Skip to Content

This cache has been archived.

btreviewer: Esta cache foi arquivada por falta de uma resposta atempada e/ou adequada perante as situações relatadas. Relembro a secção das guidelines sobre a manutenção http://www.geocaching.com/about/guidelines.aspx#cachemaintenance :

[quote]
Você é responsável por visitas ocasionais à sua geocache para assegurar que está tudo em ordem para funcionar, especialmente quando alguém reporta um problema com a geocache (desaparecimento, estrago, humidade/infiltrações, etc.), ou faz um registo "Precisa de Manutenção". Desactive temporariamente a sua geocache para que os outros saibam que não devem procurar a geocache até que tenha resolvido o problema. É-lhe concedido um período razoável de tempo - geralmente até 4 semanas - dentro do qual deverá verificar o estado da sua geocache. Se a geocache não estiver a receber a manutenção necessária ou estiver temporariamente desactivada por um longo período de tempo, poderemos arquivar a página da geocache.

Por causa do esforço requerido para manter uma geocache, por favor coloque geocaches físicas no seu espaço habitual de geocaching e não em sítios para onde costuma viajar. Geocaches colocadas durante viagens não serão muito provavelmente publicadas a menos que possa fornecer um plano de manutenção adequado. Este plano deve permitir uma resposta rápida a problemas reportados, e deverá incluir o Nome de Utilizador de um geocacher local que irá tomar conta dos problemas de manutenção na sua ausência. [/quote]

Como owner, se tiver planos para recolocar a cache, por favor, contacte-me por [url=http://www.geocaching.com/email/?u=btreviewer]e-mail[/url].

Lembro que a eventual reactivação desta cache passará pelo mesmo processo de análise como se fosse uma nova cache, com todas as implicações que as guidelines actuais indicam.

Se no local existe algum container, por favor recolha-o a fim de evitar que se torne lixo (geolitter).

Obrigado

[b] btreviewer [/b]
Geocaching.com Volunteer Cache Reviewer

[url=http://support.groundspeak.com/index.php?pg=kb.page&id=77][i][b]Work with the reviewer, not against him.[/b][/i][/url]

More
<

GB 5 - Sé Catedral de Castelo Branco

A cache by fmike, embolozzz, ucipista Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 4/22/2008
Difficulty:
1 out of 5
Terrain:
1 out of 5

Size: Size: micro (micro)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Photobucket

BTTHAL é uma equipa, formada por um conjunto de colegas e bons amigos, funcionários do HAL (Hospital Amato Lusitano) de Castelo Branco, profissionais de Enfermagem da (UCIP) Unidade de Cuidados Intensivos Polivalente e da Equipa VMER/INEM (Viatura Médica de Emergência e Reanimação do INEM) deste Hospital. O grupo tem por base a prática de BTT, no entanto abraça uma variedade de actividades desportivas outdoor, como é o caso do Geocaching. Possuidores de um blog na web (http://btt-hal.blogspot.com/), aconselhamos a visita do mesmo onde são relatadas e documentadas com fotografias, as diversas actividades da equipa.

BTTHAL is a team, formed by a number of colleagues and good friends, officials of the HAL (Hospital Amato Lusitano) of Castelo Branco, professionals in the Nursing (UCIP) Intensive Care Unit of and Team VMER / INEM (Emergency Medical Car) of this Hospital. The group is based on the practice of mountain biking, however embraces a variety of outdoor sporting activities, such as Geocaching. They have a web blog ((http://www.btt-hal.blogspot.com/), which we advise you to visit, where they report and document with photos the various activities of the team.

Photobucket

SÉ CATEDRAL DE CASTELO BRANCO: É a Sé portuguesa mais pobre de todo o país. Apertada entre duas dioceses ricas - Portalegre e Guarda foi sede de episcopado por um breve e curto período até ser englobada no Episcopado de Portalegre onde hoje permanece. Esta igreja remonta provavelmente ao séc. XIII ou séc. XIV, e estava muito arruinada no séc. XVII. Foi reedificada no último quartel do século XVII, mas devido à escassez de meios para fazer um obra monumental, ficou quase desprovida de ornamentos. Torna-se impressionante por isso mesmo, pela escassez de decoração, pela rudeza da pedra limpa, desornamentada. A fachada é uma enorme chapada de pedra, emblemática da pobreza da comunidade, atestada numa lápide pregada na parede direita da nave.
Nesta lápide dá-se conta que D. Martim Afonso de Melo, Bispo da Guarda, ao reconstruir a Sé, teve que pagar a maior parte da despesa do seu bolso. Como a Comarca não pagou, o prelado deixou-lhe as contas espetadas na parede.
A ausência de decorativismo começa assim na fachada desornamentada, contando com apenas três portais onde somente o central é encimado com um frontão trabalhado, duas janelas de varanda e um nicho onde S. Miguel surge a pisar um dragão. Mais acima surge um óculo com vitrais e duas torres meãs.
O interior é igualmente pobre e austero. Tem apenas uma nave que é separada da capela-mor por um belo arco renascentista, no fecho do qual está o brasão de armas do dito Bispo. Ao segundo bispo da diocese de Castelo branco, Frei Vicente Ferrer da Rocha (1782-1814), se deve a construção (em estilo barroco), dos dois corpos laterais, com os quais foi aumentado o templo: a Sacristia Grande e a Capela do Santíssimo Sacramento.
A Sé também se denomina Igreja de S. Miguel (o santo do nicho), porque esse seria o templo primitivo, provavelmente romano-gótico, sobre o qual se ergueu o presente templo, sendo ainda visiveis no pátio traseiro da igreja, alguns vestigios funerários primitivos.

