Skip to Content

<

Caverna das Silveirinhas

A cache by Fur@o Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 11/30/2012
Difficulty:
3 out of 5
Terrain:
3.5 out of 5

Size: Size: not chosen (not chosen)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:




A "Caverna das Silveirinhas" o nome em causa é por a mesma se encontrar situada numa zona que se chama "As Silveirinhas".Está situada dentro do PNSAC(Parque Natural da Serra de Aire e Candeeiros), não se pode acrescentar muito mais acerca desta Caverna pois a sua existência é praticamente desconhecida. A Caverna encontra-se dentro de uma propriedade privada na qual tem autorização para entrar, a respetiva autorização foi concedida pelo Srº. Elísio e pela Srª Armida que são os proprietários do terreno, por isso tenham o máximo de cuidado para não danificar nada, a duração desta EarthCache depende da preservação do local e respetiva lapa.

 

Formação

As cavernas, de acordo com sua formação, são divididas em dois grandes grupos: cavernas primárias e secundárias.

 

Cavernas primárias

Tubo de lava Thurston no Hawaii Volcanoes National Park. Tubos de lava são exemplos de cavernas primárias.São ditas cavernas primárias aquelas cuja formação é contemporânea à formação da rocha que a abriga.

 

Cavernas vulcânicas

Em regiões com vulcanismo ativo, o escoamento de lava pode formar diversos tipos de cavidades na rocha. Em geral a lava escoa para a superfície através de um fluxo contínuo. À medida que o entorno do fluxo se resfria e solidifica, a lava continua escorrendo por canais, muitas vezes de vários quilômetros de extensão, chamados tubos de lava. Em alguns casos, após o vulcão se tornar inativo, esses tubos podem ser esvaziados e preservados formando cavidades acessíveis pelo exterior. As mais importantes cavernas desse tipo estão no Havaí e no Quênia. A caverna Kazumura, na Ilha Havaí, próxima a Hilo, com 65 500  m de comprimento e desnível de 1 101 m, é o mais longo e mais profundo tubo de lava do mundo. Além dos tubos de lava, também podem ser formadas cavernas vulcânicas pela existência de bolsões de ar ou outras irregularidades no magma durante seu escoamento ou resfriamento. Essas cavernas costumam formar salões ou canais de pequenas dimensões. Cavernas de lava não possuem formações exuberantes como as cavernas criadas por dissolução química. Em geral possuem paredes lisas e uniformes, mas em alguns casos possuem escorrimentos, pontas e gotas de lava resfriada.

 

Cavernas de corais

Cavidades criadas durante o crescimento de recifes de coral por qualquer razão. Uma vez calcificados e litificados os corais, essas cavidades podem ser preservadas e em alguns casos formam galerias ou salões penetráveis de pequenas dimensões dentro do recife.

 

Cavernas secundárias

Cavernas secundárias são aquelas que se originam após a formação da rocha que as abriga. É o caso mais comum de formação de cavernas e envolvem diversos processos diferentes.

Cavernas cársticas

O processo mais frequente de formação de cavernas é através da dissolução da rocha pela água da chuva ou dos rios, um processo também chamado de carstificação. Este processo ocorre num tipo de paisagem chamado carste ou sistema cárstico, terrenos constituídos predominantemente por rochas solúveis, principalmente as rochas carbonáticas (calcário, mármore e dolomitos) ou outros como evaporitos e gipsita. As regiões cársticas costumam possuir vegetação cerrada, relevo acidentado e alta permeabilidade do solo, que permite o escoamento rápido da água. Além de cavernas, o carste apresenta diversas outras formações produzidas pela dissolução ou erosão química das rochas, tais como dolinas, furnas, cones cársticos, cânions, vales secos, vales cegos e lapiás.

 Fase inicial da espeleogênese.A rocha calcária possui diversas fendas e fraturas por onde as águas superficiais escorrem em direção ao lençol freático.

O processo de carstificação ou dissolução química é resultado da combinação da água da chuva ou de rios superficiais com o dióxido de carbono (CO2) proveniente da atmosfera ou das raízes da vegetação. O resultado é uma solução de ácido carbônico (H2CO3), ou água ácida, que corrói e dissolve os minerais das rochas. O escoamento da água ácida ocorre preferencialmente pelas fendas e planos de estratificação. Os minerais removidos combinam-se ao ácido presente na água e são arrastados para rios subterrâneos ou para camadas geológicas mais baixas, onde podem se sedimentar novamente. Em outros casos podem ser arrastados para fora por rios que ressurgem e passam a correr pela superfície. As fendas aos poucos se alargam e tornam-se grandes galerias.


