View Geocache Log

Found it joom found Fake Factory (War Will)

Wednesday, March 4, 2015Braga, Portugal

It looks like your log contains HTML or UBB formatting. We now use Markdown formatting because it works on both web and mobile. Would you like to convert your log?

Success! To keep these changes, hit “Submit Log Entry” at the bottom of the page.

Hmm. Some of your log formatting is not supported. You might want to remove it and use Markdown formatting.

Parte 2 de 2

A partir daqui as conversas foram divididas: umas sobre a missão da cache e outras sobre o estado e a história da fábrica e que, infelizmente, reflectem o nosso país.

Voltando à cache, e como é que se descreve uma missão, secreta, sem a revelar? Logo no primeiro ponto, reparámos que havia pelo menos mais 4 e pela lógica, encontraríamos o final. Nesse ponto e depois de algumas buscas, além das vistas, claro, tudo foi encontrado e depois de analisado o seu conteúdo e novas indicações, começava aqui a nossa demanda. Tivéssemos a descrição na ponta da língua e não teríamos algumas dúvidas iniciais, mas nada que não fosse esclarecido com nova leitura. Seguimos então para o ponto a seguir e onde começavam, realmente, as dificuldades. Ou melhor dizendo, diminuindo as facilidades e começando a saga dos acariciamentos das cabeças em algo. Todos tivemos direito a um miminho de alguma parte e sem qualquer dano físico.

No ponto seguinte e depois de vasculharmos tudo, dificultando por vezes a procura por iniciativa própria, lá demos de caras com aquilo que procurávamos. Às vezes é tentador complicar. Novas pistas, novas instruções e lá fomos para o ponto seguinte. Havia agora o contacto com a luz e ainda bem que aqui viemos de dia. De noite há outro tipo de sensações mas durante o dia há muito, mas muito, mais para ver. No caminho comentámos, que ali, ali naquele local que chama por nós, é que poderia estar algo. Mas não, não era ali, embora o local, onde iríamos encontrar mais pistas também não ficaria atrás.

Mais umas instruções, quase cifradas para que um não iniciado não chegue lá, e a nova localização estava descoberta. Assim que vimos a coisa percebemos o que nos esperava, era ali. E lá fomos os três pelo caminho a seguir. Não havia dúvidas. E mais uma pista recolhida. Agora faltava, segundo as indicações do espião conhecido desconhecido, chegar à máquina identificadora. Aquela que nos permitiria identificar o vírus e assim saber qual era o antivírus a utilizar. Estava ali, nas nossas mãos, a solução para prevenir a catástrofe. Quase, porque ainda faltariam duras provas, a adivinhar pelo que já tínhamos passado. Nada estava ganho e nenhum foguete tinha sido lançado.

Chegados ao novo local e tínhamos diante de nós os meios para o teste. Faltava só ligar a alimentação, local era apropriado, e relembrando alguns conceitos escolares identificámos o que procurávamos. Eureka! Estava ali a solução. Faltava então seguir mais outra pista e teríamos tudo para chegarmos a bom porto.

Já noutro local e após árdua pesquisa, árdua para mim que não queria ver o óbvio enquanto os outros dois gozavam o prato, novas dificuldades estavam à nossa frente. E aqui, para espanto do dono da cache que não deu nenhuma pista para a nossa missão, e usando um dos truques que qualquer aprendiz de espião tem em carteira, ultrapassámos um dos desafios. O outro desafio, e com recurso a mais uma manobra “fora da caixa”, mas sem estragar nada, foi devidamente ultrapassado. A indicação final para a cura tinha chegado. Agora só faltava lá ir.

E foi procurando um sinal, como uma seta indicadora iluminada, que chegámos ao local, escolhido por William, onde estava o antivírus. Analisado o acesso, seguro mas barulhento, e a cache estava nas nossas mãos. Faltava agora só o registo, a prova que tínhamos cá vindo e cumprido a missão.

Gostei de aqui vir. A história é engraçada e proporciona uma visita a esta fábrica demonstrativa do nosso tecido industrial. O aproveitamento hídrico para produzir energia, a organização da produção, a organização e o impacto no meio envolvente. Infelizmente está tudo aqui, à espera que algo mude, e tudo se auto-arrume e limpe. É pena.

Com um sorriso de cara à banda, regressámos ao portão, onde, e depois de atravessado, ficámos com o sentido de dever cumprido. Já está, Fakerstein não será esquecido.

Encontrada na agradável companhia do 20 ver, K!nder e lenan2do.
Sem trocas
Obrigado pela cache

O postigo da entrada

Additional Images Additional Images

O postigo da entrada log image O postigo da entrada

Fake Factory log image Fake Factory

Horas extras log image Horas extras

Festas felizes log image Festas felizes

Abertura log image Abertura

Agostinha log image Agostinha

Training Manual log image Training Manual

Cerâmica log image Cerâmica

Tudo a zeros log image Tudo a zeros

Escuro log image Escuro

air-industrie log image air-industrie

Fábrica log image Fábrica

O regresso log image O regresso

A ver o rio log image A ver o rio

Barragem log image Barragem

Ferro no verde log image Ferro no verde

Saída de água log image Saída de água

Comporta log image Comporta

Formas de granito log image Formas de granito

Casinha log image Casinha

Lenan2do log image Lenan2do

Silhuetas log image Silhuetas

20 ver log image 20 ver

Chaminé log image Chaminé

Na escuridão log image Na escuridão

QWERTY log image QWERTY

Ficha Médica log image Ficha Médica

Cardados (C.Duros) log image Cardados (C.Duros)

infoA Mystery Cache is the “catch-all” of cache types, this form of cache can involve complicated puzzles you will first need to solve to determine the coordinates. The only commonality of this cache type is that the coordinates listed are not of the actual cache location but a general reference point, such as a nearby parking location. Due to the increasing creativity of geocaching this becomes the staging ground for new and unique challenges.
Visit Another Listing:

Advertising with Us