Skip to Content

View Geocache Log

Found it joom found Coucão

Friday, May 3, 2013Braga, Portugal

#3042 @13:59

Hoje o dia tinha sido escolhido para as caches novas aqui na zona. Não era para ser já, mas havia interessados e assim alterei um pouco os planos, os horários e as tarefas a cumprir.
Esta cache era um dos objectivos do dia, já cá tinha estado, cá no alto e com a cache nas mãos e até já a tinha encontrado. Mas isso foi antes da sua publicação. Fiquei à espera que fosse publicada, da disponibilidade e depois escolhia a melhor forma de registar o seu achamento.

Escolhi tentar ser o FTF porque a ocasião se proporcionou e acima de tudo não muitas oportunidades de o ser em caches deste tipo: no topo, com uma caminhada já exigente e no PNPG (no seu coração e não na fronteira).
A ocasião proporcionou-se quando houve um interessado e assim limitou a coisa ao resto dos que também queriam cá voltar. Horas e local combinados e lá chegámos à Portela de Leonte, local de início de muitas caminhadas por estes lados.

Subir, subir, subir, e subir é o fado de quem começa por aqui até ao prado do Vidoal (ou Mourô) e depois continua até termos a antena à vista à direita. Aqui já se pode descansar e seguir na auto-estrada conhecida que é o trilho dos prados.

Um pequeno desvio para a Rocalva, um desvio para o Regresso do Rei e depois escolher o melhor caminho e já com o Coucão à vista.
Escolhemos uma linha sem ser necessário ir ao prado da Rocalva e apontar para o alto do monte e fugindo do vale formado pela linha de água.

Já com a Rocalva atrás e à esquerda descemos até ao curso de água, já numa parte arborizada , para passarmos para o outro lado. E foi nesta altura que ouvimos um animal aos saltos. Parámos e ficámos alerta para ver o que era. Era uma corça que ali, a 20 metros saltava à nossa frente. Simplesmente ficámos a admirar, não tinha uma objectiva que retratasse da melhor forma a corça, e a ver para onde iria. Foi descendo até desaparecer. Só por isto já tinha valido voltar aqui.

Continuámos a subida e passado algum tempo estava no mesmo “trilho” que tinha percorrido há pouco tempo. E já sabia o que me esperava, sempre a subir e depois a recompensa. A vista fabulosa que aqui se tem. Tantos locais fabulosos, quase desertos e quase sem pegada humana tirando os ancestrais abrigos dos pastores e as mariolas que há. A cicatriz provocada pela estrada da EDP não conta.

Já no topo, a cache naturalmente que apareceu, eu já cá tinha vindo, com um grupo que testou a coisa só com as coordenadas, e deixei para o lenan2do a procura (até existe um spoiler). E era um FTF. Ainda ninguém cá tinha vindo depois da cache ser publicada.

Soube desta cache, ainda em preparação, quando a caminho do evento das 3000 caches encontradas ouvimos num PMR: já tens as coordenadas? Ficámos logo com a pulga atrás da orelha.

Vem aí cache nova. Ao almoço, o evento propriamente dito, tivemos a confirmação que estava para nascer e foram fornecidas as coordenadas. Bastava só lá ir. Fui lá, e esperei para fazer o registo para quando houvesse efectivamente visitas. Mas ficou o bichinho e assim que houve oportunidade cá vim. Não daria o meu tempo por perdido. Vale sempre a pena voltar aqui.

Agora a razão porque vou às montanhas: porque estão lá, algumas pelo estrito desafio físico e psicológico, para ir em várias estações do ano, com diferente companhia e acima de tudo pelo prazer especial de andar nestes terrenos. Aqui, no PNPG, há muitos locais onde se tem a verdadeira noção da conquista e ter o mundo aos nosso pés. Nem que seja no monte ao lado, ali a menos de 500 metros, com paisagem quase igual, mas onde se vê outras coisas se tem outras sensações. Vale sempre a pena e só não vale a quem tem a mente pequena.

Gostei de cá voltar, o contrário seria difícil, e admirar todos estes picos e encostas abruptas e mal sabia eu que 3 dias depois iria ao topo do Borrageiro que daqui se vê tão bem.

Encontrada na agradável companhia do Lenan2do
Entrou: porta-chaves
Saiu: uma enorme satisfação
E foi um saboroso FTF
Obrigado pela cache

no ponto zero

infoThis is the original cache type consisting, at a bare minimum, a container and a log book. Normally you'll find a tupperware container, ammo box, or bucket filled with goodies, or smaller container ("micro cache") too small to contain items except for a log book. The coordinates listed on the traditional cache page is the exact location for the cache.
Visit Another Listing:

Advertising with Us

Return to the Top of the Page