 Fase intermediária. A água corrói e carrega os sais removidos da rocha, formando galerias ao longo de fraturas e camadas de estratificação. O rio superficial pode se tornar subterrâneo após a formação de um sumidouro e deixa um vale seco no terreno por onde corria.

Quando o nível freático se rebaixa naturalmente devido à dissolução e aumento de permeabilidade de camadas inferiores, as galerias formadas se esvaziam. Em muitos casos, tetos que eram sustentados pela pressão da água podem desmoronar, formando grandes salões de abatimento. Estes desmoronamentos podem levar ao rebaixamento do solo acima dos salões, o que cria dolinas de colapso. Em alguns casos, essas dolinas se abrem totalmente até o nível do salão, resultando em uma entrada da caverna ou uma claraboia. Outras entradas podem ser formadas em sumidouros (pontos em que rios entram no solo formando rios subterrâneos) ou exsurgências (pontos de saída da água subterrânea).


 Fase avançada. O lençol freático foi rebaixado deixando as galerias secas. O teto em alguns trechos cede formando salões de abatimento que ficam cheios de detritos. O solo da superfície se rebaixa sobre os pontos em que ocorreram colapsos (dolinas de abatimento) ou pela dissolução do solo (dolinas de subsidência). Espeleotemas começam a se formar nas galerias e salões.

Uma vez que o nível de água é rebaixado, os salões e galerias secam e passa a existir ar em seu interior. A carstificação nessas galerias passa a ser construtiva, ou seja, a sedimentação dos minerais dissolvidos na água passa a construir formações no interior da caverna. Quando a água atinge as galerias secas através de fendas ou pela porosidade difusa das rochas (exsudação), o gás carbônico é liberado para a atmosfera e a calcita ou outros minerais dissolvidos se precipitam, criando formações de grande beleza, chamadas coletivamente de espeleotemas.

Embora haja cavernas cársticas formadas de diversas rochas carbonáticas, as rochas calcárias são mais estáveis e resistem mais a desabamentos que as dolomitas ou gipsitas. Por essa razão a maior parte das cavernas de dissolução existentes atualmente são calcárias.

 

Topografia

O termo caverna designa genericamente todos os tipos de cavidades naturais em rocha. Podem receber nomes específicos de acordo com sua topografia, comprimento e morfologia:

Abrigos. Cavidades de pequeno comprimento e grandes aberturas, que podem ser usadas como abrigo por animais e pessoas. Podem ser formadas por desmoronamentos ou dolinas.

Tocas. Cavernas com grandes aberturas, uma única entrada e desenvolvimento horizontal menor que 20 metros. Geralmente possuem pequeno desnível (desenvolvimento predominantemente horizontal).

Grutas ou lapas. Cavernas predominantemente horizontais, com mais de 20 metros de comprimento. Podem ter desníveis internos e salões. Em geral possuem mais de uma entrada, mas nem sempre permitem a travessia total.

Fossos. Cavernas predominantemente verticais com grandes aberturas e desnível inferior a 10 metros.

Abismos. Cavernas predominantemente verticais com desnível maior que 10 metros.

Algar. Nome atribuído em Portugal a grutas de desenvolvimento vertical.

Algumas denominações, tais como gruta, lapa ou algar, são termos regionais. Em algumas regiões do Brasil, utiliza-se o termo gruta apenas para cavidades que possuem ao menos duas entradas e caverna para as cavidades com uma única entrada.

Alguns autores não consideram que abrigos e tocas sejam cavernas e reservam este termo a cavidades com desenvolvimento horizontal maior que 20 metros ou vertical maior que 10 metros.

Em relação ao percurso (planta), as cavernas podem apresentar diversas formas de desenvolvimento:

* Percurso linear: um único caminho, aproximadamente reto, de uma entrada a outra ou até um estreitamento que não permita o avanço.

*Caverna com meandros: um único caminho, que segue o curso de um rio subterrâneo, com curvas e meandros.

*Múltiplas galerias: possuem mais de um caminho e frequentemente diversas saídas, apresentando bifurcações e, em alguns casos, sistemas complexos e labirínticos.

Em relação ao perfil do terreno, as cavernas podem ser:

*Predominantemente horizontal: desenvolvimento paralelo aos estratos da rocha, com pequenos desníveis internos. Este tipo de caverna é constituído principalmente por dissolução entre planos de estratificação, que estavam inteiramente dentro da zona freática durante o período de sua formação.

* Desenvolvimento inclinado: geralmente formadas em zonas vadosas, possuem grandes desníveis, ocasionados pelo alargamento de fendas entre os planos de estratificação.

