Skip to Content

<

O xenólito vigilante - The vigilant xenolith

A cache by joom Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 4/22/2018
Difficulty:
3.5 out of 5
Terrain:
2.5 out of 5

Size: Size: other (other)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Perguntas para responder - questions to answer

Para reclamar esta earthcache deverá enviar-me, através do meu perfil, as respostas às seguintes questões. Se algo estiver incorrecto será contactado.

Nas coordenadas da earthcache há xenólitos num dos merlões. O merlão é a parte saliente do parapeito de uma fortificação, entre duas seteiras ou ameias. No vértice mais a Sul e no primeiro merlão, sem ser o do canto, e que está virado para Este. Em caso de dúvida: não há nesse canto nenhuns binóculos.

1 – Nesse merlão há vários xenólitos visíveis. Há um maior que os outros, não é de tom claro e está sensivelmente a 1,4 m do chão. Qual é a sua dimensão e a sua forma? Qual é a altura do merlão onde está este xenólito? O seu eixo maior está na vertical? A 5 cm para cima há uma mancha escura que não é.

2 – Explique por palavras suas porque é que este xenólito não pode ser considerado um autólito.

3 – Pelo texto classifique a textura do granito do merlão onde está o xenólito segundo a dimensão, tamanho relativo e forma dos cristais que a constituem? O granito do merlão vizinho e na direcção Norte tem a mesma classificação? Se não, o que muda?

Opcional: uma foto sua no local, incluída no registo, será apreciada, e prova que efectivamente esteve lá. Note que não deverá ser possível estimar as respostas através das fotografias publicadas. Obrigado pela visita.

To claim this earthcache one should send me, through my profile, the answers to the following questions. If something is incorrect I'll contact you.

At the earthcache coordinates there are xenoliths in one of the merlons. The merlon is the protruding part of the parapet of a fortification between two gutters or battlements. At the Southern vertex and in the first merlon, without being the one of the corner, and facing East. If in doubt: there are no binoculars in this corner.

1 – In this merlon there are several visible xenoliths. There is one bigger than the others, it is not of a clear tone and is roughly 1.4 m off the ground. What is its size and shape? What is the height of the merlon where is this xenolith? Is its major axis vertical? At 5 cm up there is a dark spot that is not a xenolith.

2 – Explain, using your own words, why this xenolith cannot be considered an autolith?

3 –By the text classify the texture of the merlon’s granite where the xenolith is, according to the dimension, relative size and form of the crystals that constitute it. Does the granite of the neighbour and northbound merlon have the same classification? If not, what is different?

Optional: a photo of you at the place, and included in your log, will be appreciated and it proofs that you were effectively there. Please note that the answers should not be estimated by one looking at the photo. Thank you for your visit.

Os xenólitos

Um xenólito (do grego para pedra estranha) é um fragmento de rocha que é envolvido por uma rocha maior durante o desenvolvimento e endurecimento desta última. Em geologia este termo é aplicado quase exclusivamente na descrição de inclusões em rochas ígneas durante a colocação e erupção do magma. Os xenólitos podem ser arrastados ao longo da orla de uma câmara magmática, arrancados das paredes de um tubo de lava ou por diatremas explosivos ou arrastados ao longo da base de um fluxo de lava na superfície terrestre. Um xenólito é sempre mais antigo que a sua rocha encaixante.

Xenólito num granito Xenólito num basalto

Um xenocristal é um cristal individual, estranho à rocha encaixante, incluído numa intrusão ígnea. Como exemplos de xenocristais temos os cristais de quartzo em lavas pobres em sílica e os diamantes em diatremas quimberlíticos.

Apesar de ser aplicado sobretudo a rochas ígneas, uma interpretação mais abrangente pode incluir também fragmentos de rocha incluídos em rochas sedimentares. Por vezes são encontrados em meteoritos.

De forma a ser considerado um verdadeiro xenólito, a rocha incluída tem de ser diferente da rocha encaixante; um fragmento incluído de rocha similar à encaixante denomina-se autólito.

Texturas das rochas

Para além da cristalinidade a textura das rochas magmáticas pode ser descrita pela dimensão e forma dos cristais e também pela relação e arranjo dos seus constituintes. Assim a textura de uma rocha, neste caso um granito, pode ser classificada segundo o tamanho dos cristais, o seu tamanho relativo e a forma dos cristais.

Dimensão dos cristais

Quanto à dimensão, a textura pode ser classificada segundo a visibilidade dos cristais à vista desarmada. Se for esse o caso a textura é fanerítica se os cristais só são visíveis com recurso a um microscópio a textura é afanítica.

 

Faneríticas Afaníticas
Grão muito grosseiro > 30mm
Grão grosseiro 5 a 30mm
Grão médio 2 a 5mm
Grão fino < 2mm
Microcristalinas (cristais identificáveis ao microscópio óptico)
Criptocristalinas (cristais não identificáveis ao microscópio óptico)

Textura fanerítica de um granito

Textura afanítica de um basalto

 

Tamanho relativo dos cristais

Quanto ao tamanho relativo, a textura pode ser classificada segundo a relação de tamanho entre os vários cristais que constituem a rocha. Se os cristais têm tamanho semelhante a textura é equigranular se os cristais diferem substancialmente de tamanho a textura é inequigranular. Um tipo particular de textura inequigranular é a porfiróide em que cristais de maiores dimensões estão envolvidos numa matriz fanerítica de grão mais fino.

