Skip to content

Os Cantinhos da Penha de França (Lab Bónus) Mystery Cache

Hidden : 07/12/2021
Difficulty:
4 out of 5
Terrain:
2.5 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


O “Forte de Santa Apolónia”, também referido como “Baluarte de Santa Apolónia” ou “Bateria do Manique”, localiza-se na freguesia da Penha de França, concelho e distrito de Lisboa, em Portugal.

Integrava a cintura defensiva seiscentista de Lisboa, no setor leste da cidade, em posição dominante sobre o rio Tejo, numa linha de defesa da orla ribeirinha, com início na foz da ribeira de Alcântara e término na Cruz da Pedra.

História
Acredita-se que a sua edificação remonte ao contexto da Guerra da Restauração (1640-1668), entre 1652 e 1668, data em que estava concluído.

Em época indeterminada, a perda de sua função defensiva fez com que o imóvel do antigo forte fosse integrado aos terrenos da Quinta do Manique, que pertenceu inicialmente a Pedro António de Pina Manique Nogueira de Matos de Andrade, visconde de Manique do Intendente (que lhe fez acrescentar dois portões seiscentistas em cantaria), e, posteriormente, aos condes de São Vicente.

 

 

Em 1945, os remanescentes do antigo forte eram propriedade da firma George & H. Hall, Lda.

Os “Restos do Forte de Santa Apolónia / Baluarte de Santa Apolónia / Bateria do Manique” encontram-se classificados como Imóvel de Interesse Público pelo Decreto n.º 2/96, publicado no Diário da República, I Série-B, n.º 56, de 6 de março.

Da primitiva planta pentagonal, observam-se atualmente apenas os flancos noroeste e sudeste (medindo cada um 45 m), ligados pelo muro de gola (dando sobre a Calçada das Lages), que só numa pequena parte é o primitivo da fortificação militar. Os muros são de alvenaria com cunhais em cantaria de calcário. Nestes últimos, são visíveis elementos de forma cónica invertida, adossados à aresta, as das guaritas, ainda existentes em 1945. No interior, é ainda visível um lanço de degraus adossado ao muro sul.

Os vestígios do forte encontram-se inscritos em zona habitada, numa zona carenciada de espaços verdes. Em nossos dias aguardava a implementação de um projeto de preservação e recuperação encomendado pela Câmara Municipal de Lisboa à Associação dos Amigos dos Castelos. Esse plano previa a recuperação da muralha e de duas guaritas, a escavação do terreno para retirada do entulho e uma intervenção paisagística de forma a preservar o baluarte, transformando-o num espaço verde onde se possa desfrutar a paisagem privilegiada do Tejo. Complementarmente, o projeto sugeriu a criação de um parque infantil, de uma cafetaria, além do aproveitamento de uma das três caves do edifício Concorde, um prédio de habitação de 12 pavimentos construído no interior da fortificação – sem licença de habitação – para instalação de um equipamento, por exemplo uma biblioteca. O custo estimado dessa intervenção era da ordem de um milhão e quinhentos mil euros.

 



Características

Exemplar de arquitetura militar, seiscentista, de enquadramento urbano, isolado.

Apresentava planta pentagonal, com uma área de cerca de 8.044 m², com 95 m de comprimento na face direita leste e c. 73 m na face esquerda norte, incompleta, realizando as duas faces um ângulo de 127 graus. Apresenta os flancos bem marcados e inseridos na gola; a muralha, que acompanha a inclinação do terreno, é de alvenaria com cunhais de cantaria de calcário e bases de duas guaritas, possuindo, também, dois portões seiscentistas mandados construir pelo Visconde de Manique, sendo que o esquerdo dá acesso ao mirante; no coroamento dos muros localizam-se guardas exteriores de alvenaria, canhoneiras e alegretes intervalados com assentos de pedra.

Fonte: fortalezas.org

Nota:

Sobre este tema já houve duas caches “FORTE DE SANTA APOLÓNIA (LISBOA) (GC15BFE)” esta publicada em 2007 numa primeira coordenada dentro do forte mais tarde esta “Forte de Santa Apolónia (GC4FC05)” publicada em 2013 numa segunda coordenada junto ao forte.

Resolvi reativar o tema, porque para além ser um cantinho da Penha de França é um imóvel de interesse público, quanto à cache pode estar por aqui ou não, mas para isso têm que visitar a Adventure Lab

Os Cantinhos da Penha de França (do rio à colina)

 

e resolver o enigma, para obter as coordenadas finais que te permitem chegar ao logbook

 

AVISO: 

  • Geocaching e outras atividades ao ar livre envolvem algum risco para as pessoas.
  • Podem haver variáveis a tem em conta, para assegurar a sua própria segurança
  • Os geocachers assumem todos os riscos envolvidos na visita a esta geocache.
  • Utilize sempre bom-senso e cautela.
  • Esta geocache não é aconselhável para pessoas que sofram de vertigens, tonturas ou tenham medo de alturas.
  • Não é aconselhável deixar sob atenta observação crianças e animais de estimação.
  • Não é aconselhável visitar esta cache à noite ou em dias vento forte.

Additional Hints (Decrypt)

Pvyvaqeb nynenawnqb, znvf vasbeznçãb ab purpxre.

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)