*Desenvolvimento vertical: assim como as inclinadas, são formadas pelo alargamento de fendas ou fraturas verticais entre planos.

Muitos sistemas complexos possuem galerias em diversos níveis horizontais que podem ser interligados por trechos inclinados ou mesmo abismos internos. Nestes casos, alguns dos níveis podem se encontrar em zonas inundadas, enquanto as galerias mais altas já estão em zonas totalmente secas. A soma total de todas as galerias de uma caverna pode chegar a diversos quilômetros e os desníveis, a várias centenas de metros.

 

Atenção aos atributos da cache!!!



A EarthCache


Para poderem fazer o Found desta EarthCache enviem-me por e-mail as respostas às seguintes questões:


1 -Identifica se a Caverna em questão se trata de uma Caverna primária ou secundária.
2 -Atendendo ao processo químico que dá origem aos espeleotemas, estes resultam de uma reação química, enunciada anteriormente, indica o nome de duas formações de espeleotemas que podes encontrar dentro da Caverna.
3 -Estima o comprimento (em metros), do salão da Caverna.
4 -De acordo com a Topografia especificada no listing, que nome específico atribuis a esta Caverna?
5 - Apesar de ser opcional tirem uma foto vossa no exterior ou interior da Caverna para colocar no log do found, nada de fotos reveladoras nos log’s.

Caso estejam corretas receberão autorização para mais um found:

Volto a relembrar!!!

Tenham especial atenção para não danificar nada dentro da Caverna e nas suas imediações.



The "Cave of Silveirinhas" the name is concerned by it lies situated in an area called "The Silveirinhas." Is situated within the PNSAC (Parque Natural da Serra de Aire e Candeeiros), you can not add much more about this cave because its existence is practically unknown. The Cave is located within a private property where you have permission to enter the respective authorization was granted by Sr º. Elísio by Mrs. Armida and who are the owners of the land, so they have great care not to damage anything, its duration depends EarthCache preservation of the site and respective footwall.

 

Formation

The caves, according to their training, are divided into two major groups: primary and secondary caves.

 

Caves primary

Thurston Lava Thurston no Hawaii Volcanoes National Park. Lava tubes are examples of primary caves.

Caves are said those whose primary training is contemporary to the formation of the rock shelters.

Volcanic caves

In areas with active volcanism, the flow of lava can form different types of cavities in the rock. In general lava flows to the surface through a continuous flow. As the surrounding flow cools and solidifies, the lava continues flowing through channels, often several miles long, called lava tubes. In some cases, after the volcano becomes inactive, these tubes can be drained and preserved forming cavities accessible from the outside. The most important caves of this type are in Hawaii and Kenya. The cave Kazumura on Hawaii Island, near Hilo, with 65 500 m in length and elevation of 1 101 m, is the longest and deepest lava tube in the world. Besides the lava tubes may also be formed by volcanic caves existence of air pockets or other irregularities in the flow or melt during its cooling. These caves usually form channels halls or small. Caves lava formations have not exuberant as the caves created by chemical dissolution. Usually have smooth walls and uniform, but in some cases have runs, tips and drops of cooled lava.

Coral caves

Cavities created during the growth of coral reefs for any reason. Once calcified and lithified corals, these cavities can be preserved and in some cases form galleries and lounges small penetrable into the reef.

Caves secondary

Secondary caverns are those that originate after formation rock that houses. It is the most common case of formation of caves and involve many different processes.

Karst caves

The most common process of forming caverns is by dissolution of rock by rain water or rivers, a process also called karstification. This process occurs in a kind of landscape called karst or karst system, land consisting predominantly of soluble rocks, especially carbonate rocks (limestone, marble and dolomite) or other evaporites like gypsum and. The karst regions often have thick vegetation, rugged terrain and high soil permeability, which allows the rapid flow of water. Besides caves, karst features several other formations produced by dissolution or chemical erosion of rocks, such as sinkholes, caves, karst cones, canyons, dry valleys, blind valleys and lapiás.

Initial phase of speleogenesis. The limestone has several cracks and fractures where surface water run down into the water table.

The process of karstification or chemical dissolution results from the combination of storm water or rivers surface with carbon dioxide (CO2) from the atmosphere or from the roots of vegetation. The result is a solution of carbonic acid (H2CO3), or acidic water, which corrodes and dissolves minerals from rocks. The outflow of acidic water occurs preferentially through the cracks and bedding planes. The minerals removed combine the acid present in the water and underground streams are dragged or lower geological layers, where they can sediment again. In other cases can be dragged out by rivers that reappear and start to run across the surface. The cracks gradually widen and become large galleries.


