Skip to Content

View Geocache Log

Found it Gato Maltês found O Cão da Ladeira Grande

Sunday, February 22, 2015Leiria, Portugal

[blue]#627[/blue] - 10:25

O dia amanheceu pintalgado de um tom farrusco, nada auspicioso para os dependentes da enérgica claridade solar, como é o caso do sujeito a quem o epíteto “Gato Maltês” serve de indumentária. Falando na terceira pessoa, a eloquência do discurso é enriquecida solenemente e todos os disparates que se possam dizer, ainda que de cariz ingénuo e inofensivo acabam sempre por cair em saco roto, não provocando, assim, maleita directa ao individuo que os tenha proferido. Aprendi isto com um famoso de Boliqueime e se ele o faz é porque deve estar provada a sua eficiência. Além disso, é regra nas teses de doutoramento e outras, que o autor, em determinadas partes, se conjugue neste género de flexão verbal, retratando-se desta forma como alguém que sofre de múltipla personalidade.

A verdade é que o cinzentão que ameaçava comer o azul celeste se deve ter arrependido e desapareceu. Não é que o autor deste registo seja adepto de um azul total, perfeitamente espalmado contra a abóbada celestial, onde a ausência de grandes pedaços brancos amarrotados desordenadamente que lhe conferem o estatuto monótono de céu limpo, mas também não aprecia céus que apregoam chuva ao desbarato. Felídeo que se preze tem que respeitar a alegórica sabedoria que diz que “ gato escaldado de água fria tem medo”.

Ainda na clausura doméstica deu-se uma espreitadela ao Google Earth na esperança de que pelas redondezas existisse algo que necessitasse de um gps para ser descoberto. Não nos estamos a referir (falar na primeira pessoa do plural também causa boa impressão) a algo do género que se encontra a cada esquina, ou nos locais que são alvo dos cães quando levantam uma das patas traseiras, mas sim de alguma coisa com algum conteúdo e que também proporcionasse contacto com a natureza. “O cão da ladeira grande” parecia ter isso incluso e, também tinha algumas medalhinhas azuis a marcar a diferença. É claro que sabemos (eu e a voz que ecoa na minha cabeça) que os favoritos são atribuídos por familiares (tios, primos, irmãos e até o cão) ou então pelas amizades mais próximas. Ainda assim, tomamos essas medalhas em consideração para decidir ir visitar a tal ladeira e o supostamente infernal canídeo gigante. E fomos…

A paisagem que desfilava vagarosamente aos seus pés, não era de todo estranha e é característica de todo o pinhal que um rei com a mania que era lavrador mandou plantar. O verde luzidio das briófitas, que os raios solares matinais faziam sobressair por entre as sombras esguias dos pinheiros, embelezavam o pequeno percurso até ao local do esconderijo.
À mistura, como se tivessem sido polvilhados num dia de vento, pequenos cogumelos iam sobressaindo, aqui e ali, por entre o musgo e a caruma dos pinheiros, conferindo alguma beleza aquilo que não é mais do que um simples pedaço de pinhal litoral.

Logo ao início, uma “casa do guarda” abandonada, como tantas outras, mereceu uma curta visita para observar uma tentativa frustrada de arte no seu interior.
Descoberto o tesouro, constatou-se que nem o cão era mau, nem a ladeira era grande. Contudo, esta é uma cache com qualidade acima da média e que devido à envolvente, à pequena estória e às condições atmosféricas, gostamos de visitar. Concluindo, o autor deste registo congratula-se de a ter escolhido para ser descoberta e fazer parte do seu selectivo (pensa ele que será) pecúlio.

Por tudo o que esta geocache proporcionou fica um sincero agradecimento.

OPC – TFTC
NO TRADE

Nota final: O autor deste registo reservou-se ao direito de não ter sido lacónico e o ter prolongado por todas estas linhas, ainda que alguns algoritmos baseados em padrões e regras de critérios duvidosos estabelecidos por mentes formatadas o possam definir como desnecessário.

Destoando...

Additional Images Additional Images

Destoando... Destoando...

Yellow Yellow

Prazer?!! Prazer?!!

Passagens no tempo... Passagens no tempo...

Personalidades (des)formatadas pelo vento. Personalidades (des)formatadas pelo vento.

Perspectivas baixas... Perspectivas baixas...

Resquícios... Resquícios...

À espera da Primavera. À espera da Primavera.

Diversidade versus complementaridade Diversidade versus complementaridade

Solidão difusa. Solidão difusa.

Christmas rememberance... Christmas rememberance...

Detalhes de casca grossa. Detalhes de casca grossa.

infoThis is the original cache type consisting, at a bare minimum, a container and a log book. Normally you'll find a tupperware container, ammo box, or bucket filled with goodies, or smaller container ("micro cache") too small to contain items except for a log book. The coordinates listed on the traditional cache page is the exact location for the cache.
Visit Another Listing:

Advertising with Us

Return to the Top of the Page