View Geocache Log

Found it lynx pardinus found 1500 Lisboa

Thursday, March 17, 2011Lisboa, Portugal

It looks like your log contains HTML or UBB formatting. We now use Markdown formatting because it works on both web and mobile. Would you like to convert your log?

Success! To keep these changes, hit “Submit Log Entry” at the bottom of the page.

Hmm. Some of your log formatting is not supported. You might want to remove it and use Markdown formatting.

A noite estava fria. E tranquila. Uma grande lua redonda assomava por entre as árvores num céu límpido, lançando reflexos de prata sobre o jardim deserto. Não se ouvia um som, só a luz mortiça dos candeeiros ladeando os caminhos desenhados por entre as árvores e canteiros. A basílica iluminada a marfim perfilava-se a poucas centenas de metros, uma presença branca e imponente. E, por entre o arvoredo, sob um ou outro candeeiro, eu vi-as, quais fantasmas brancos emergindo da escuridão - as estátuas estavam sempre lá.

Cheiro. O meu nariz captou o cheiro primeiro. Não devia estar demasiado longe. Não soprava uma aragem que o pudesse trazer. Tinha que estar perto. Esperei então. E a confirmação chegou pelo som de leves passos lestos. Um homem. A caminhar furtivamente por entre o jardim - mas não tão furtivamente quanto eu consigo. A olhar para a fraca luz irradiada pelo ecran do telemóvel que trazia - ele não saberia que uma distracção pode ser fatal? Ele confiava demasiado nos seus olhos - e os seus olhos estavam distraídos a mirar o ecran e a perscrutar o jardim. Apenas os seus olhos - porque é que os humanos não confiam mais nos outros sentidos, no cheiro que consegue ver para além das paredes, no som que o ar nos traz até aos nossos ouvidos? Mas os olhos dele viram algo - apenas não a minha aproximação. Baixou-se, parecia contente, um sorriso esboçava-se na sua cara, ao agarrar uma caixinha - e eu, no desértico ar parado da noite branca, saltei!

A noite estava fria! E tranquila! E, no seu silêncio, soltei o meu uivo, à lua grande e redonda no céu límpido, que, lançando reflexos de prata sobre o jardim deserto, iluminava o humano caido a meus pés, telemóvel esquisito abandonado a um lado. E uivei de novo, à lua que todos os 28 dias me transforma neste animal sedento e feliz por caçar e ser algo mais que humano. E as estátuas, silenciosas testemunhas cúmplices, como todas as noites em que para aqui venho, presenciavam a cena num cruel assentimento mudo.

Branco

Additional Images Additional Images

Branco log image Branco

Noite log image Noite

Deserto log image Deserto

infoThis is the original cache type consisting, at a bare minimum, a container and a log book. Normally you'll find a tupperware container, ammo box, or bucket filled with goodies, or smaller container ("micro cache") too small to contain items except for a log book. The coordinates listed on the traditional cache page is the exact location for the cache.
Visit Another Listing:

Advertising with Us