 

Equigranular Inequigranular

Textura equigranular de um granito

Textura inequigranular de um granito

 

Forma dos cristais

Quanto à forma dos cristais, a textura pode ser classificada em três tipos e relacionadas com a uniformidade da forma.

1 - Idiomórfica, em que a maioria dos cristais (mais de 90%) têm formas geométricas regulares, os cristais euédricos;
2 - Hipidiomórfica, em que os cristais são subeuédricos ou quando existem conjuntamente cristais idiomorfos, subidiomorfos e xenomorfos;
3 - Alotriomórfica, em a maior parte dos cristais (mais de 90%) têm formas geométricas irregulares; os cristais anédricos.

 

Idiomórficas Hipidiomórficas Alotriomórficas

Fontes:

Wikipedia

http://www.dct.uminho.pt/pnpg/trilhos/pitoes/paragem5/textura.html


The xenoliths

A xenolith (Ancient Greek: "foreign rock") is a rock fragment which becomes enveloped in a larger rock during the latter's development and solidification. In geology, the term xenolith is almost exclusively used to describe inclusions in igneous rock during magma emplacement and eruption. Xenoliths may be engulfed along the margins of a magma chamber, torn loose from the walls of an erupting lava conduit or explosive diatreme or picked up along the base of a flowing body of lava on the Earth's surface. A xenocryst is an individual foreign crystal included within an igneous body. Examples of xenocrysts are quartz crystals in a silica-deficient lava and diamonds within kimberlite diatremes.

Xenoltih inside granite Xenoltih inside basalt

Although the term xenolith is most commonly associated with igneous inclusions, a broad definition could include rock fragments which have become encased in sedimentary rock. Xenoliths are sometimes found in recovered meteorites.

To be considered a true xenolith, the included rock must be identifiably different from the rock in which it is enveloped; an included rock of similar type is called an autolith or a cognate inclusion.

Rock textures

Besides the crystallinity, the texture of the magmatic rocks can be described by the size and shape of the crystals and also by the relation and arrangement of their constituents. Thus the texture of a rock, in this case a granite, can be classified according to the size of the crystals, their relative size and the shape of the crystals.

Crystal dimensions

As for dimension, the texture can be classified according to the visibility of the crystals to the naked eye. If this is the case the texture is phaneritic if the crystals are only visible with a microscope the texture is aphrotic.

 

Phaneritic Aphanitic
Very coarse gravel > 30mm
Coarse gravel 5 a 30mm
Medium gravel 2 a 5mm
Sand < 2mm
Microcrystalline (crystals that can be identified under an optical microscope)
Cryptocrystallins (crystals not identifiable under the light microscope)

Granite's phaneritic texture

Basalt's aphanitic texture

 

Relative size of crystals

As for the relative size, the texture can be classified according to the size relationship between the various crystals that make up the rock. If the crystals have similar texture size it is equigranular if the crystals differ substantially in size the texture is inequigranular. A particular type of inequigranular texture is the porphiroid in which larger crystals are involved in a finer grain phaneritic matrix.

 

Equigranular Inequigranular

Granite's equigranular texture

Granite's inequigranular texture

 

Crystal shape

As for the shape of the crystals, the texture can be classified into three types and related to the uniformity of the shape.

1 - Idiomorphic, in which most crystals (more than 90%) have regular geometric shapes, euhedral crystals;
2 - Hipidiomorphic, wherein the crystals are sub-hetero-or when there are together idiomorphic, subidiomorph and xenomorph crystals;
3 - Alotriomorphic, in most crystals (more than 90%) have irregular geometric shapes; the anhedral crystals.

 

Idiomorphic Hipidiomorphic Alotriomorphic

 

Source:

Wikipedia

Horário de acesso - Access timetable

2ª a 6ª - 10.00 /18.00

Sábados, Domingos e Feriados - 10.00 /13.00 - 14.30/17.30

Nota: Encerra a 24 e 25 de Dezembro; 1 de Janeiro; Sexta-Feira Santa e Dia de Pascoa.

Monday to Friday- 10.00 /18.00

Saturday, Sunday, Holydays- 10.00 /13.00 - 14.30/17.30

Nota: Closed at 24 and 25 December; Januarty 1st; Good Friday and Easter Day.

 

Por favor não partilhe as respostas. Para que continuem a existir earthcaches junte ao registo uma fotografia desse dia no ponto zero. Assim ajuda a acabar com as visitas fantasmas a lembrar o Walter Mitty.
Please do not share the answers. To make sure that earthcaches endure append to your log a photo of the day at ground zero. It helps to end ghost visits that resemble Walter Mitty.

Additional Hints (No hints available.)



 

Find...

17 Logged Visits

Found it 15     Write note 1     Publish Listing 1     

View Logbook | View the Image Gallery of 61 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated:
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.