View Geocache Log

Write note paragrama posted a note for CaBrElA - Rede Natura (PR2 MMN - Sítio de Cabrela)

Sunday, March 8, 2015Évora, Portugal

It looks like your log contains HTML or UBB formatting. We now use Markdown formatting because it works on both web and mobile. Would you like to convert your log?

Success! To keep these changes, hit “Submit Log Entry” at the bottom of the page.

Hmm. Some of your log formatting is not supported. You might want to remove it and use Markdown formatting.

Shalmai & Paragrama

[2/3]

Continuando o percurso chegamos ao segundo ponto onde recolhemos números, e pouco mais à frente parámos para piquenique na sombra de uma azinheira e com umas pedras a improvisar um banco. Claro que 30 metros mais à frente havia uma sombra MUITO melhor, e com umas pedras MUITO mais lisas para sentar... mas só vimos quando retomámos a marcha... Murphy...
Depois da barriguinha cheia e das continhas feitas, continuámos o nosso percurso, calmamente, passando por montes e vales e belas paisagens, conversando e apreciando o caminho. Alguns quilómetros mais tarde demos com o GZ e com o container, numa zona curiosa e com uma construção que me levantou algumas dúvidas... aquilo é um tanque de água?? Mas a cache foi encontrada, tinha brinde tal como a anterior (não me acontece muito!) e as atenções voltaram a centrar-se no nosso objectivo, agora cumprido, e no resto do percurso de volta a Cabrela.
Percurso esse que ia começar a ficar interessante...
Algum tempo depois do ponto final quando vamos passar uma cancela aparece o primeiro vislumbre de “gado”. Primeiro um bezerro, ainda pequeno, que nitidamente estava a precisar de companhia, e já estava num estado tal que para ele já nem fazia diferença ser bípede e não ter chifres. Depois de me certificar que a mãe vaca não estava por perto, apenas um cavalo um bocadinho afastado, lá abri a cancela e passámos, com o bezerro a dizer muitos “olás” à Shalmai. Nisto o cavalo adopta o ar de “ei! humanos! vamos brincar!” e corre na nossa direcção!
Admito, sou menino de cidade... cavalos são aqueles animais magnificos das estepes, e vacas são a origem do leite para os corn flakes e da posta mirandesa. NÃO é suposto um cavalo vir brincar comigo, e por isso enxotei-o. Ele ficou obviamente amuado e apesar do meu arrependimento e de o termos chamado, ele não veio, mesmo continuando curioso... para a próxima não posso ter mau feitio :-)
Mais fotos e continuamos caminho, para dois quilômetros depois encontrar o segundo percalço: um portão fechado! Pelo listing tinha ideia que não era suposto saltar portões, por isso ficámos admirados. Após uns momentos a debater o assunto e a consultar as imagens de satélite do google maps, resolvemos voltar um pouco atrás e tentar uma outra cancela que tínhamos visto virada para Sul. A alternativa era caminhar o percurso todo para trás, e como o GPSr já media 9km, resolvemos arriscar um caminho que aparecia na imagem de satélite, mas que não encontrámos. Acabámos por encontrar sim o dono do terreno, que nos disse que o melhor caminho era ir em direcção à vedação e ao portão, e saltar por cima dele. Um pouco incrédulo lá lhe perguntei se o dono do outro lado não ia ficar chateado, e ele algo divertido sugeriu que eu dissesse que me tinha perdido. Não o posso censurar :-)
Portanto o portão é para saltar, nem custa nada. Nós acabámos por fazer 2 quilômetros a mais, quase todos a corta mato o que foi um pouco mais cansativo, mas voltámos ao percurso, que nos levou outra vez a cruzar a ribeira da Safira.
Desta vez consegui passar com os sapatos, e sem me molhar, mas a Shalmai tinha uns sapatos mais abertos e repetiu o procedimento de ir às águas.
Já estávamos muito perto, e o cansaço começava a fazer-se notar. O ânimo já não era o mesmo, e o caminho era difícil pois passa por locais onde muito gado andou quando havia lama, resultando um piso muito irregular. Fazendo o percurso no sentido “normal” as dificuldades maiores surgiam logo ao início, por isso fica aqui o aviso aos próximos visitantes: insistam nas ervas logo no fim da Rua do Castelo, que vão chegar a bom porto!
Passando a ribeira pela segunda vez demorámos mais 30 minutos a chegar ao carro, em ritmo calmo e com muitas fotos, com o sol já baixo e naquela altura do dia em que já está tudo dourado.

continua...

infoA multi-cache ("multiple") involves two or more locations, the final location being a physical container. There are many variations, but most multi-caches have a hint to find the second cache, and the second cache has hints to the third, and so on. An offset cache (where you go to a location and get hints to the actual cache) is considered a multi-cache.
Visit Another Listing:

Advertising with Us