Skip to content

<

"Aeroporto de Cabo Ruivo" – Memória I" - Bónus Lab

A cache by JSA58 Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 02/09/2020
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   micro (micro)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Translation

"Aeroporto de Cabo Ruivo" – Memória I" - Bónus Lab

 

Descrição da Geocache:

Na zona do Oceanário de Lisboa, existia antes outro complexo, o Aeroporto Marítimo de Cabo Ruivo. Muitos poucos se lembrarão deste magnífico empreendimento.

Na década de 1930, o Governo português decidiu substituir o Campo Internacional de Aterragem, em Alverca, com dois novos aeroportos mais próximos de centro da cidade de Lisboa: o Aeroporto Terrestre da Portela e o Aeroporto Marítimo de Cabo Ruivo, no rio Tejo, que segurou voos transatlânticos operados com hidroaviões.

Inicialmente, a companhia aérea Pan Am (Pan American World Airways), companhia aérea intercontinental dos EUA, estabeleceu provisoriamente a sua base marítima em Cabo Ruivo, em 1938, na borda sudeste do atual Parque das Nações. O primeiro voo comercial de passageiros teve partida em Port Washington, Nova Iorque, e amarou a 29 de junho de 1939, na pista do Aeroporto Marítimo. Este voo transatlântico entre Nova Iorque e Lisboa foi operado por um Boeing 314 "Dixie Clipper" da Pan Am e contou com 22 passageiros e 11 tripulantes a bordo. Em 1939 começam também os voos de Correio Aéreo.

Em 1942 o Aeroporto Terrestre da Portela é concluído e o Governo português decide remodelar a base marítima criada pela Pan Am, fazendo da mesma um verdadeiro aeroporto. Nasce assim a Doca dos Olivais, com todas as estruturas necessárias para o empreendimento, dragagem, construção dos molhes e entrada da doca, 6 cais acostáveis e de serviço e ainda dois planos inclinados para retirar os hidroaviões da doca.

A margem do Tejo entre a Matinha e Beirolas é regularizada. Para ligar os dois aeroportos foi construída uma grande avenida, chamada Avenida Entre Aeroportos, hoje Avenida de Berlim. Os passageiros que faziam escala entre os aeroportos seguiam de carro, pela dita avenida.

A já referida Pan Am, foi uma das grandes promotoras da construção do aeroporto e utilizou-o como eixo e ponto central para os seus voos transatlânticos até 1945, (carece de fontes).

Durante a II Guerra Mundial, estes veleiros transatlânticos providenciaram uma rota de fuga para os refugiados da Europa Continental, aproveitando-se da postura neutra de Portugal na guerra.

Com o grande aumento da importância dos voos de tráfego aéreo terrestre, a era dos hidroaviões terminou e os voos em Cabo Ruivo foram descontinuados no final da década de 1950. A doca foi repensada e reorganizada no contexto da Expo '98 e situa-se no centro do Parque das Nações, onde está localizado o Oceanário de Lisboa, mas sem qualquer menção deste empreendimento. As rampas norte e sul da Doca dos Olivais, bem como os cais de acostagem local da Cache Bónus e o que está em frente são o que resta desta obra, e assim fica “A Memória I”.

A Cache

O container é tamanho micro e não contém material de escrita, nem espaço para trocas de TBs.  Está colocado num local de bastante movimento o que se propõe uma certa descrição no seu manuseamento.

Para encontrar esta Geocache mistério tens de concluir a Adventure Lab "Recordar a EXPO 98".

Completa a aventura e obterás as coordenadas finais utilizando os códigos que guardaste.

Localização Final: N 38 46.0CB W 9 6.DAE

Sabe mais e faz o download da aplicação em:

https://labs.geocaching.com/goto/JSA58



This page was generated by Geocaching Portugal Listing Generator

Additional Hints (Decrypt)

Zntaégvpn.
Ab 4º iregvpny ireqr n frthve qn erqr, n prepn qr 1,6 zrgebf

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.