–4,000 meters (6,600–13,100 ft), lying along the top of the abyssal plain is the abyssopelagic, whose lower boundary lies at about 6,000 meters (20,000 ft). The last zone includes the deep oceanic trench, and is known as the hadalpelagic. This lies between 6,000–11,000 meters (20,000–36,000 ft) and is the deepest oceanic zone.

The benthic zones are aphotic and correspond to the three deepest zones of the deep-sea. The bathyal zone covers the continental slope down to about 4,000 meters (13,000 ft). The abyssal zone covers the abyssal plains between 4,000 and 6,000 m. Lastly, the hadal zone corresponds to the hadalpelagic zone, which is found in oceanic trenches.

The pelagic zone can be further subdivided into two subregions: the neritic zone and the oceanic zone. The neritic zone encompasses the water mass directly above the continental shelves whereas the oceanic zone includes all the completely open water.

In contrast, the littoral zone covers the region between low and high tide and represents the transitional area between marine and terrestrial conditions. It is also known as the intertidal zone because it is the area where tide level affects the conditions of the region.

The ocean can be divided into three density zones: the surface zone, the pycnocline, and the deep zone. The surface zone, also called the mixed layer, refers to the uppermost density zone of the ocean. Temperature and salinity are relatively constant with depth in this zone due to currents and wave action. The surface zone contains ocean water that is in contact with the atmosphere and within the photic zone. The surface zone has the ocean's least dense water and represents approximately 2% of the total volume of ocean water. The surface zone usually ranges between depths of 500 feet (150 m) to 3,300 feet (1,000 m) below ocean surface, but this can vary a great deal. In some cases, the surface zone can be entirely non-existent. The surface zone is typically thicker in the tropics than in regions of higher latitude. The transition to colder, denser water is more abrupt in the tropics than in regions of higher latitudes. The pycnocline refers to a zone wherein density substantially increases with depth due primarily to decreases in temperature. The pycnocline effectively separates the lower-density surface zone above from the higher-density deep zone below. The pycnocline represents approximately 18% of the total volume of ocean water. The deep zone refers to the lowermost density zone of the ocean. The deep zone usually begins at depths below 3,300 feet (1,000 m) in mid-latitudes. The deep zone undergoes negligible changes in water density with depth. The deep zone represents approximately 80% of the total volume of ocean water. The deep zone contains relatively colder and stable water.

If a zone undergoes dramatic changes in temperature with depth, it contains a thermocline. The tropical thermocline is typically deeper than the thermocline at higher latitudes. Polar waters, which receive relatively little solar energy, are not stratified by temperature and generally lack a thermocline because surface water at polar latitudes are nearly as cold as water at greater depths. Below the thermocline, water is very cold, ranging from −1 °C to 3 °C. Because this deep and cold layer contains the bulk of ocean water, the average temperature of the world ocean is 3.9 °C.[citation needed] If a zone undergoes dramatic changes in salinity with depth, it contains a halocline. If a zone undergoes a strong, vertical chemistry gradient with depth, it contains a chemocline.

The halocline often coincides with the thermocline, and the combination produces a pronounced pycnocline.

 

This page was generated by Geocaching Portugal Listing Generator
Flag Counter

Additional Hints (Decrypt)

939420527

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Return to the Top of the Page

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.