Skip to Content

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.

This cache has been archived.

btreviewer: Esta cache foi arquivada por falta de uma resposta atempada e/ou adequada perante as situações relatadas. Relembro a secção das guidelines sobre a manutenção http://support.groundspeak.com/index.php?pg=kb.page&id=307#maint :

[quote]
You are responsible for occasional visits to your cache to maintain proper working order, especially when someone reports a problem with the cache (missing, damaged, wet, etc.). You may temporarily disable your cache to let others know not to search for it until you have a chance to fix the problem. This feature is to allow you a reasonable amount of time – normally a few weeks – in which to check on your cache. If a cache is not being maintained, or has been temporarily disabled for an unreasonable length of time, we may archive the listing.

Because of the effort required to maintain a geocache, we ask that you place physical caches in your usual caching area and not while on a vacation or business trip. It is best when you live within a manageable distance from the cache placements to allow for return visits. Geocaches placed during travel may not be published unless you are able to demonstrate an acceptable maintenance plan, which must allow for a quick response to reported problems. An acceptable maintenance plan might include the username of a local geocacher who will handle maintenance issues in your absence.[/quote]

Como owner, se tiver planos para recolocar a cache, por favor, contacte-me por [url=http://www.geocaching.com/email/?u=btreviewer]e-mail[/url].

Lembro que a eventual reactivação desta cache passará pelo mesmo processo de análise como se fosse uma nova cache, com todas as implicações que as guidelines actuais indicam.

Se no local existe algum container, por favor recolha-o a fim de evitar que se torne lixo (geolitter).

Obrigado

[b] btreviewer [/b]
Geocaching.com Volunteer Cache Reviewer

[url=http://support.groundspeak.com/index.php?pg=kb.page&id=77][i][b]Work with the reviewer, not against him.[/b][/i][/url]

More
Traditional Geocache

Aldeia da Roupa Branca

A cache by pirata playmobil Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 1/26/2008
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1 out of 5

Size: Size: micro (micro)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:





Falar de Caneças é relembrar um passado ligado à exploração aguadeira, cujas águas límpidas, incolores e inodoras, de sabor férreo, e de temperatura inferior à da atmosfera eram recomendadas no tratamento de anemias e na convalescença de outras enfermidades. Estas qualidades da água foram favoráveis ao tratamento de doenças do estômago, bexiga, fígado, rins, diabetes e dos intestinos.
Desde tempos remotos, os habitantes da povoação de Caneças enchiam de água bilhas de barro que faziam transportar até à Capital.

Assim, sobre o dorso dos animais, em carroças, em galeras e, posteriormente, em camionetas, o comércio aguadeiro foi crescendo, tornando-se numa das actividades económicas mais importantes para os habitantes e também uma das fontes de receita da freguesia. As qualidades naturais da água permitiram desenvolver o comércio da venda da água, ligado ao aparecimento de diversas fontes, onde se constituíram empresas familiares e sociedades.
Dependente da exploração das águas surgiu uma outra indústria, que foi a do fabrico das tradicionais bilhas de barro da região saloia, que serviam para o transporte da mesma. As enchedeiras e os aguadeiros são duas das ocupações associadas à actividade da venda da água, que fazem parte da memória colectiva.
Além das qualidades salutares da água, do ar e dos inúmeros espaços verdejantes, também a actividade laboriosa das lavadeiras tornou conhecida Caneças.

Não esqueçamos o filme Aldeia da Roupa Branca, as telas inspiradas nas lavadeiras, entre outras manifestações culturais.
Actividade ancestral, das mulheres deste lugar, foi um contributo importante para o sustento das famílias, ocupando um número significativo de mão-de-obra feminina, a par das enchedeiras das bilhas de água e das mulheres que trabalhavam na lavoura.
As lavadeiras com o mérito que lhe é reconhecido tratavam com esmero a roupa das freguesas que recolhiam em Lisboa ou arredores. Junto das ribeiras, dos rios ou das almácegas dedicavam-se ao tratamento da roupa.
Também o crescimento desta actividade fez surgir lavadouros públicos e privados onde as lavadeiras por conta própria ou sob orientação de outros procediam à lavagem das peças de roupa.
Após uma semana dedicada ao trato da roupa, as lavadeiras procediam à sua entrega, utilizando o dorso dos animais, as carroças, as galeras e, mais tarde, as camionetas de aluguer.
A pouco e pouco, esta actividade assistiu ao desaparecimento das lavadeiras devido ao aparecimento da água canalizada que permitiu assim criar espaço para a existência de um tanque nos interiores das habitações, das máquinas de lavar roupa, levando as gerações mais novas a procurarem outros afazeres.
Progressivamente, os lavadouros deixaram de ser utilizados o que deu lugar à degradação ou desaparecimento de alguns destes locais.

"Ó rio não te queixes,
Ai o sabão não mata,
Ai até lava os peixes,
Ai põe-nos cor de prata.
Três corpetes, um avental,
Sete fronhas, um lençol,
Três camisas do enxoval,
Que a freguesa deu ao rol."

"Água fria, da ribeira,
Água fria que o sol aqueceu,
Velha aldeia, traga a ideia,
Roupa branca que a gente estendeu.
Um lençol de pano cru,
Vê lá bem tão lavadinho,
Dormindo nele, eu e tu,
Vê lá bem, está cor de linho."

 

 

A cache encontra-se
na Fonte das Fontaínhas

Esta fonte foi o primeiro local de Caneças a fornecer água fresca e onde os aguadeiros iam encher as bilhas de barro, era uma gruta. A fonte das Fontaínhas nascida na Ribeira das Águas Livres, ficou, depois da construção do Aqueduto com o mesmo nome, reduzida a uma nascente e a uma pequena ribeira, que foi lavadouro público.
A fonte foi construída com pedras do alto de Caneças que, juntamente com a verdura natural, lhe dá um aspecto bonito e simples.
A sua construção é do ano de 1888. O início da exploração da Fonte das Fontaínhas foi em 1910.
Após a conclusão das obras de beneficiação e recuperação foram incorporados um parque de merendas, um parque infantil, instalações sanitárias e um parque de estacionamento.





Additional Hints (Decrypt)

qb ynqb qvervgb n 150pz qb fbyb.

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



 

Find...

416 Logged Visits

Found it 381     Didn't find it 11     Write note 14     Archive 1     Temporarily Disable Listing 2     Enable Listing 1     Publish Listing 1     Needs Maintenance 4     Post Reviewer Note 1     

View Logbook | View the Image Gallery of 83 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated: on 3/13/2018 8:20:54 AM Pacific Daylight Time (3:20 PM GMT)
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page