Skip to Content

<

Lençóis Maranhenses (Brasil)

A cache by os.smurfs Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 04/21/2019
Difficulty:
2.5 out of 5
Terrain:
2.5 out of 5

Size: Size: other (other)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


[PT]

Os Lençóis Maranhenses constituem um autêntico paraíso, difícil de descrever, devido à sua beleza singular. Ao longo de milhares de anos foram-se formando dunas de areia branca e fina a perder de vista. No meio destas dunas, ergueram-se milhares de lagoas de água do doce e cristalina formadas pela água da chuva, tornado o cenário único no mundo. As lagoas têm diversos tamanhos e a cor da água vai do azul cristalino ao verde turquesa (Pinto, 2019).


Lençóis Maranhenses

Lençóis Maranhenses (os.smurfs, 2019)

Este paraíso natural encontra-se localizado no noroeste do estado do Maranhão, a cerca de 250 km da cidade de São Luís no Brasil, ocupando uma área superior a 155 mil hectares (Renne, 2017). Desde 1981 que esta área se encontra protegida, através da criação do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses (Pompêo & Moschini-Carlos, s/d).


Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses

Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses (Zolnerkevic, 2013)

A principal porta de entrada no parque é a povoação de Barreirinhas (Pinto, 2019), a cerca de 4h de carro de São Luís. Aqui encontra inúmeras ofertas para visitar os Lençóis Maranhenses. Para chegar ao GZ recomendamos que o percurso seja feito através de um veículo todo-o-terreno. Em Barreirinhas é fácil encontrar as “jardineiras”, veículos todo-o-terreno adaptados para o transporte de turistas, capazes de superar os pequenos rios e os grandes charcos de água que aparecem no caminho (Pinto, 2019).

Os Lençóis Maranhenses constituem o mais importante campo de dunas da América do Sul, e um dos mais significativos do mundo, estendendo-se para o interior do continente por mais de 50 km (Pompêo & Moschini-Carlos, s/d).

Neste lugar onde a generosidade da Mãe Natureza foi ilimitada, somos confrontados com uma paisagem única que altera constantemente a sua forma devido à força dos ventos (Araya, 2015) e cuja aparência se assemelha a lençóis amarrotados (Pompêo & Moschini-Carlos, s/d).

Estamos perante um fenómeno geológico raro, formado ao longo de milhares de anos através da ação da natureza, nomeadamente, da feliz relação entre o ritmo anual de subida e descida do nível do lençol freático e a intensidade com que o vento vindo do mar faz as dunas crescerem e se movimentarem (Zolnerkevic, 2013).

Contrariamente aos outros desertos, os Lençóis Maranhenses recebem até 2 mil milímetros de precipitação anual. A chuva ocorre principalmente entre janeiro e julho (mais de 90%), sendo absorvida rapidamente pela areia, elevando o lençol freático acima do chão e enchendo as lagoas temporárias entre as cadeias de dunas, que quase não se mexem nessa época do ano devido à humidade e à falta de vento (Zolnerkevic, 2013). Ao longo do segundo semestre as lagoas secam devido à falta de precipitação e à predominância dos ventos que sopram sempre do leste, alcançando velocidades de 70 Km/h (Zolnerkevic, 2013). Como o vento sopra sempre na mesma direção, as dunas assumem uma forma de meia-lua conhecida como barcana, um monte com dois braços orientados na direção do vento (Zolnerkevic, 2013).


Paisagem dos Lençóis Maranhenses

Paisagem dos Lençóis Maranhenses (Zolnerkevic, 2013)

De acordo com o Atlas do Estado do Maranhão (1984) citado por Pompêo e Moschini-Carlos, (s/d), a “posição intracratônica do Meio-Norte (Maranhão-Piauí) favoreceu a formação de uma estrutura geológica sedimentar, constituindo vasta bacia cuja génese está ligada às transgressões e regressões marinhas, combinadas com movimentos subsidentes e arqueamentos ocorridos desde o início do Paleozoico ao final do Mesozoico”. Segundo Pompêo e Moschini-Carlos (s/d) “Durante os movimentos negativos eram depositados sedimentos marinhos, acumulando-se arenitos, folhedos e calcários, enquanto que durante os movimentos epirogenéticos positivos depositaram-se sedimentos basálticos de origem continental”.


Dunas

Dunas (os.smurfs, 2019)

As areias são constituídas “por detritos desagregados de tamanhos compreendidos entre 0,063 e 2 milímetros” (Ciência Viva, 2012). A sua composição mineralógica pode ser variada, “dependendo da composição das rochas de cuja desagregação resultaram os seus constituintes detríticos” (Infopédia, 2019).

