Skip to content

<

Mais um Spot - A ver Amália

A cache by rm.guerreiro Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 09/27/2019
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Amália Rodrigues

 

Nome completo: Amália da Piedade Rebordão Rodrigues

Nasceu em Lisboa a 23/07/1920

Faleceu em Lisboa a 06/10/1999

Cantora, Atriz e Fadista, portuguesa, geralmente aclamada como a voz de Portugal e uma das mais brilhantes cantoras do século XX. Encontra-se  sepultada no Panteão Nacional, entre os portugueses ilustres.

 

Tornou-se conhecida mundialmente como a Rainha do Fado e, por consequência, devido ao simbolismo que este género musical tem na cultura portuguesa, foi considerada por muitos como uma das suas melhores embaixadoras no mundo.

 

 

Aparecia em vários programas de televisão pelo mundo fora, onde não só cantava fados e outras músicas de tradição popular portuguesa, como ainda canções contemporâneas (iniciando o chamado fado-canção) e mesmo alguma música de origem estrangeira (francesa, americana, espanhola, italiana, mexicana e brasileira).

 

Marcante contribuição sua para a história do Fado, foi a novidade que introduziu de cantar poemas de grandes autores portugueses consagrados, depois de musicados, de que é exemplo a lírica de Luís de Camões ou as cantigas e trovas de D. Dinis.

Teve ainda ao serviço da sua voz a pena de alguns dos maiores poetas e letristas seus contemporâneos, como David Mourão ferreira, Pedro Homem de Mello, José Carlos Ary dos Santos, entre muitos outros.

 

Rodrigues para além do português falava e cantava em castelhano, galego, francês, italiano e inglês. Também chegou a fazer uns hits em crioulo

 

Em 194 iniciou sua carreira internacional, atuando no Teatro Real de Madrid. Entre 1944 e 1945, ficou 8 meses em cartaz no Casino Copacabana.

 

Estreou-se no cinema em 1947, com o filme Capas Negras, considerado um marco no cinema europeu e latino, tendo ficado mais de um ano em cartaz e sendo o maior sucesso do cinema lusitano até hoje.

 

A canção “Coimbra”, atingiu a segunda posição da tabela Billboard Hot 100, da revista estadunidense Billboard, em 1952. Em maio de 1954, Amália foi capa da mesma revista estadunidense, pois o álbum “Amália in Fado & Flamenco” atingiu a primeira posição entre os mais vendidos nos Estados Unidos. Neste mesmo ano, atuou no Radio City Music Hall em Nova Iorque por 4 meses.

 

     

 

Na década de 1970, embora estivesse no auge da sua fama internacional, sua imagem em Portugal foi afetada por falsos rumores de que Amália tinha ligações com o regime do Estado Novo, de António de Oliveira Salazar.

 

Na verdade, o antigo regime censurou muitos de seus fados. Amália reconquistou a popularidade com o povo português, cantou o hino da Revolução dos Cravos, a canção "Grândola Vila Morena" e deu dinheiro para o Partido Comunista Português clandestinamente.

 

Até à sua morte, em outubro de 1999, 170 álbuns haviam sido editados com seu nome em 30 países, vendendo mais de 30 milhões de cópias em todo o mundo, número 3 vezes maior que a população de Portugal.

 

______________________________________________________

Murais de arte pública no Brejão

O artista Ivo Santos, que assina como Smile, é o responsável pelos quatro murais de arte pública na localidade do Brejão, freguesia de São Teotónio, dedicados ao percurso artístico e de vida da fadista Amália Rodrigues.

 

Esta iniciativa promovida pelo Município de Odemira, com o apoio da Fundação Amália e da Associação Cultural e de Desenvolvimento Económico Social do Brejão, inseriu-se na iniciativa “Odemira recorda Amália”, um evento evocativo e de homenagem à Amália, no ano de 2018.

 

Com esta intervenção de arte pública o rosto de Amália Rodrigues passa a fazer parte duradoura da paisagem da localidade do Brejão, de modo a transmitir a quem por lá passa que Amália Rodrigues acarinhou o concelho de Odemira da mesma forma que a fadista foi acarinhada a população local, em especial a da localidade do Brejão.

 

Ivo Santos nasceu em Lisboa em 1985. Desde muito novo interessou-se pelo desenho, impulsionado pela sua mãe, foi através de dois primos que o interesse se transformou em paixão. Na década de 90, descobre o amor pela Cultura Hip Hop, abraçando o Graffiti como vertente a seguir. No ano 2000 arrisca pela primeira vez a pintura a spray, no ano seguinte regressa às ruas, demonstrando imediatamente o seu talento, vencendo o Concurso de Graffiti de Odivelas em 2002, a partir daí surgem diversas intervenções. A decisão de profissionalizar a sua arte trouxe-lhe trabalhos para entidades tão distintas como a Nissan, Mc Donald's, Billabong, Red Bull, entre muitas outras, bem como o patrocínio da LRG Clothing e DVS Shoes. O Ponto alto da sua atividade como artista urbano obteve-o em 2013, onde a sua intervenção na empena de um edifício em Loures, retratando um jovem com uma história médica complicada, gerou uma onda de solidariedade mediática que resultou na resolução do problema. O mural do “Bartolo” ficará para sempre referenciado como um case study de como a arte urbana pode ajudar a resolver dramas sociais.

 

Com esta iniciativa, o Município de Odemira pretende manter viva a memória desta grande figura da cultura nacional e a ligação que Amália Rodrigues manteve com o concelho de Odemira ao longo da sua vida, sendo exemplo disso a criação do Posto Médico do Brejão, para a qual a fadista destinou em testamento uma parte dos rendimentos da Fundação Amália Rodrigues para a sua concretização.

Additional Hints (No hints available.)



Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.