Skip to content

This cache has been archived.

btreviewer: Esta cache foi arquivada por falta de uma resposta atempada e/ou adequada perante as situações relatadas. Relembro a secção das guidelines sobre a manutenção http://www.geocaching.com/about/guidelines.aspx#cachemaintenance :

[quote]
Você é responsável por visitas ocasionais à sua geocache para assegurar que está tudo em ordem para funcionar, especialmente quando alguém reporta um problema com a geocache (desaparecimento, estrago, humidade/infiltrações, etc.), ou faz um registo "Precisa de Manutenção". Desactive temporariamente a sua geocache para que os outros saibam que não devem procurar a geocache até que tenha resolvido o problema. É-lhe concedido um período razoável de tempo - geralmente até 4 semanas - dentro do qual deverá verificar o estado da sua geocache. Se a geocache não estiver a receber a manutenção necessária ou estiver temporariamente desactivada por um longo período de tempo, poderemos arquivar a página da geocache.

Por causa do esforço requerido para manter uma geocache, por favor coloque geocaches físicas no seu espaço habitual de geocaching e não em sítios para onde costuma viajar. Geocaches colocadas durante viagens não serão muito provavelmente publicadas a menos que possa fornecer um plano de manutenção adequado. Este plano deve permitir uma resposta rápida a problemas reportados, e deverá incluir o Nome de Utilizador de um geocacher local que irá tomar conta dos problemas de manutenção na sua ausência. [/quote]

Como owner, se tiver planos para recolocar a cache, por favor, contacte-me por [url=http://www.geocaching.com/email/?u=btreviewer]e-mail[/url].

Lembro que a eventual reactivação desta cache passará pelo mesmo processo de análise como se fosse uma nova cache, com todas as implicações que as guidelines actuais indicam.

Se no local existe algum container, por favor recolha-o a fim de evitar que se torne lixo (geolitter).

Obrigado

[b] btreviewer [/b]
Geocaching.com Volunteer Cache Reviewer

[url=http://support.groundspeak.com/index.php?pg=kb.page&id=77][i][b]Work with the reviewer, not against him.[/b][/i][/url]

More
<

Cabeça de Vento [Penacova]

A cache by Sara & Hugo Rebordão Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 08/03/2006
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   regular (regular)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Esta multicache leva-te ao complexo de moinhos de vento de Portela de Oliveira em Penacova. O principal atractivo é a visita ao museu sobre o tema… e se tiveres sorte a possibilidade de ver um moinho a funcionar!!!

 Cabeça de Vento

Ao longo das estradas que serpenteiam a Serra do Buçaco é possível encontrar várias indicações de trânsito que alertam para a presença de um circuito dos moinhos e de um museu nesta área. Tendo em conta que a moagem, depois de industrializada, deixou em ruínas os milhares de engenhos tradicionais e levou ao esquecimento das técnicas usadas, este museu é sem dúvida um achado precioso no nosso país. Já visitámos algumas tentativas de recuperação da actividade para efeitos educativos e turísticos, mas pecam sempre todos pela superficialidade. Não é seguramente o caso deste museu. Embora de pequenas dimensões, tem nas suas 4 salas toda a essência desta actividade abandonada. Conseguimos apercebermo-nos da evolução histórica, descobrir os hábitos e vivências da moagem, ter perfeita noção dos equipamentos usados, distinguir os vários tipos de moinhos adoptados no país, e deslumbrarmo-nos com a recolha e recuperação de todo o tipo de equipamento usado em moinhos de vento, moinhos de água e azenhas.

históriaO Concelho de Penacova apresenta vários núcleos de moinhos de vento, sendo um deles o da Portela de Oliveira. Este núcleo apresenta 23 moinhos, dos quais vários estão em ruínas, mas felizmente alguns estão recuperados para nos deslumbrar e outros são usados para fins diversos como é o caso do moinho que aloja o Museu do Moinho Vitorino Nemésio.

 

A visita a este museu é vivamente recomendada por nós! Para deixarmos um gostinho do que lá podem ver e aprender vamos salientar algumas das curiosidades descobertas. É claro que não vamos revelar já tudo... vamos até deixar umas questões!!!

 

Propomos então que te desloques ao museu (coordenadas da cache) aprendas muito e fiques apto a encontrar a cache final. O museu é gratuito e ao receber as nossas visitas vai ganhar relevância e a dimensão que merece. As fotos aqui apresentadas foram tiradas com o consentimento do museu.

 

Um pouco de História

Desde o neolítico superior que existem instrumentos para moer os cereais. Tratam-se das elementares mós barquiformes (primeiro moinho manual da figura). Encontram-se muitas em Portugal e até há bem pouco tempo eram usadas para fazer papas de carolo: mistura de vários ingredientes moídos, como milho, açúcar, leite, sal e canela.

Ao longo da história a Peninsula Ibérica foi enriquecendo culturalmente com a passagem dos povos ocupantes: com a chegada dos romanos apareceram os moinhos manuais circulares (segunda imagem da figura).  Este sistema evoluiu e apareceram mais tarde, uns outros de construção mais leve, a que se adaptou um sistema de dois paus que permitia manobrar a mó mais facilmente (terceira imagem da figura). Estes foram os derradeiros moinhos manuais porque estava na altura de passar a usar as forças da natureza.

Os árabes introduziram a entrosga (principio da roda dentada) e conseguiram assim criar um engenho que sobreviveu até aos dias de hoje... estamos a falar dos nossos conhecidos moinhos de vento e azenhas.