Photobucket

CATHEDRAL OF CASTELO BRANCO: This is the most poorest cathedral on the whole country. Located between two rich episcopacy - Portalegre and Guarda, was the seat of episcopacy by a brief and short period until encompassed in the Episcopate of Portalegre which remains today. This probably is a XIII or XIV century church, and was much ruined in XVII century. It was rebuilt in the last quarter of the seventeenth century, but due to lack of means to make a monumental work, it was almost devoid of ornaments. It is amazing therefore, the lack of decoration, the bluntness of the stone clean, The facade is a huge constrution of stone, emblematic of poverty of the community, testified in a stone preached on the right wall.
In this stone gives up account that D. Martim Afonso de Melo, Bishop of Guarda, to rebuild the cathedral, he had to pay the bulk of the expenditure of your pocket. As the local autority not paid, the bishop left the accounts grabed on the wall.
he absence of decoration begins in the front, with only three portals where only the center is topped with a fronton worked, two windows, balconies and a niche where S. Miguel is steping a dragon. More above there is a round window with glass windows and two towers.
The interior is equally poor and austere. It has only one ship that is separate from chapel-mor by a beautiful arc Renaissance, in the closing of which is the coat of arms of Bishop said. The second bishop in this episcopacy, Frei Vicente Ferrer Rocha (1782-1814), is due to construction (in baroque style), the two bodies side, with which the temple has been increased: the Sacristia and the Chapel of the Blessed Sacramento.
The Cathedral also called Church of St. Miguel (the holy of niche), because that would be the primitive temple, probably Roman, Gothic, which was erected this temple and is still visible in the rear courtyard of the church, some traces of primitive funeral artifacts.

Photobucket

MURALHA DE CASTELO BRANCO: Iniciados os trabalhos de restauro em 2008, trouxeram á luz do dia e ás retinas de habitantes e turistas, diversos troços (5) da antiga Muralha de Castelo Branco, nomeadamente na Rua de Santa Maria, Rua Vaz Preto, Rua do Muro, Largo Fernão Sanches e no Largo Postiguinho de Valadares, local escolhido para alojar a versão n.º 4 desta cache.
WALL OF CASTELO BRANCO: Initiated the restoration work in 2008, brought to day light and to the locals and tourists view, several sections (5) of the former Wall of Castelo Branco, especially in Rua de Santa Maria, Rua Vaz Preto, Rua do Muro, Largo Fernão Sanches and Largo Postiguinho Valadares, venue to host No. 4 version of this cache.

Photobucket

Edificadas em conjunto com o Castelo, algures entre 1214 e 1230, as primeiras muralhas que previligiam mais uma vez a pedra da região - o granito - foram obra dos Templários e faziam parte da Linha do Tejo ou Linha da Raia, uma das linhas de defesa que incluia os Castelos de Pombal, Monsanto, Zêzere, Almourol e Tomar. Com o avançar dos anos e o crescente desenvolvimento da então vila e do muito comércio fora portas, D. Afonso IV, durante o séc XIV mandou erigir a segunda linha de muralhas, das quais estas fazem parte, sendo constituida por 8 portas de entrada, encimadas com arcos (destruidos em 1834), sendo possivel ver neste Largo os restos de uma dessas portas.
Built in conjunction with the Castle, sometime between 1214 and 1230, the first walls invoces once again the region's stone - granite - built by the Templars, this wall was part of the Tagus Line or Line of Ray, a line of defense which included the castles of Pombal, Monsanto, Zêzere Almourol and Tomar. With the increasing development of town and a lot of trade outside doors, D. Afonso IV, during the fourteenth century erected the second line of walls, of which they belong, being composed of 8 input ports, topped with arches (destroyed in 1834), being possible to see the remains of Largo in one of these ports.

Photobucket

Efectuado por uma empresa especializada e acompanhado pela arqueóloga da autarquia, o restauro permitiu salvaguardar o que restava desta imponente estrutura de defesa bélica, restaurando, consolidando e conservando para memória das futuras gerações de albicastrenses. E se dúvidas houvesse do seu carácter de defesa ele ficou bem espelhado nna descoberta de diversos vestigios bélicos - balas de canhão - cravejados nas graniticas paredes, atribuidos provavelmente ao séc. XIX, data das invasões francesas que fustigaram fortemente as gentes e o património da região.
Performed by a specialized company and accompanied by an archaeologist of the municipality, the restoration has preserved the remains of this imposing defense structure , restoring, preserving and consolidating for future memory of the next generations of Castelo Branco. And if there were any doubts about the defense role of this wall, the restoration discovered several vestiges of warfare - Cannonballs, probably attributed to the sixth century, during the French Invasion, that hit heavily the people and the heritage of the region.

Notas dos Owners:

- A cache encontra-se num local muito movimentado, pelo se que pede descrição na hora de cachar e logar, para não a colocar em risco;

- O sinal de GPS no local é algo instável, devido á proximidade de edificios de grandes dimensões!

- Agradeciamos que não publicassem fotos da cache. Obrigado!

Owners Notes:

- The cache is in a very busy local, so we request to the geocachers descrition when you do the hunt;

- The GPS signal in the place is poor, because is in the neighborhood of big buildings;

- Please, do not publish photos from the cache. Thank you!

Additional Hints (No hints available.)



 

Find...

573 Logged Visits

Found it 470     Didn't find it 48     Write note 13     Archive 1     Temporarily Disable Listing 11     Enable Listing 10     Publish Listing 1     Needs Maintenance 7     Owner Maintenance 4     Update Coordinates 4     Post Reviewer Note 4     

View Logbook | View the Image Gallery of 41 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated:
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.