As areias mais frequentes são as siliciosas, calcárias, basálticas e ferruginosas:

Areias siliciosas - são areias constituídas por quartzo. Podem suportar um longo transporte, enquanto que outros minerais são decompostos e depois arrastados em solução (Infopédia, 2019).

Areias calcárias - são areias que resultam da arenização de rochas calcárias e em que o mineral essencial é a calcite (carbonato de cálcio) (Infopédia, 2019).

Areias basálticas - são areias resultantes da arenização dos basaltos onde com frequência se encontram minerais corados como piroxenas, granadas, olivinas, etc. (Infopédia, 2019).

Areias ferruginosas - são areias resultantes da arenização de rochas com minerais ferruginosos ou resultantes da acumulação de uma fração ferruginosa, por vezes rica em magnetite, ou contendo óxidos ou hidróxidos de ferro (Infopédia, 2019).

A cor que as areias apresentam “relaciona-se muito com a sua composição mineralógica. Assim, as areias siliciosas são brancas, quando puras, assim como, as areias calcárias. As areias basálticas são negras, bem como as que são ricas em matéria orgânica ou em compostos de magnésio. Os compostos de ferro conferem às areias coloração amarelada ou esverdeada” (Ciência Viva, 2012).


Relativamente ao tamanho, “a areia é classificada em três categorias de granularidade: areia fina, média e grosseira, com diâmetros a variar, respectivamente, entre 1/16mm e 1/4mm; 1/4mm e 1mm; e 1mm e 2mm” (Ciência Viva, 2012).

Todas as areias apresentam um elevado grau de permeabilidade e são insolúveis na água (Ciência Viva, 2012).

------------------------------------------------------------------------------------------

[EN]

Coming soon…

------------------------------------------------------------------------------------------

Referências/References

Araya, M. (2015). Lençóis Maranhenses, MA: quando ir, como chegar, o que visitar. G1. Consultado a 21 de abril de 2019 em https://glo.bo/1HpZY7J

Ciência Viva (2012). Areias e Ambientes Sedimentares. Consultado a 21 de abril de 2019 em https://bit.ly/2W6RDo0

Fialho, M. (2017). Localização do Parque Nacional dos Lençóis, Maranhão. Consultado a 21 de abril de 2019 em https://bit.ly/2DmDVpJ

Infopédia (2019). Areia (petrologia). Consultado a 21 de abril de 2019 em https://bit.ly/2KUglal

Pinto, L. (2019). Lençóis Maranhenses. Alma de Viajante. Consultado a 21 de abril de 2019 em https://bit.ly/2Zu2Mlh

Pompêo, M. L. M., & Moschini-Carlos, V. (s/d). Características Gerais da Região do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, Maranhão, Brasil. Consultado a 21 de abril de 2019 em https://bit.ly/2ULkAtg

Renne, M. (2017). Lençóis Maranhenses: 35 dicas para a sua primeira viagem. Melhores Destinos. Consultado a 21 de abril de 2019 em https://bit.ly/2UQk1yr

Zolnerkevic, I. (2013). Segredos nos Lençóis Maranhenses. Consultado a 21 de abril de 2019 em https://bit.ly/2GsmS6v

[PT]

Para efetuar o Log deve:

1. Identificar o tipo de areia que se encontra no GZ e o mineral preponderante.

2. Indicar a cor e o tamanho da areia.

3. Verificar se perto do GZ se encontra uma bandeira. Se sim, deve identificar a bandeira, apresentar as suas dimensões e indicar a direção do vento.

4. Estimar a distância do GZ à Lagoa Bonita.

Deve enviar as respostas para o nosso endereço de correio eletrónico. Não é preciso aguardar pela nossa resposta para efetuar o log. Se houver necessidade, entraremos em contacto consigo.

Convidamos os geocachers a publicarem fotos do local.


[EN]

To log, you must:

1. Identify the type of sand that is in the GZ and the preponderant mineral.

2. Indicate the color and size of the sand.

3. Check if there is a flag near the GZ. If yes, identify the flag, display its dimensions and indicate the direction of the wind.

4. Estimate the distance from GZ to Lagoa Bonita.

You should send the answers to our email address. You no need to wait for our response to log. We will contact you if we need.

We invite geocachers to post photos of the place.

Additional Hints (Decrypt)

Qrfsehgr n oryrmn qb yhtne.
Rawbl gur ornhgl bs gur cynpr!

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Return to the Top of the Page

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.