View Geocache Log

Write note vsergios posted a note for 3500rpm [Santiago do Cacém]

Tuesday, July 28, 2009Setúbal, Portugal

It looks like your log contains HTML or UBB formatting. We now use Markdown formatting because it works on both web and mobile. Would you like to convert your log?

Success! To keep these changes, hit “Submit Log Entry” at the bottom of the page.

Hmm. Some of your log formatting is not supported. You might want to remove it and use Markdown formatting.

(cont...)

O meu historial automóvel foi, para começar, um Golf II, preto, a gasolina, 1400 com uns surpreendentes.... 60 cavalos. Era da empresa... não sabem o que me puseram nas mãos. Fiquei apaixonado. Era confortável, seguro, robusto, lindo! Não é à toa que falam das qualidades deste excelente veículo. Foi onde conduzi primeiro, depois de ter a carta.
Entretanto, a minha irmã e cunhado, porque só lhes davam 40 contos pela 4L na compra do Clio manhoso, ofereceram-ma. Era de 1973, beje! Tanto por fora como por dentro, bancos enormes à frente, quase como um só único, corrido, e já com encostos de cabeça. Mais uma paixão. Toma lá a bengala, dá cá a bengala e as velocidades encaixavam que era um mimo, naquele ronco suave debitado por um motor de 900cc (ou menos, ou menos). Gastava um cadito, não cheguei a perceber porquê, mas aquilo era um todo-terreno espectacular, e sempre com uma suspensão tão confortável. Lembro-me que o meu cunhado dizia que não se podia fazer grandes viagens com aquilo, e se fosse para Lisboa que não fosse à hora de ponta. Não percebia o receio deles. Ela ía a todo o lado, não me deixou nunca ficar mal. Nem perante a polícia em Évora, quando me mandaram sair do carro, numa operação stop. O travão de mão de alavanca à esquerda do volante não fazia nada. E saio do carro sem me lembrar de o engantar. Estava nervoso. O carro andou uns metros... "Então, o canhambeque não trava?". Entrei a correr e disse, enquanto o engatava às escondidas e puxava violentamente a manete do travão, "trava pois, isto é uma máquina a sério!", e o sr agente confirmou. Muito andou ela nas minhas mãos, até a caixa de velocidades dar o peido-mestre. Ficou ali parada até à câmara o ir lá levantar. Não sem antes avisar e eu ter tido tempo de sacar os fabulosos bancos dianteiros. Para quê? Para os colocar na que se comprou uns tempos a seguir. Uma já de 82, com bancos reles. Mas era mais para a gaja, que tinha que fazer muitos quilómetros e o nosso Toyota Land Cruizer já se tornava um tormento para os 250 kms diários que tinha que fazer. Alguns dos quais eram puros TT, mas a 4L estava lá para superar isso tão bem ou melhor que o Land Cruizer. Essa ganda besta de força que desatascou tractores na Malveira. Uma vez gastei meio tanque de gasóleo de Lisboa a Loures, 8 kms, a maioria do gasóleo estava a ir para a estrada... só em Loures é que percebemos porque é que nos vinham a apitar. Outra viagem destas, depois de arrebentar a bomba de água no Saldanha, já de madrugada. Não podiamos ficar ali. Foi até à oficina sem sistema de arrefecimento... Mais de 10kms. Aguentou-se. Era um motor Toyota. Adorava aquilo (tenho que dizer isto baixinho, senão ali o meu Range Rover ainda ouve) e os montes também. Mas foi embora, no primeiro dia que foi colocado à venda. Parou um senhor e começamos a debitar aquela lenga-lenga que o carro é assim e está assado e tal... quando o gajo diz: "Não precisa de dizer nada. Eu compro, este carro era meu, tenho que o ter de volta." O gajo tinha saudades. Tão bem que o compreendo.
Eu entretanto tinha comprado um Clio Bebop novo, que na primeira semana galgou todos os caminhos de cabras do Gerês, muitos deles agora já alcatroados.
Ainda me durou uns bons anos, mas era só enquanto não ganhava coragem para enfrentar a compra de sonho que sempre tinha tido: este LAND ROVER RANGE ROVER Classic, que bateu as 3500rpm nas curvas desta estrada alentejana, já de noite. Mas deste meu filho não vou falar agora, gastaria mais uns quantos logs para o fazer. E para isso escrevo mas é um livro.

A cache é deliciosa, mas o primeiro ponto não foi encontrado. Foi o Fifi que gentilmente mo cedeu.

Obrigado bastante,
Vitor Sérgio

PS:Se alguma vez encontrar registos fotográficos destas grandes máquinas, digitalizo e coloco aqui.
(4 estrelinhas [url=http://www.geocaching-franken.de/?p=1983]GCVote[/url])

incha

infoA multi-cache ("multiple") involves two or more locations, the final location being a physical container. There are many variations, but most multi-caches have a hint to find the second cache, and the second cache has hints to the third, and so on. An offset cache (where you go to a location and get hints to the actual cache) is considered a multi-cache.
Visit Another Listing:

Advertising with Us