Skip to Content

View Geocache Log

Write note bmps2003 posted a note for eXTReMe CHaLLeNGe [UTSF]

Sunday, June 3, 2018Aveiro, Portugal

[Parte VII]

O track, em determinado momento manda sair da estrada, para um caminho que seguimos que se ia perdendo por vezes, mas com auxílio dos muitos refletores foi-nos orientando caminho por entre as montanhas e a descer, de certa forma, até a Cascata da Porqueira.

A descida para esta cascata foi também um verdeiro terror, perdemo-nos inicialmente e depois para alcançar o track não foi fácil, mas lá chegamos, depois da aventura conquistada, apanhamos o PR3.1VLC que nos levou em mais uma subida para a aldeia de Porqueira onde paramos mais um pouco para reforçar a alimentação, já eram 13h42 e 11.7km feitos.

Reforço efetuado, fizemo-nos ao caminho, mas devido a alguma confusão com estradas acabamos por nos enganar e apanhamos o PR3VLC um pouco mais acima junto a uma antiga escola, dali foi seeeeeeeeempre a subir cerca de 2,9km, com um ligeiro declive e sempre com uma vista lindíssima a nossa retaguarda.

A subida era longa, e cansativa, mas não desmotivou, pois sabíamos que estávamos quase quase na reta final e ali no topo já iriamos ter um almoço mais reconfortante junto a uma pequena capelinha que alcançamos por volta das 15:20, hora esta que almoçámos acompanhados pelas nossas meninas que foram ali ter de cachemobil.

Este era o ponto de maior altimetria do dia com cerca de 1012metros de altitude, e aqui já se notava muito o vento e frio, também à custa do nevoeiro que teimava em não desaparecer.

Almoço efetuado, removido o peso desnecessário das mochilas e abastecimento com mais alguma água, rumámos à etapa final, apanhamos o PR15 que já tínhamos cruzado no primeiro dia mas agora na Mamoa do Monte Calvo, em direção a Castanheira onde residem as Pedras Parideiras.

Como já conhecíamos o local, a ideia era não ir a Castanheira, mas como íamos a seguir o track acabaríamos por lá chegar na mesma, mas desviamos antes nesse PR15, seguindo em direção a Cabaços.

Chegámos a uma encruzilhada com o PR7 que se encontra a 910 metros de altitude, eram 16h30m e com 18.1km nas pernas, seria aqui que iriamos começar a descer até a ponte lá em baixo, mas antes ainda iriamos apreciar a fantástica paisagem, que apresentava uma nuvem de neblina que a qualquer momento poderia descer cobrindo todo aquele belo vale.

A descida fez-se calmamente e a bom ritmo, foi bom recordar a minha travessia deste PR à uns anos atrás mas em sentido contrário, o que me dava a vantagem de saber os desafios que nos esperavam pela frente …

A Ponte encontrava-se a 630metros de altitude, era o ponto mais baixo deste PR e de seguida uma enorme inclinação para um verdadeiro quebra-costas, que tínhamos que superar para terminar esta aventura.

A subida foi-se fazendo aos poucos, com algumas pausas, aos poucos íamos vendo o miradouro da Frecha da Mizarela, que já vínhamos a avistar desde que começámos a descer lá do outro lado, e tínhamos vindo visitar 3 dias antes para poupar tempo no dia de hoje.

Duas horas depois, chegámos ao Miradouro da Frecha da Mizarela, o nosso objetivo estava concluído, o que nos restava era um passeio de INATEL até ao Parque de Campismo do Merujal onde o Golf-TT e a GeoMotorHome nos esperavam para um banho quente relaxante e um grande reforço alimentar.

À chegada ao Merujal, totalizámos mais 24km e 10h30m de caminhada, fomos recebidos como campeões, de braços abertos, de sorrisos nos lábios, olhos cansados, pernas cansadas, transpirados e podemos finalmente gritar..... Conseguimos!!!!

[Continua na Próxima Write Note...]

BMPS5993

Visit Another Listing:

Advertising with Us

Return to the Top of the Page