 

Moinho por dentro
 esquema

Na figura mostramos o esquema de um moinho com dois casais de mós. Este esquema serve apenas para moinhos de vento e azenhas. Nos moinhos de água o funcionamento embora semelhante não tem entrosga: existe apenas um eixo movido por pás impelidas pela água. A entrosga veio permitir separar o eixo de rotação das velas (ou baldes de água da azenha) do eixo/veio das mós. Desta forma é possível orientar facilmente as velas ao vento e no caso das azenhas não é necessário que a água corra debaixo da casa como nos moinhos de água.


No fim da descrição encontras um link para um video feito no interior de um moinho em funcionamento.

 

Diferentes moinhos
 
Ao percorrer o país encontramos vários moinhos de estilos diferentes.

O moinho do Oeste, zona do Ribatejo e Estremadura, é conhecido pelas suas paredes rebocadas e pintura branca com janelas a azul. Opera habitualmente durante todo o ano. Os mastros das velas têm muitas vezes peças de cerâmica presas: os búzios. Estes pequenos recipientes de barro emitem som ao vento, ajudando o moleiro a avaliar a direcção e intensidade do vento. Desta forma o moleiro pode manobrar o sarilho (peça semelhante a uma roda de leme) posicionando a cabeça do moinho ao vento sem sair para a rua sofrendo as intempéries.

O moinho serrano não é rebocado e é um moinho de carácter sazonal. Nas serras repletas de cursos de água normalmente a opção escolhida para moer os cereais é a azenha e moinho de água. Só no Verão quando não existe caudal suficiente é que os moleiros recorrem ao vento. Este moinho tem como principal característica uma vara que sai da cabeça do moinho na direcção oposta às velas. Esta é empurrada pelo moleiro, como se fosse um leme, para direccionar a cabeça (capelo) do moinho ao vento.tipos de moinhos

Mais difícil de encontrar, para quem não é geocacher (GCRYRG Moinho do Outeiro), são os moinhos do Atlântico, usados nas zonas litorais. Por serem construídos em madeira são mais leves e é todo o moinho que roda sobre um eixo para se posicionar ao vento.  Este moinho tem  tipicamente mais velas.

Nas ilhas dos Açores encontramos outro tipo de moinhos com influência flamenga. São claramente distintos dos usados em Portugal continental. A principal diferença está na vela e na altura do moinho.

 

Cache

Se leste a descrição ;) deves ter percebido que para encontrar a cache final tens de ir às coordenadas publicadas.  Ao visitar o museu consegues responder a questões que te colocamos a seguir e obter as coordenadas finais.

Para obteres as coordenadas da cache final reponde às perguntas abaixo:

A - Qual o nome da peça A da figura que apresenta um esquema do interior de um moinho?

B - Qual o nome das peça B da figura que apresenta um esquema do interior de um moinho?

C - Qual o nome que se dá aos sacos que transportam os cereais até ao moinho e de volta trazem farinha?

D - Em quantas línguas vem escrito o horário do museu (ver junto à porta do museu)?

Associa a cada letra o valor correspodente à resposta certa para A, B e C:

Malhal(22); segurelhas(3); cambal(31); carretão(15); urreiro(7); rodilhão(19); alevancote(13); dobadeira(6); rela(19); caroleiro(29); alqueire(2); tegão(8); taleiga(9) e espicha(27).

 
Às coordenadas iniciais fazer a seguinte operação matemática:

N 40° 18.nnn W 008° 18.www

nnn= 135 + AxBx2 - 11

www= 360 + C + Dx10

 

 

Desafios Extras

 Moinho do Senhor Lino

Os moinhos serranos são tipicamente usados no Verão, pois no Inverno os moleiros usam as azenhas e moinhos de água.  Por isso o desafio que te vamos propor depende da altura do ano em que visites a cache. O que te propomos é que te posiciones perto do marco geodésico junto ao museu e que olhes na direcção SSO (aproximadamente 210º).  No topo da colina que se avista há um outro complexo de 16 moinhos (moinhos de Gavinhos).  Se vires as velas de um moinho a girar, vai até lá (ver coordenadas) e encontra o senhor Lino, moleiro há 22 anos e com 65 de idade.  Podes ter a certeza que vale bem a pena!  Para além de ser uma pessoa bem simpática com quem conversar, podes ver o seu moinho por dentro a funcionar!!!! 

sr Lino

No Inverno o senhor Lino encontra-se na sua azenha em Lorvão... podes sempre tentar dar com ela...

Deixámos também um vídeo da nossa visita ao moinho do senhor Lino no link:

http://www.youtube.com/watch?v=wwh-GG-5BSA

percurso pedestre

 Percurso Pedestre

Tens à tua disposição um percurso pedestre que passa pela zona dos moinhos. Não o fizemos, por isso não te podemos fazer nenhuma recomendação... fica apenas a foto do cartaz para te preparares.

 

O horário do museu

 
Aberto de terça a domingo das 11:00-12:00 e das 15:00-17:00. Entrada grátis.


Se não podes esperar pela abertura do museu para fazer a cache, tens uma alternativa. Tens a certeza que queres fazer esta cache sem visitar o museu? :(

A solução é encontrares, no complexo de moinhos de Portela de Oliveira, uma mó com uma data e as seguintes inscrições: "Moinho Vitorino Nemésio" e "Homenagem de Penacova". O valor de A será o dia e B o mês. O C é o terceiro algarismo a contar da direita. O D é o número de línguas em que o horário do museu vem escrito (ver junto à porta do museu). O cálculo é o mesmo para obter as coordenadas da cache final.

 

 

Additional Hints (No hints available.)



Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.