Skip to Content

View Geocache Log

Didn't find it ajsa couldn't find Fenda da Calcedónia

Saturday, April 11, 2009Braga, Portugal

Novo dia por Terras do Barroso, novas aventuras que nos preenchem de satisfação pelos obstáculos ultrapassados e pela enorme sensação de liberdade que os diferentes locais deste canto lusitano tem para explorar acabam por oferecer.
Subir a Calcedónia era ponto assente, era objectivo a cumprir mas fomos adiando a sua subida ao longo da semana pelas mais variadas razões a começar pelas partidas de S. Pedro.

Conforme recomendado, estacionamos o carro nas coordenadas fornecidas e fizemo-nos à aventura. Ia eu, AJSA, o Zé e a Cristina. A Golfinha e a Bia ficaram no carro.

Começamos muito bem mas de repente, a pouco mais de duzentos metros após o inicio, perdemos, ou se calhar nunca o chegamos a encontrar, o trilho e acabamos por surgir no cimo duma colina rochosa com o maciço da Calcedónia à nossa frente para a direita.

Nitidamente tínhamos enganado no caminho e começamos a descer a encosta um pouco acidentada e íngreme. Durante a nossa descida reparamos na passagem dum grupo num trilho a cerca de 100 metros de nós. Aquele era o caminho correcto, só teríamos mesmo de o alcançar.

Descemos, subimos, atravessamos mato e até tivemos de saltar um pequeno riacho existente no fundo do vale mas a persistência e a vontade de vencer foi muito forte e ao fim de talvez meia hora encontramos as marcas do trilho para nossa enorme felicidade; estávamos no caminho correcto.
Descansamos um pouco e com enorme alegria prosseguimos até chegar ao maciço, aqui pulávamos de alegria, estávamos muito mas muito perto!

Entre a subida de algumas rochas em jeito de pequenos obstáculos e fotografias do local que se transforma radicalmente os nossos olhos encheram-se de alegria ao alcançar a placa “Cidade da Calcedónia” e ao seu lado o derradeiro obstáculo; ultrapassar aquela enorme fenda!

A Cristina foi a primeira a dizer
– Pai, tu passas, acredita que passas, queres ver?!
- Zé, anda cá agora tu para o pai ver que consegue passar.
-Não sei, acho que vou tentar por cima desse buraquinho.
- Não pai, tu passas, por ali é muito alto!
- Não passo, alguma vez entro nesse buraquinho, nunca!

Estava obviamente enganado. Segui mesmo os conselhos da Cristina, esgueirei-me e…
– Viva, passei, agora só falta o resto! …e o resto… o resto foi delicioso!

Entre ter de puxar pela cabecinha de como poderia passar este, o outro e o outro obstáculo; ter de puxar o Zé entre cada pedra e ajudar a Cristina nalgumas situações um pouco mais difíceis devido à altura de determinadas pedras, acabamos por nos divertir imenso dentro daquela fenda com direito a filmagens, fotografias e grandes, muitas gargalhadas.

Fora da fenda, liguei de novo o GPSr e ainda indicava cerca de 50 metros até à cache. Contornei a rocha até que, já numa fase que exigia um pouco mais de cuidado, a Cristina começou a alertar-me que seria melhor mesmo abandonar o resto do percurso por sentia a pedra um pouco escorregadia.

Confesso que inicialmente não lhe quis dar ouvidos, mas de tanta persistência da parte dela acabei por não prosseguir e voltar um pouco para trás para cima duma rocha e contemplar o espectáculo existente à frente dos nossos olhos.

Ligamos os PMR e conversamos com a Golfinha para demonstrar a nossa felicidade. Ao fim de algum tempo iniciamos a descida pelo lado brando da montanha em direcção ao carro.

Para trás ficou uma enorme aventura e a promessa de cá voltar para concluir os cerca de 30 metros que faltavam. Connosco trouxemos recordações vitalícias que um dia, mesmo por muito pouco tempo fomos heróis: Subimos a Fenda da Calcedónia!

Muito, mas muito obrigado, até breve.

Cabeça do homem

Additional Images Additional Images

Chegamos! Chegamos!

Inicio Inicio

Pelo caminho Pelo caminho

Lá está ela... Lá está ela...

Sandwich Sandwich

Sela do cavalo Sela do cavalo

Cabeça do homem Cabeça do homem

A nossa passagem A nossa passagem

Anda que passas... Anda que passas...

...e não é que passo mesmo! ...e não é que passo mesmo!

Inicio da subida Inicio da subida

...meio caminho... ...meio caminho...

...cá estamos! Uauh! ...cá estamos! Uauh!

Vizinho Vizinho

Descanso do guerreiro Descanso do guerreiro

Cheguei!!!!!!!! Cheguei!!!!!!!!

Contemplação... Contemplação...

infoThis is the original cache type consisting, at a bare minimum, a container and a log book. Normally you'll find a tupperware container, ammo box, or bucket filled with goodies, or smaller container ("micro cache") too small to contain items except for a log book. The coordinates listed on the traditional cache page is the exact location for the cache.
Visit Another Listing:

Advertising with Us

Return to the Top of the Page