Skip to Content

View Geocache Log

Write note paragrama posted a note for CaBrElA - Rede Natura (PR2 MMN - Sítio de Cabrela)

Sunday, March 8, 2015Évora, Portugal

Shalmai & Paragrama

[1/3]

TL;DR: Cache espectacular, vai ser preciso saltar um portão e a água da ribeira é FRIA!

A primavera chegou! Finalmente o objectivo do dia! :-)
O passeio começou perto da igreja. O cachemobile ficou estacionado à sombra, e ficámos um bocadinho na área arrumar o material para começar o percurso. Estava-se perto da hora de almoço e as ruas tinham pouca gente, apenas dois ou três indivíduos à frente de um café e umas senhoras na conversa encostadas à parede.
Logo no primeiro ponto recolhemos os dados com facilidade, e continuamos calmamente o passeio. As câmaras fotográficas estavam à mão, e foram muito usadas, por isso o ritmo também não foi demasiado elevado.
Fomos seguindo o percurso disponibilizado na listing com o GPSr e resolvemos começar pelo sentido “normal”, continuámos pela aldeia e passámos por uma carrinha a vender frutas e legumes.
“Olha, esqueci-me das maçãs... compramos?”
“Está bem!”
Após os “bom dia” da boa educação acabámos por escolher umas pêras e umas maçãs, estas altamente recomendadas pelo vendedor, um moço ainda jovem que agilmente saltitava entre caixas de fruta. 70 cêntimos mais tarde continuámos a subir a rua, parando para ver uns gatos e pouco depois enxotávamos um irritante canídeo que insistia em nos atazanar...
Neste ponto surgiu o primeiro problema: o GPSr dizia para prosseguirmos por um caminho que parecia mais a pilha de compostagem da aldeia do que um “caminho a sério”. Olhámos em volta e ao lado havia um portão baixo fechado com corrente e cadeado... ainda ponderei ter-me enganado a seguir o risco, e voltámos atrás para ver se havia carreiro por trás das casas, mas não. Entre atravessar aquilo ou fazer o caminho ao contrário "e depois logo se vê” optámos pela segunda hipótese, e assim voltámos para trás, enxotámos de novo o cão, vimos outra vez os gatos, e passámos pela camionete da fruta, agora já noutro local.
Seguimos em direcção à saída da aldeia e tentámos ir ver de perto as ermidas ou capelas ou parecido que estavam ao lado da estrada, mas não demos com caminho para lá, por isso continuámos a seguir o traço no GPSr, alcatrão fora e sem grande novidade... é que alcatrão há muito e já não espanta.
Um pouco mais à frente chegamos à terra e o passeio começa a melhorar: os poucos carros ficam para trás, começamos a ouvir mais o vento e a observar mais as ervas e os chaparros, o Alentejo estava já ali. Muito bom!
Percorremos o caminho vendo a paisagem, conversando, olhando para um ou outro contrail, observando as flores, contando as azinheiras, fazendo fotografias. Já perto do moinho apanhámos uma zona de sombra a descer, com os xistos a partirem-se na borda do caminho, e o som da água a correr naquele fio que de certeza se iria juntar à ribeira da Safira.
Quando chegámos à ribeira o nosso estômago dizia que podia comer qualquer coisinha. Por perto não havia nenhum local propicio a piquenique, por isso decidimos atravessar e procurar um pouco mais à frente. Ainda tentei atravessar calçado, mas a Shalmai alertou-me e com razão que ia ficar com os sapatos encharcados, por isso decidi que o melhor era continuar descalço. Antes disto tudo eu já me tinha entretido a tirar fotografias, e meti na cabeça que havia de fazer mais umas no meio da água, ribeira acima, onde as arvores fechavam o percurso de forma bastante bonita.
Esta ideia dissipou-se uns segundos depois de entrar na água.
Eu sou do tipo que não gosta muito de ir à praia, e que acha a água sempre fria. Parece sempre que é fresca demais, entramos aos bocadinhos mas nunca está confortável, está sempre um bocadinho fria... é aborrecido. A água da ribeira da Safira não é nada assim! Nós entramos, só com os pés e pensamos “está fresca”. Depois deixamos de pensar, e só queremos sair dali! :-)
Ainda insistimos nos momentos fotográficos, mas concordámos que não era saudável, por isso fotografias só da margem :-)

continua...

infoA multi-cache ("multiple") involves two or more locations, the final location being a physical container. There are many variations, but most multi-caches have a hint to find the second cache, and the second cache has hints to the third, and so on. An offset cache (where you go to a location and get hints to the actual cache) is considered a multi-cache.
Visit Another Listing:

Advertising with Us

Return to the Top of the Page