View Geocache Log

Found it Pintelho found A trip by the Solar System

Friday, October 18, 2013Évora, Portugal

It looks like your log contains HTML or UBB formatting. We now use Markdown formatting because it works on both web and mobile. Would you like to convert your log?

Success! To keep these changes, hit “Submit Log Entry” at the bottom of the page.

Hmm. Some of your log formatting is not supported. You might want to remove it and use Markdown formatting.

Parte #1

UAU! Mas que dizer desta ideia fabulosa? Um sistema solar de 1:414 000 000 que nos faz sentir grandes e, ao mesmo tempo, tão pequenos... A ideia, do CCV Estremoz, passaria completamente despercebida caso não fosse esta genial cache do clcortez. E não é menos que isso, esta aventura.

Tudo começou dia 17, à noite, num hostel de Estremoz. Eu e a GS revíamos os planos para dia 18 e concluíamos que não eram realistas. Visitaremos Elvas, Badajoz e Merida numa outra ocasião.
Assim, decidimo-nos a ficar, mais calmamente, por Estremoz, e esta cache veio à baila. O conceito agradou à GS que, mesmo quando confrontada com uma Multi de 11 pontos, manteve o ânimo. Então era isso. Um dia de férias passado a percorrer o sistema solar, com algumas paragens por terras de Estremoz.

Claro está que, antes de avançarmos nesta aventura, fomos ao turismo, visitámos os locais mais emblemáticos da cidade e estivemos, inclusivé, bem perto dos quatro primeiros pontos. Visitámos o CCV e recolhemos um panfleto sobre o Sistema Solar, que serviria de "roadbook" para a aventura.
À saída, com o Sol (o verdadeiro) a aquecer, visitámos o Sol. Sobre cada ponto, não mencionarei as gaitinhas a contar, exceto num ou outro caso que considero relevantes, mas em cada astro, seja o Sol, os Planetas ou Plutão, há contas a fazer, duplamente. Uma primeira recolha de dados para a cache final e uma segunda para o passo seguinte, evitando "batoteiros".

O Sol é tão pequeno, pensei, que nem quero imaginar Plutão.
A ideia está fantástica, já o tinha dito? Mas a sério, está, e merece cada Km percorrido!
Seguimos até Mercúrio. Já lá tínhamos passado horas antes, mas nem reparámos, tão absortos que estávamos em contemplar a beleza da praça. Logo aqui tivémos e ficámos com a real noção da dimensão da escala. Que minúsculo é o planeta face ao sol... Vamos, então, seguir para Vénus.

Também Vénus já havia sido orbitado, enquanto visitávamos o centro de Estremoz, mas lá voltámos a apreciar o chafariz e as vistas para o castelo. Já aí vamos, pensei.

Já na Terra deparámo-nos com a única dificuldade do percurso. O dado necessário para a coordenada final, apesar de claro, levou-nos a pensar "e se o owner estava distraído e considerou Y em vez de X como sendo a resposta correta? Decidimos confirmar com o owner. A nossa resposta estava correta, e a solicitude do clcortez foi pronta: "Se precisarem de mais ajuda, avisem". Não precisámos, mas agradecemos.
E que dizer daquela pequena esfera, já a umas centenas de passos do sol, e tão pequena quando comparada com aquela pequena bola que vemos, diariamente, no céu? A dimensão do sistema solar e a discrepância de dimensões são ambas avassaladoras. E se pensarmos na dimensão do Sistema Solar perante a nossa Galáxia? E a Galáxia no Universo? Percebe-se a ideia do quão pequenos somos nós, ainda que tão grandes face a um átomo?! Nunca, durante esta brincadeira, me deixei de sentir empolgado com a ideia das escalas. É simplesmente brutal.

Já chegar a Marte foi chegar a um planeta digno de ficção científica. De um cenário de guerra. Afinal de contas, a quantidade de grafitis e o vandalismo a que este planeta, contrariamente aos outros, está sujeito, levam-me a crer que alguns filmes de Hollywood aqui vieram beber alguma inspiração.

Entre Marte e Júpiter há todo um vazio: a cintura de asteróides e a distância entre os planetas levam-nos até fora de Estremoz - centro. Aproveitámos, pois, para almoçar fora de órbita, no castelo e, já retomadas as energias, seguir no cachemobile até Júpiter.
Com uma enorme reta, a estrutura de suporte a Júpiter vê-se a 124 200 000 Km. Ou 300 metros, sei lá. Chegados ao planeta... WOW! A Terra, este planeta que nos parece tão grande, é tão minúscula quando comparada com este gigante!

DSC_0127Uploaded by Geopt Geocaching Tools -> http://gctools.geopt.org

Additional Images Additional Images

DSC_0127 log image DSC_0127

DSC_0129 log image DSC_0129

DSC_0130 log image DSC_0130

DSC_0133 log image DSC_0133

DSC_0137 log image DSC_0137

DSC_0140 log image DSC_0140

DSC_0143 log image DSC_0143

DSC_0145 log image DSC_0145

DSC_0146 log image DSC_0146

DSC_0152 log image DSC_0152

DSC_0155 log image DSC_0155

DSC_0157 log image DSC_0157

DSC_0158 log image DSC_0158

DSC_0161 log image DSC_0161

DSC_0181 log image DSC_0181

DSC_0182 log image DSC_0182

DSC_0184 log image DSC_0184

DSC_0185 log image DSC_0185

DSC_0186 log image DSC_0186

DSC_0187 log image DSC_0187

DSC_0189 log image DSC_0189

DSC_0190 log image DSC_0190

DSC_0194 log image DSC_0194

DSC_0198 log image DSC_0198

DSC_0199 log image DSC_0199

DSC_0206 log image DSC_0206

DSC_0209 log image DSC_0209

DSC_0210 log image DSC_0210

infoA multi-cache ("multiple") involves two or more locations, the final location being a physical container. There are many variations, but most multi-caches have a hint to find the second cache, and the second cache has hints to the third, and so on. An offset cache (where you go to a location and get hints to the actual cache) is considered a multi-cache.
Visit Another Listing:

Advertising with Us