View Geocache Log

Found it K!nder found #2-Baixo Vouga Lagunar - de Cacia a Canelas

Thursday, March 24, 2011Aveiro, Portugal

It looks like your log contains HTML or UBB formatting. We now use Markdown formatting because it works on both web and mobile. Would you like to convert your log?

Success! To keep these changes, hit “Submit Log Entry” at the bottom of the page.

Hmm. Some of your log formatting is not supported. You might want to remove it and use Markdown formatting.

E depois da nossa primeira vinda a estas estradas: GC2E48F, depois do dia de ontem: GC2NRQT

nada melhor do que voltar cá a terceira vez logo no dia seguinte para terminar o que tinhamos começado. Como já conheciamos bem o caminho desde a #3 por causa dos problemas do dia anterior decidimos que iamos entrar desde Fermelã e seguir desde a #3 até a #1 e só depois tentariamos chegar à cache bónus. Estacionado o carro na #3 lá começamos as nossas buscas e nada mais rápido, para não ir contra o que se tinha passado no dia anterior. Terminada esta primeira cache lá digo ao Carlytos para ligar a máquina fotográfica e filmar para dar continuação à triologia do dia seguinte.
Foi uma muito mã jogada, afinal não é só por termos o confirmado azar nestas estradas mas também sempre que filma-mos algo nos acontece. Pronto admito que para já só filma-mos duas vezes, mas das duas vezes algo aconteceu.

Iamos nós a caminho #2, que ficava mesmo num dos locais que eu no dia anterior tinha dito que deveria haver uma. E não é que estava mesmo lá a dita cuja. Faróis ligados para o caminho onde o carro tinha ficado parado no dia anterior que ficava a pouco mais de 500 metros e lá fomos fazer a cache. Estavamos nós a logar a cache e a retirar os dados quando de repente as aves exaltam-se e voam alarmadas desde as árvores junto a nós. Olhei mas com o breu da noite não liguei. Segundos depois novamente barulho no meio do arvoredo, volto a olhar e nada de nada. Mas eis que já com a cache arrumada e pronto a ir esconde-la olho para o meu lado esquerdo e tenho uma cara desconhecida com um ancinho na mão a menos de meio metro de mim. Dou um salto e ele lança a primeira ameaça.

"O que estão aqui a fazer?"

Lá explicamos o que era o geocachig. O homem não ficou convencido.

"Daqui ninguém chama enquanto não vier cá a polícia!", disse ele com o ancinho na mão. Saca do telemóvel e começa a ligar sabe-se lá para quem.
Já a começar a ficar chateado por ele me estar a ignorar e a acusar, coisa que não gosto. Digo que ele que não venha com m$%&" que se ele não sabe quem nós somos nós também não sabemos quem ele é. Quem me garante que não estava a ligar a mais gente para nos virem roubar.

O que é certo é que lá decidimos ficar à espera e por entre lamentos do homem e de histórias de roubo de gado lá fomos conversando mas eu sempre a alerta-lo que as suas ameaças não serviam para nada por estarmos em terreno público. Ele lá nos disse que não podiamos estar ali, que aquilo ia ser fechado, mas eu avisei-o que não havia placas de proibição e ele estar a acusar-me e ameaçar-me pode dar problemas para o lado dele.

Passados uns 20 minutos de espera lá começam a chegar os primeiros maganos. Dois tipos que entraram logo com ar ameaçador e com tom de voz austero. Voltamos a explicar a situação e em pouco tempo já nos estavam a explicar a situação que se vivia ali de roubo de gado a perguntar se tinhamos visto o jornal e as novamente ameaças que não podiamos estar ali ao que eu respondi e eles lá se calaram com essas ameaças. Pouco tempo depois mais uma viatura e mais dois que saiem novamente em tom austero.

"Mas o que se passa afinal?"
"Andam a atirar coisas para o ar e a $%#&" satélites!"

Novamente a explicação. E mais uns 20 minutos a contar história do presente e do passado. Já parecia um evento de geocaching onde se partilham experiências de cachadas, só que ali de perseguições a ladrões e paródias do campo. Lá nos pediram desculpa e cada um foi para o seu lado.
Pelos vistos de noite aquilo é fortemente patrulhado pelos pastores. Por isso vejam lá o nosso azar quando no dia anterior ficamos com o carro avariado a 500 metros dali e durante horas não vimos ninguém e ainda tivemos de fazer 3,5 kms a pé para ir buscar o reboque à N109.

No final ainda ficamos a descobrir que tivemos a falar com um gajo que passou nesse dia no telejornal a falar dos roubos. Se tinha sido no dia anterior ele ainda tinha falado de nós

TFTC

infoThis is the original cache type consisting, at a bare minimum, a container and a log book. Normally you'll find a tupperware container, ammo box, or bucket filled with goodies, or smaller container ("micro cache") too small to contain items except for a log book. The coordinates listed on the traditional cache page is the exact location for the cache.
Visit Another Listing:

Advertising with Us