Skip to Content

View Geocache Log

Found it lynx pardinus found Praia da Falésia [Vilamoura]

Sunday, July 27, 2008Faro, Portugal

Acho que há várias maneiras de imaginar de onde é que vem o nome desta praia. Podemos pensar que o nome vem de um antigo campo de vegetais de casca avermelhada que existisse ali, antes de a praia ser descoberta e colocada no roteiro turístico. Ou, então, há a explicação de que o nome se deve ao Zé António, pescador ali da praia, que um dia saltou para o mar encapelado, para salvar dois companheiros pescadores que as ondas fizeram o barco naufragar, dizendo-se, a partir desse momento, que o Zé António tinha um grande par deles. Ou por qualquer outra razão que nem vou tentar descortinar! De qualquer modo, o nome desta praia continua a ser, para mim, um mistério…

Bom, o dia estava excelente, com o Sol (bem intenso, viva os protectores) a brilhar resplandecente e o mar convidativo, azul, lá ao fundo, a chamar por nós. Alguém tinha passado bons verões de adolescente na Praia dos Tomates e como isto de vez em quando também tem que se marcar pontos positivos (quando a nossa ‘conta’ fica negativa, é mau sinal…), e como também tenho boas recordações de um Verão nesta praia, achei que era uma excelente ideia!

E foi assim que, depois de algum bom tempo de saltinhos para a água, mergulhinhos nas ondas (ondas? 20 cm pode ser considerado uma onda?) e torrying (do verbo, “to torre”) com um livro na mão, liguei o geko, olhei para a falésia (que dá o nome à praia do lado), deixei um “até já” dito baixinho na minha toalha (para não desaparecer sem dizer nada, mas também para não acordar quem era suposto ter ouvido), calcei o belo do xanato (agora chamamos-lhes havaianas porque é mais fino), reforcei o protector e, passando pelo Quebra-Côco (o mítico bar da Praia dos Tomates), virei à direita e subi pelo caminho de terra batida até lá acima. A vista sobre a praia, com o mar muito azul e o sol forte a realçar a vivacidade das cores era impressionante – e merecia só por si a subida e deixar por 10 minutos o dolce fare niente lá de baixo.

A cache, bem, não foi difícil de encontrar. Mas dessa parte já estava à espera. Afinal, uma cache que é um monumento a entregarmo-nos languidamente aos prazeres do Sol e do mar não poderia ser um desafio extenuante – isso, é para outros sítios e circunstâncias. Esta, está muito bem assim!

A geocoin e o TB ficaram por aqui, a gozar também eles os prazeres do estio algarvio. Bem merecem!

infoThis is the original cache type consisting, at a bare minimum, a container and a log book. Normally you'll find a tupperware container, ammo box, or bucket filled with goodies, or smaller container ("micro cache") too small to contain items except for a log book. The coordinates listed on the traditional cache page is the exact location for the cache.
Visit Another Listing:

Advertising with Us

Return to the Top of the Page