View Geocache Log

Found it Charruas found Oásis no Alentejo [Galveias]

Sunday, September 23, 2007Portalegre, Portugal

Depois de alguma indecisão enquanto estávamos no café acabámos por decidir rumar até às Galveias na busca de mais 1 cache (por volta das 24h). O que pensávamos ser 1 curta viagem, acabou por se transformar numa verdadeira aventura... Rumo a Galveias e perto da Ervideira iniciou-se 1 verdadeiro tormento.
1 lebre com vontade de por fim à sua vida atirou-se decididamente para baixo do cachemobile, como não gostamos de deixar despojos resolvemos parar e recolher o animal defunto, sem nenhum saco por perto acomodámo-lo na caixa aberta e seguimos viagem.
A cache que se encontrava perto das piscinas (1 local já nosso conhecido) e num sitio bem elevado de Galveias revelou-se fácil de encontrar, a complicação ainda estava para vir...
De regresso e para nosso tormento encontrámos a GNR à saída de Galveias. Após a habitual vistoria da documentação surgiu 1 inquérito relativo ao homicídio (involuntário) do animal. Surgiu de imediato a desconfiança de que tínhamos andado à caça, isto por termos em nossa posse várias lanternas. Lá tentámos explicar o que era o geocaching (a razão da nossa viagem), após a infeliz pergunta da autoridade: ”Geoshing? Isso é japonês, ou chinês?” desistimos por completo da explicação. Ainda mostrámos o objecto retirado da cache (Bart Simpson), mas a autoridade pensou estarmos a fazer troça da sua pessoa. Quando nos preparávamos para partir o sr. Guarda ainda questionou se tínhamos em nossa posse mais brinquedos, como por exemplo umas espingardas, tal era a enorme desconfiança de que tínhamos ido mesmo à caça.
Partimos de Galveias com 1 missão, a mando da autoridade teríamos de nos deslocar até à Santa Casa da Misericórdia de Ponte de Sôr (SCMPS) com o intuito de doar a lebre e receber 1 declaração da doação para entregar nesse dia (já passava das 24h) no posto da GNR. Lá fomos, pensando ser rápido o regresso a casa.
Quase a chegar à SCMPS (fica junto à entrada da cidade do lado de quem vem de Galveias), fomos mandados parar por outra patrulha da GNR, ainda tentámos explicar que já tínhamos sido abordados, mas não valeu de nada. Esta patrulha acabou também por dar com a lebre, mas para nossa surpresa estes tinham 1 ideia completamente diferente no que diz respeito ao destino da lebre, ou seja, para estes a lebre teria de passar primeiro por 1 veterinário e só depois poderia ser doada. Acabaram por dizer para passarmos por lá na mesma afim de resolver as coisas e para não contrariarmos as ordens dadas pela outra patrulha.
Fomos bater à porta da SCMPS, isto por volta da 1h e tal madrugada. Depois de tocarmos à campainha lá surgiu 1 simpática funcionária que nos ajudou a resolver este problema, mas não de imediato. A sra informou que a secretaria da SCMPS só abriria na segunda-feira, sendo assim impossível passar 1 declaração a confirmar que tínhamos ido doar a lebre, questionou-nos então se tínhamos algum papel passado pela GNR para poder assinar, nós dissemos que não e assim surgiu a necessidade de nos dirigirmos ao posto afim de adquirir esse papel.
Chegados ao posto demos de caras com os senhores que nos tinham mandado parar pela 2ª vez, estes questionaram-nos o porquê da nossa visita e nós lá explicámos, então outro membro da GNR resolveu ligar para o posto de Galveias, para nossa e para sua surpresa não se encontrava lá ninguém. Acabou no entanto por conseguir entrar em contacto com o GNR de Galveias e lá nos ajudou a resolver a questão.
Então, e para concluir, que a história já vai longa, ficou estipulado que teríamos de ir até ao lar dizer que na segunda-feira seguinte a GNR de Galveias por lá passaria com o intuito de recolher a tal declaração que confirmava a doação da lebre.
Ficou tudo resolvido e o que parecia ser mais 1 noite de cachada, tornou-se 1 maratona judicial na qual não nos queremos ver metidos nos próximos tempos…

TFTC

In: 1 cêntimo (não vínhamos munidos)
Out: Boneco (Bart-Simpson)

Cache

Additional Images Additional Images

Cache Cache

Charruas Charruas

infoThis is the original cache type consisting, at a bare minimum, a container and a log book. Normally you'll find a tupperware container, ammo box, or bucket filled with goodies, or smaller container ("micro cache") too small to contain items except for a log book. The coordinates listed on the traditional cache page is the exact location for the cache.
Visit Another Listing:

Advertising with Us