View Geocache Log

Found it global trekkers found Montanhas Nebulosas [PNPG]

Saturday, July 5, 2014Viana do Castelo, Portugal

#3352
(Parte 01/14)

“It is not the mountain we conquer but ourselves.” (Edmund Hillary)

“If you have men who will only come if they know there is a good road, I don't want them. I want men who will come if there is no road at all.” (David Livingstone)

PRÓLOGO

Quando a 30 de Agosto de 2013 terminámos ao fim de 4 anos de caminhadas, a PNPG's MasterDegree Challenge (GC1P9ZV), nunca pensámos que voltaríamos ao Gerês para os grandes desafios na alta montanha. Mas aqueles vastos maciços graníticos dominados pela solidão e silêncio avassaladores parecem ter esse efeito nos caminhantes, que como nós, acabam sempre por aqui voltar, como que chamados por um apelo irresistível.

Foi o caso desta cache que prometendo uma caminhada de pelo menos 75 km quase todos ao longo da fronteira luso-espanhola, percorrendo todas as serras emblemáticas do parque e oferecendo uma miríade de paisagens minimamente perturbadas pelo homem, desde rios e ribeiras em estado (quase) selvagem até aos altos cumes de pedra, passando por bosques sub-alpinos de elevado valor botânico, não podia de facto ser ignorada. Mas mais do que isto era mesmo o desafio à coragem, a paixão por novas aventuras que no fundo constitui o espirito livre do homem.

Depois da vontade e do desejo, veio a preparação: Leitura atenta da página da cache e dos respectivos registos de outros caminhantes que outrora a abordaram com ou sem sucesso, tendo especial atenção aos cuidados a ter a quem se aventura nestas serras que para nós, graças à experiência de outras tantas passeatas no PNPG, já não eram novidades.

Após a convocatória dos outros aventureiros que nos haviam de acompanhar nesta demanda – JorgeGP, Portubal e mecasantos, que tantas aventuras por esse país fora partilhámos juntos -, ficou decidido que o planeamento passava por procurar esta cache em 3 etapas: a) Castro Laboreiro-Parada; b) Parada-Portela do Homem e c) Portela do Homem-Pitões das Júnias. Para este fim-de-semana (prolongado) de Maio, a estratégia passava por fazer de seguida as primeiras duas etapas, numa extensão aproximada de 50 km (e que afinal de veio a revelar um pouco maior conforme descrito adiante). A derradeira etapa ficaria como tal para outra ocasião. Foi igualmente decidido que a pernoita entre as 2 primeiras etapas seria feita em algum alojamento hoteleiro e nunca em campismo selvagem (como chegou a ser equacionado), uma vez que tal imprimiria uma muito maior exigência física e cansaço ao percurso conforme constatado em alguns registos.

Na véspera da caminhada e depois uma chegada tranquila à vila de Castro Laboreiro, todo o material e provisões foram devidamente preparados, para no dia seguinte, logo de madrugada, nada faltasse e nos puséssemos de imediato ao caminho. A única dúvida relativa ao equipamento prendia-se com o facto de levarmos ou não um par de botas vadiadoras (ditas botas de pescador) que nos poderia vir a dar muito jeito na passagem da mistura das águas (Laboreiro e Penedo). Mesmo tendo em conta o peso adicional e o desconforto em levar tal equipamento (a forma menos penosa é transportar ao pescoço com uma perna para cada lado), acabámos por decidir levá-las e em boa hora o fizemos. De resto tudo estava devidamente acondicionado com as habituais seguranças: mais de 6 pares de pilhas alcalinas/recarregáveis, gps adicionais, página da cache impressa em papel, contactos telefónicos essenciais, bússola, primeiros socorros, etc.

infoA multi-cache ("multiple") involves two or more locations, the final location being a physical container. There are many variations, but most multi-caches have a hint to find the second cache, and the second cache has hints to the third, and so on. An offset cache (where you go to a location and get hints to the actual cache) is considered a multi-cache.
Visit Another Listing:

Advertising with Us