Skip to Content

Cache In Trash Out Event

AlgarCITO'2017 - 2ª Edição

A cache by saltitona e a'jrebelo Send Message to Owner Message this owner
Hidden : Saturday, September 30, 2017
In Faro, Portugal
Difficulty:
2 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size: other (other)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Com vista à comemoração do 15º Semana Internacional Cache In Trash Out (CITO) e no seguimento dos dos anos anteriores, organiza-se este  CITO para prosseguimento dos trabalhos efectuados na remoção de espécies invasoras.

 

Remoção de Espécies Invasoras

Plantas invasoras são plantas não nativas que causam impactes ambientais e económicos negativos.

Muitas das plantas que nos rodeiam foram transportadas do seu habitat natural para outros locais pelo que são denominadas plantas exóticas. Algumas destas espécies coexistem com as espécies nativas de forma equilibrada, mas outras há que se desenvolvem muito rapidamente e escapam ao controlo do Homem tornando-se nocivas – estas são designadas espécies invasoras. Além de superarem as barreiras geográficas, estas espécies conseguem superar barreiras bióticas e abióticas, mantendo populações estáveis.

O chorão-das-praias (Carpobrotus edulis), é uma espécie de planta suculenta, rastejante, nativa da região do Cabo, na África do Sul.

Subarbusto suculento e rastejante, com caules descaídos muito ramificados e com enraizamento em nós, que podem atingir alguns metros formando grandes tapetes densos. Apresenta folhas muito carnudas, quase encurvadas ou retas, estreitas, flores solitárias amarelas ou rosadas e frutos carnudos, globosos, amarelos e comestíveis. Florescem de março a junho.

A invasão pelo chorão-da-praia decorre geralmente de perturbações e uma vez estabelecido é competitivamente muito superior à vegetação nativa à qual se sobrepõe, eliminando-a. Reproduz-se sexuada e assexuadamente. A sua elevada velocidade de crescimento vegetativo e a sua forte adaptabilidade a ambientes difíceis levam-no a cobrir superfícies extensas num curto período de tempo, formando tapetes densos e contínuos que impedem a instalação da vegetação nativa. Deixa no solo uma camada de matéria orgânica em decomposição que inibe a regeneração de outra vegetação. Os frutos maduros são consumidos por aves (p.ex.: gaivotas) e pequenos mamíferos, que contribuem para a disseminação das sementes, expulsas através dos dejetos. As sementes permanecem no solo com capacidade germinativa durante vários anos. Germina intensivamente após passagem do fogo.

O controlo mecânico é considerado o mais eficaz. Faz-se por arranque manual das plantas das zonas colonizadas. As plantas arrancadas deverão ser removidas imediatamente do local, pois podem constituir mais um foco de invasão. 

Mais informação sobre o Chorão-da-praia: http://invasoras.pt/gallery/carpobrotus-edulis/

Mais informação sobre as espécies invasoras em Portugal: http://invasoras.pt/

Com este CITO, em conjunto com a Agência Portuguesa do Ambiente, pretende-se promover, no próximo dia 30 de setembro, das 10:30h às 11:30h, com o apoio de outras Entidades, mais uma ação de remoção de chorão na Ria Formosa, numa área na parte de traz do Aeroporto Internacional de Faro

Additional Hints (No hints available.)



 

Find...

8 Logged Visits

Write note 1     Will Attend 6     Publish Listing 1     

View Logbook | View the Image Gallery

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated: on 9/22/2017 3:32:08 PM Pacific Daylight Time (10:32 PM GMT)
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page