Intermediate phase. The water erodes and carries the salts removed from the rock, forming galleries along fractures and layers of stratification. The river can become shallow underground after the formation of a sinkhole and leaves a dry valley on the ground where he ran.

When the water table is naturally degrades due to dissolution and increased permeability of the lower layers formed galleries are empty. In many cases, ceilings that were supported by water pressure may collapse, forming large collapse halls. These collapses can lead to lowering of soil above the halls, creating sinkholes collapse. In some cases, these sinkholes open up completely to the level of the room, resulting in a cave entrance or a skylight. Other entries can be formed in sinks (places where rivers enter the soil forming underground rivers) or exsurgências (exit points of groundwater).


 
Advanced stage. The water table was lowered leaving the galleries droughts. The ceiling in some places forming yields collapse halls that are filled with debris. The soil surface stoop on the points where breakdowns occurred (collapse dolines) or the dissolution of soil (subsidence sinkholes). Speleothems begin to form in galleries and salons.

Once the water level is lowered, the halls and galleries and there is now dry air inside. The karstification these galleries becomes constructively, or sedimentation of the minerals dissolved in the water starts to build formations inside the cavern. When the water reaches the galleries droughts through cracks or by diffuse porosity rocks (exudate), carbon dioxide is released into the atmosphere and dissolved calcite or other minerals precipitate, creating formations of great beauty, collectively called speleothems.

Although there are karst caves formed from various carbonate rocks, limestone rocks are more stable and more resistant to collapse the Dolomites or gypsum. For this reason most of the caves are now dissolving existing limestone.

 

Topography

The term cave generally designates all kinds of natural cavities in rock. They can receive specific names according to its topography, length and morphology:

Shelters. Cavities of short length and large openings, which can be used as a shelter for people and animals. May be formed by collapsing or sinkholes.

Burrows. Caves with large openings, one inlet and horizontal development smaller than 20 meters. Generally have small gap (predominantly horizontal development).

Caves or limpets. Caves predominantly horizontal, with more than 20 meters long. They may have internal gaps and lounges. Usually have more than one entry, but do not always allow the crossing total.

Moats. Predominantly vertical caves with large openings and gap less than 10 meters.

Abysses. Predominantly vertical caves with a drop greater than 10 meters.

Algar. Name assigned in the caves of Portugal vertical development.

Some denominations, such as cave, cave or grotto, are regional terms. In some regions of Brazil, the term is used only to cave cavities that have at least two entrances to the cave and cavities with a single entry

Some authors do not consider that shelters and caves and dens are reserving this term development horizontal wells with greater than 20 vertical meters or greater than 10 meters.

Regarding the route (plant), the caves may have various forms of development:

* linear path: a single path, approximately straight, an entry to another or to a narrowing that does not allow advancement.

* Cave with meanders: a single path, which follows the course of an underground river with curves and meanders.

* multiple galleries: have more than one path and often several outputs, presenting bifurcations and, in some cases, complex systems, labyrinthine.

Regarding the profile of the terrain, caves can be:

* Predominantly horizontal: parallel development to the strata of rock, with small internal gaps. This type of cave consists mainly of dissolution between bedding planes, which were entirely within the groundwater zone during the period of their training.

* Development inclined: generally formed in areas vadosas, have large gaps, caused by the widening cracks between bedding planes.

* Development Vertical as well as inclined, are formed by enlargement of cracks or fractures between vertical planes.

Many complex systems have galleries in several horizontal levels which may be interconnected by passages or inclined internal gaps. In these cases, some of the levels can be found in flooded areas, while the galleries are higher in areas already completely dry. The sum total of all the galleries of a cave can reach several kilometers and slopes, several hundred meters.

 

Attention to the attributes of the cache!!!


The EarthCache

In order to make the Found this EarthCache send me by email the answers to the following questions:

1 - Identifies the cave in question it is a primary or secondary Cave.
2 - Given the chemical process that gives rise to speleothems, these result from a chemical reaction, as stated above, indicates the name of two formations speleothems that you can find inside the cave.
3 - the estimated length (in meters) of the Cave hall.
4 - According to the listing Topography specified that specific name ascribe to this cave?
5 - Although it is optional to take a photo on your exterior or interior of the cave to place the log found, nothing's revealing photos in the log.

If they are correct will receive authorization for a further found:

Again I remember!!

Be especially careful not to damage anything inside the cave and its surroundings.


Additional Hints (Decrypt)

Qrageb!...

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



 

Find...

58 Logged Visits

Found it 44     Didn't find it 3     Write note 6     Temporarily Disable Listing 2     Enable Listing 2     Publish Listing 1     

View Logbook | View the Image Gallery of 49 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated:
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.