View Geocache Log

Found it corvos found VG Mercado [Moscavide]

Saturday, June 11, 2011Lisboa, Portugal

It looks like your log contains HTML or UBB formatting. We now use Markdown formatting because it works on both web and mobile. Would you like to convert your log?

Success! To keep these changes, hit “Submit Log Entry” at the bottom of the page.

Hmm. Some of your log formatting is not supported. You might want to remove it and use Markdown formatting.

Noutros tempos o mercado situava-se um pouco mais ao lado do local actual, na Praceta José Augusto Gouveia. Nesses tempos era ao ar livre e o cheiros e os sons impregnavam todo o espaço envolvente. Do lado esquerdo de quem entrava ficavam as peixeiras, como a Gracinda e a Iria, nas suas bancadas de cimento, em linha umas a seguir às outras, apregoando às freguesas a qualidade dos seus cachuchos, desde a solha e o linguado à faneca, passando pela sardinha, a pescada, a xaputa, a dourada e o carapau. Assim a freguesa o desejasse, o peixe era ali mesmo amanhado e as escamas voavam por todo o lado misturando-se com as omnipresentes moscas. Furando por entre a mole e aos encontrões, chegava-se à zona dos legumes e hortaliças, onde à manivela se cortava em tiras a couve portuguesa para o caldo-verde. Neste local, aos sons e aos cheiros juntava-se-lhes uma enorme paleta de cores. Tomates vermelhos, pepinos verdes, pimentos vermelhos, verdes e amarelos, bringelas roxas, rabanetes, cenouras, alfaces, couves e repolhos, batata branca e roxa, nova e velha, cebolas e alhos em molhos, grão, feijão, lentilhas, favas e ervilhas para descascar, e, apesar das condições, ninguém sabia o que era E.coli. Havia frutas, sem as designações exóticas que hoje se encontram nos hipermercados, laranjas e maçãs, peras e pêssegos, melancias e melões, uvas, morangos e cerejas, todos, nem se questionava, de produção nacional. Do lado direito, oposto às peixeiras, ficava a charcutaria, com toda a espécie de enchidos pendurados em ganchos, chouriços e chouriças, farinheiras, morcelas, paios e também o toucinho, presuntos e queijos. Os talhantes cortavam, suavemente com facalhões ou à bruta com cutelos, grandes nacos de carne, de porco e vaca, à medida do gosto da freguesa, e ninguém tinha alguma vez ouvido falar de coisas como a BSE, PSA, nitrofuranos, H1N1 ou H1N5. Ao lado ouvia-se a cacofonia da criação viva, galinhas, patos, perus, pombos e coelhos, metida em gaiolas de madeira e arame espalhadas pelo chão da praça. Viva quer apenas dizer que ainda respirava, pois assim que a freguesa escolhesse o almoço, era no momento, sem complacência, abatida - a criação, não a freguesa - e, conforme a espécie, depenada ou esfolada. Um pouco mais adiante alguém vendia azeite, azeitonas, tremoços e vinho carrascão, tinto ou branco, de duas qualidades, do lote ou especial, tirado directamente dos pipos para garrafa ou garrafão. Havia ainda potes de flores que tentavam, num esforço inútil, dar outro aroma ao local.
Obrigado. corvos
1002AZ201106111537

infoThis is the original cache type consisting, at a bare minimum, a container and a log book. Normally you'll find a tupperware container, ammo box, or bucket filled with goodies, or smaller container ("micro cache") too small to contain items except for a log book. The coordinates listed on the traditional cache page is the exact location for the cache.
Visit Another Listing:

Advertising with Us