Skip to content

<

Poço da Moira

A cache by pmendes100 Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 06/14/2008
Difficulty:
2 out of 5
Terrain:
3.5 out of 5

Size: Size:   regular (regular)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Poço da Moira

[PT]
Rio Troço

O rio Troço ou Trouço, último dos afluentes mais importantes da margem esquerda do rio Vouga, desagua neste em S. Pedro do Sul. De relevo bastante acentuado, vence um desnível total de cerca de 510 m num percurso de 19 km.

O rio é a espinha dorsal de Bodiosa. Nele convergem várias ribeiras que, a pouco e pouco, lhe aumentam o caudal. Dele, parte uma rede de canais de distribuição das águas, para regadio ou para os moinhos, construída no tempo em que a agricultura era ainda a fonte principal de riqueza.

O Poço da Moira é um poço de rio (local com grande profundidade) localizado numa zona de grande declive do rio ao longo de um desfiladeiro, referenciado no waypoint adicional. 

Moiras Encantadas

São seres, diz Leite de Vasconcelos, dotados de força sobrenatural, normalmente associados às águas, que vivem em certos locais, como se estivessem adormecidos, enquanto certas circunstâncias não lhes quebrar o encanto. Estes locais são, normalmente, poços, fontes, cisternas, nascentes, pontes, rios, cavernas, antigas construções, velhos castelos ou tesouros escondidos (locais de passagem para o interior da terra ou locais "limite", onde se acreditava que o sobrenatural podia manifestar-se).
As Moiras, por vezes, têm um aspecto sedutor (jovens donzelas de grande beleza cantando e penteando os seus longos cabelos, louros como o ouro ou negros como a noite, com um pente de ouro) e apresentam-se aos viajantes que passam pelos seus domínios, convidando-os a passarem no dia seguinte, com alusões a objectos preciosos que guardam e propostas diversas.
Diz, ainda, a opinião popular que estas Moiras, se podem transformar em serpentes e que se encontram nesses locais a guardar tesouros deixados pelos mouros, até que alguém os possa descobrir.
Especula-se que o termo moura (moira) possa derivar da palavra grega "moira", que literalmente significa "destino" e da deusa Moira, originária da mitologia Grega. Também se considera uma possível origem a palavra latina "maurus", "obscuro", nome dado aos nativos da Mauritânia.
Outra corrente indica que a origem poderá vir das palavras celtas "mori" que significa mar ou "mori-morwen" que designa sereia provavelmente relacionadas também com as ondinas ou as ninfas, os espíritos sub-humanos que habitavam nos rios e nos cursos de água.
Uma outra possível origem de moura (moira), também de origem celta, é "mahra" e "mahr", que significa espírito.
Existe uma quantidade enorme de lendas de moiras encantadas, cuja origem se perdeu no tempo, mas que apresentam semelhanças e raízes nas lendas Irlandesas, na mitologia Galega e Asturiana ou na mitologia Basca em que os Mairu (mouros) são os gigantes que construíram as antas e os cromeleques.
Outra explicação aponta para que, sendo Portugal um país de tradição católica cristã, é normal que as “mouras” (de religião islâmica) que ficaram no nosso país, após o domínio árabe, fossem “encantadas” para não poderem exercer nenhuma influência. 

Adaptado de http://www.cm-mirandela.pt/index.php?oid=3504  e  http://pt.wikipedia.org/wiki/Mouras_encantadas

 Os Acessos e a Cache….

O acesso pode ser feito: a Norte, na EN16, vindo de Viseu, virar à esquerda na estrada Municipal em direcção a Aval e depois apanhar a antiga linha de comboio do Vouga até ao ponto referenciado “Entrada caminho”.
Este percurso pode ser feito de veículo ligeiro com algum cuidado.
Depois do ponto “Entrada caminho” o percurso pedonal é acidentado e com bastante vegetação (protejam os “cromados” contra os riscos das silvas e giestas). 

A cache não está escondida nos moinhos.
Quem pretender conhecer, verdadeiramente, o Poço da Moira deve seguir o waypoint indicado, embora o terreno seja de dificuldade muito elevada.

DEVEM TER CUIDADO COM OS MOINHOS POIS ESTÃO EM ELEVADO ESTADO DE RUÍNA E APRESENTAM PERIGOS VÁRIOS

 

 

 

[EN]
River Troço

The river Troço or Trouço, last of the major tributaries of the left bank Vouga, this flowing in S. Pedro do Sul. With a very sharp relief, wins a total gap of about 510 m in a journey of 19 km. The river is the backbone of Bodiosa. It converge several streams that, slowly, increases the flow. From it, born a network of distribution channels of water for irrigation or for the watermills, built in time in which agriculture was still the main source of wealth.
The Poço da Moira is a well of river (place with great
depth) located after a cascade in an area of great slope of the river over a gorge, referenced in additional waypoint. 

Enchanted Moiras

They are creatures, says Leite de Vasconcelos, endowed with supernatural strength, usually associated with water, living in certain places, as if they were sleeping, while certain circumstances don´t break the enchantment. These places are usually wells, fountains, tanks, springs, bridges, rivers, caves, old buildings, old castles or hidden treasures (places of passage into the earth or "limit" local, where it was believed that the supernatural manifest itself).
The Moiras look seductive (young maidens of great beauty and singing with their long hair, blond like gold or black as night) and present themselves to travellers passing through its areas, inviting them to spend the next day, with allusions to precious objects and various proposals. In addition, the popular opinion says that these Moiras, can turn into snakes and that are in these places to store treasures left by the Moors, until someone can find out.
It is speculated that the term Moorish (moira) may derive from the Greek word "moira," which literally means "destiny" and the Goddess Moira, originating in Greek mythology. It is also considered a possible origin the Latin word "maurus", "obscure", the name given to natives of Mauritania.
Another current indicates that the origin could be from the Celts words "mori" which means sea or "mori-morwen" which means mermaid probably also related to the ondines or the nymphs, the spirits sub-human living in rivers.
Another possible source of Moorish (moira), also of Celtic origin, is "mahra" and "mahr," which means spirit.
There is an enormous amount of legends of enchanted moiras, whose origin is lost in time, but which have similarities and roots in Irish legends, in Galician and Basque mythology where the Mairu (Moors) are the giants who built the dolmens.
Another explanation suggests that, Portugal being a country of Catholic tradition, it is normal that the "Moorish" (the Islamic religion) that were in our country, after the Arabic domination, were "enchanted" for not being able to exert any influence. 

Adapted from http://www.cm-mirandela.pt/index.php?oid=3504 and http://pt.wikipedia.org/wiki/Mouras_encantadas

 

The Access and the Cache....

Access can be done: from North, in EN16, coming from Viseu, turn left on the road direction to Aval and then take the old rail line of Vouga to the point referenced "Entrada caminho."
This route can be done by vehicle with some care.
After the point " Entrada caminho " the pedestrian path is bumpy and with enough vegetation. 

The cache is not hidden in watermills.
Who wants to know, really, the Poço da Moira should follow the waypoint indicated, although the land is of very high difficulty.
 

CAUTION SHOULD HAVE WITH THE WATERMILLS BECAUSE THEY ARE IN HIGH STATE OF DAMAGE AND PRESENT SEVERAL HAZARDS

 

 


Additional Hints (No hints available.)